Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Eis as onze músicas gravadas por Elza no álbum 'A mulher do fim do mundo'

Com lançamento programado para 5 de outubro de 2015 nas plataformas físicas e digitais, o disco A mulher do fim do mundo (Circus) - gravado por Elza Soares com músicos da cena paulistana contemporânea - apresenta 11 músicas inéditas na voz da cantora carioca. Produzido pelo baterista Guilherme Kastrup sob a direção artística de Celso Sim e Romulo Fróes, o álbum foi formatado com músicos como Kiko Dinucci (guitarra), Marcelo Cabral (baixo), Rodrigo Campos (guitarra) e Felipe Roseno (percussão). Eis, na ordem do álbum, as 11 músicas inéditas cantadas por Elza Soares em A mulher do fim do mundo,  projeto viabilizado com recursos financeiros do projeto Natura Musical:

1. Coração do mar (José Miguel Wisnik sobre poema de Oswald de Andrade)
2. Mulher do fim do mundo (Romulo Fróes e Alice Coutinho)
3. Maria da Vila Matilde (Douglas Germano)
4. Luz vermelha (Kiko Dinucci e Clima)
5. Pra fuder (Kiko Dinucci)
6. Benedita (Celso Sim, Pepê Mata Machado, Joana Barossi e Fernanda Diamant)

    - com Celso Sim
7. Firmeza?! (Rodrigo Campos) - com Rodrigo Campos
8. Dança (Cacá Machado e Romulo Fróes) - com Romulo Fróes
9. O canal (Rodrigo Campos)
10. Solto (Marcelo Cabral e Clima)
11. Comigo (Romulo Fróes e Alberto Tassinari)

34 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Com lançamento programado para 3 de outubro de 2015 nas plataformas físicas e digitais, o álbum A mulher do fim do mundo - gravado por Elza Soares com músicos da cena paulistana contemporânea - apresenta 11 músicas inéditas na voz da cantora carioca. Produzido pelo baterista Guilherme Kastrup, sob a direção artística de Celso Sim e Romulo Fróes, o disco foi formatado com músicos como Kiko Dinucci (guitarra), Marcelo Cabral (baixo), Rodrigo Campos (guitarra) e Felipe Roseno (percussão). Eis, na ordem do álbum, as 11 músicas inéditas cantadas por Elza Soares em A mulher do fim do mundo, projeto viabilizado com recursos financeiros do projeto Natura Musical:

1. Coração do mar (José Miguel Wisnik sobre poema de Oswald de Andrade)
2. A mulher do fim do mundo (Romulo Fróes e Alice Coutinho)
3. Maria da Vila Matilde (Douglas Germano)
4. Luz vermelha (Kiko Dinucci e Clima)
5. Pra fuder (Kiko Dinucci)
6. Benedita (Celso Sim, Pepê Mata Machado, Joana Barossi e Fernanda Diamant)- com Celso Sim
7. Firmeza?! (Rodrigo Campos) - com Rodrigo Campos
8. Dança (Cacá Machado e Romulo Fróes) - com Romulo Fróes
9. O canal (Rodrigo Campos)
10. Solto (Marcelo Cabral e Clima)
11. Comigo (Romulo Fróes e Alberto Tassinari)

Rafael M. disse...

Essa é a capa oficial do disco? Não gostei... Quanta falta de criatividade... Não curti muito as 2 músicas que foram liberadas para audição... Achei o som abafado... A voz da Elza ficou escondida por detrás dos instrumentos musicais...

Rafael M. disse...

Ela deveria lançar CD e DVD do show dedicado a Lupicínio. Este sim estou com mais interesse de ouvir do que esse disco...

ADEMAR AMANCIO disse...

É mais uma decretando o fim do mundo.

Eduardo Cáffaro disse...

Adoro quando Elza entyra nesse tipo de repertório mais ousado ....assim como adoro até hoje o álbum do coccix até o pescoço ....e acho uma voz incrível que o Brasil não valoriza, se fosse americana tava na trilha de várias novelas, mas enfim ....aguardando aqui pra comprar o meu.

- Mauro, o CD da Gal cantando Lupicínio vai sair mesmo ?

Mauro Ferreira disse...

Cáffaro, o contrato de Gal com a Natura prevê a edição de um CD ao vivo com a edição do show. Pelo que sei, o contrato está de pé. Mas este disco deve ficar para 2016. Abs, MauroF

[rafael ribeiro] disse...

...confesso que tambem nao gosteibdas musicas q foram liberadas...se esta for a capa, péssima! E sei la...tenho minhas reservas quanto a esta galera que esta com ela, são bons, mas não tão excepcionais quanto se vem pintando, vejo um som de exageros q sujam o trabalho vocal...letras bacanas, mas exageros sonoros desnecessarios....enfim...vamos aguarsar...que venha Elza...esta mulher é ótima!

Henrique disse...

Mauro, essa é a capa oficial do disco?

Mauro Ferreira disse...

Sim, Henrique, essa é a capa do disco. abs, MauroF

dude disse...

eu gosto um bocado da capa.
acho urbana, direta, um tanto áspera, como é o som da turma em quem elza colou pra fazer o disco.
pelo que saiu até agora, acho que vem um disco com a força de "do cóccix até o pescoço", o que seria um feito gigantesco.
mesmo que não tenha a mesma grandeza, acho que será um trabalho surpreendente que mostra o tamanho da coragem da artista, de se reinventar a essa altura da carreira.
tô na torcida tbm. :)

Anderson Falcão

Marcelo disse...

Acho que Elza entrou na vibe do Caetano Veloso. Não é a Elza que eu curto mas espero que ela tenha muito sucesso com essa nova etapa, porque Elza é sensacional!!

lurian disse...

A capa remete a algo concretista, como tem sido o trabalho dessa 'turma' que está com Elza no disco, então está condizente. Gosto da Elza, gosto de algumas coisas dessa 'turma' como os primeiros discos do Froes, mas confesso que esse som noise que estão fazendo agora não me chama atenção, geralmente passo as músicas com essa vertente, ainda que possam ter boas letras.

Mauro Ferreira disse...

Já ouvi o disco e posso adiantar: é um grande álbum, merecedor das cinco estrelas. Abs, MauroF

Estalactites hemorrágicas disse...

Adorei a capa
O nome ELZA
Concreta, crua, palpável.
E vamos combinar, espelho, espelho nosso, há alguma cantora mais ousada que ELZA?
Ricardo Sérgio

Estalactites hemorrágicas disse...

Adorei a capa
O nome ELZA
Concreta, crua, palpável.
E vamos combinar, espelho, espelho nosso, há alguma cantora mais ousada que ELZA?
Ricardo Sérgio

Rhenan Soares disse...

Gosto bastante do trabalho do Guilherme Kastrup e acredito que virá um grande álbum. Só o fato de ter um novo trabalho da Elza já é grandioso, inclusive.

Gosto da capa, mas gosto ainda mais porque vi fotos da edição física, postadas pelo Kastrup. Ótimo pra ilustrar - literalmente - as possibilidades muito mais sofisticadas que o velho CD permite. Capa, contracapa, encarte. Ainda tem gente fazendo coisa boa nesse negócio! Um disco pra desembrulhar.

Sobre as músicas lançadas até agora, acho lamentável que se desmereça o gesto da Elza em dar voz a esse tipo de discurso, mais uma vez. Ambas têm textos importantíssimos e de qualidade, funcionando muito bem. Acredito muito nessa comunicação. Mulher, negra... a legitimidade da atitude política que a figura da Elza traz me comove profundamente (profundamente)! (E por isso me irrita e enfastia tanto quando aparecem aquelas coisas tipo o Edu Krieger versão púlpito, por exemplo, querendo meter o bedelho em questões que não lhe dizem respeito e soando absurdamente demagogo.)

A imagem do "jogo água fervendo se você se aventurar" em "Maria da Vila Matilde" entrega um contexto social inteiro. Fiquei no chão com esse verso!

Esperando o disco.

Chico disse...

achei a capa maravilhosa e gostei muito do foi lançado até agora. Elza sempre a frente, sem preconceitos, aproveitando a versatilidade da voz dela que dá certo com todos os gêneros e ritmos. Essa turma que está com ela é maravilhosa, acho que esse disco vai ser muito bem recebido. Só vai torcer o nariz os mais tradicionais que a querem aprisionar na MPB tradicional e que tem dificuldade de assimilar o novo

Daniel Lopes disse...

Elza vem com tudo. Bombástica! Imprevisível! Explosiva! Extasiante! Atemporal.Jamais esperem o trivial desta grande artista.

Luca disse...

grande capa!

Eduardo Cáffaro disse...

HUMM ANSIOSO JA ! E obrigado Mauro por responder sobre a Gal tb . Abs !

Mauro Silva disse...

Eu gostei da capa, achei Clean...É muito bom ver Elza ainda criando arte! Quero logo ouvir este disco :)

Unknown disse...

Adorei as duas músicas liberadas e a capa!

Larissa Gouveia disse...

Não hesito em afirmar:O melhor álbum de 2015!Quem quiser que se esmere por igualar,porque superar... 'é ruim!!!'.

Só Coração do Mar/A Mulher do Fim do Mundo[ouvi completamente arrepiada,lágrimas querendo se desgarrar dos olhos capturados] & Mulher de Vila Matilde já mereceriam que este álbum
figurasse entre as obras primas da música
brasilis contemporânea e mas além, extemporânea...só que tem,que ainda tem muito mais.Todos os mais evitados pecados reinventados,e bendito sejam,cometidos:
possuídas guitarras violentando,dando no couro das cuícas mais vetustas e imortais - e sim,elas ainda ficam túrgidas.Raízes das velhas mangueiras exertadas num reciproco corpo elétrico,eco amplificado do singelo barulho de folhas secas pisadas sem temor.Não o samba não agoniza aviltado,o samba nasce da dor exasperada,
da ruptura de himens falsamente pudicos.

Gafieira Hi Tech,Breque elétrico.Imagine como se todas as cabrochas submissas do Moreira (finalmente) se revoltassem,entre guitarras
exasperadas e cuícas retumbantes.Dona Elza sobe no arranha céu da sua garganta e numa rasante
plongée sobre os morros do Moreira,mostra quem tem/quem sempre teve a força.
Como não evocar um certo Drummond?"E como ficou chato ser moderno/agora serei eterno!".

Aos puristas de plantão:inté eu que não sou propriamente a mais naturalmente intima de modernizações e plugs,tô rendida,encantada.Sobretudo
porque não se trata de mera
fusão,encaixe de opostos que fatalmente se traem - e que se perdoa-os justamente por se traírem...É aglutinação,pertencimento,carne da mesma carne
mais cara do mercado.Eles(os músicos,estes Quixotes paulistas) são ela, porque Elza já era eles antes deles serem eles - todos, moinhos de ventos,impossíveis,derrubando estruturas óbvias da estética presumida...E apois':Gênia felina furiosa que se confunde na epiderme eriçada destes brilhantes músicos rebeldes com garra,em pleno cio criativo.

Luas e subúrbios saindo intactos da cratera do caos metropolitano.Paroxismo,com via de mão reciproca, de violência
e paixão - e durma-se com um barulho desses.

Quem menciona-r uma aludida "poluição" elétrica dos meninos paulistas,não se dá conta que na garganta rouca de Elza toda a fumaça do bas fond já estava inalada,devolvida já nata, sem filtro ou piteira;sujeira uso fruto - adquirida e sua.Prova disso é que o álbum é aberto precisamente com uma 'capela' dela,e quando os meninos
entram você entende que eles são legitimo zinco quente onde esta negra gata de arrepiar sempre passeou quente,jamais capturada ou domesticada.

Elza,Elza da sua eternamente profunda garganta felina,todas as noites bas-fond e todos os morros arranham,lambem e se entranham nossos suburbanos corações brasilis.É preciso merecer Elza,é inevitável está a sua mercê.

Mulher fatal beba do samba,
beba do rock...porque sua taça é infinitamente funda.
Meninos paulistas vocês são as novas mensagens aguardadas há muito, na aridez cultural que vivemos...Mensagens vitais que chegam ansiadas,nas em inesperadas garrafas já quebradas,contendo partes nunca frágeis,sempre reinventadas - manipule-as sem cuidado!Sejam - também - no samba!

Rafael M. disse...

O disco já está disponível para audição inteiramente no site da Natura Musical aqui:

http://www.naturamusical.com.br/jplayer/13680/0

Mauro Ferreira disse...

Arrasou, Larissa. Depois desse texto, nem sei o que vou escrever na resenha do disco. Abs, gratíssimo pelo comentário, MauroF

Julio Garrido Fotografia disse...

Elza é muito foda!

Larissa Gouveia disse...

Nossa!!Mauro,agora quem fica sem palavras sou eu!
Muito obrigada.Fico imensamente lisonjeada vindo justamente de ti,nem preciso acrescer que sou admiradora fiel de suas criticas,resenhas,releases...Desde o antigo endereço sigo acompanhando contigua.
Grata duplamente:Pelo elogio sensível e pela enorme gentileza de o fazer aqui publicamente na sua página.Ganhei o dia!
Abs.

PS:Aguardo ansiosa sua resenha sobre o álbum,com a certeza
de que será excelente como tantas outras que já fizestes.

Aline Bernardi disse...

Maria da Vila Matilde é demais! Ouvindo sem parar.Ansiosa pelo resto.

Aline Bernardi disse...

Maria da Vila Matilde é demais! Ouvindo sem parar.Ansiosa pelo resto.

Ronei Vieira disse...

Mauro, não paro de ouvir esse disco desde o lançamento!!! Tô emocionado, maravilhado e me permitindo sentir todos os distintos sentimentos que esse trabalho me causa... Olho todos os dias o blog em busca das suas palavras sobre o disco. Esse trabalho fodástico da Elza merece suas palavras... No aguardo!

Unknown disse...

Larissa Gouveia: obrigado. Exatamente como me senti ao ouvir o disco.
PRA FUDER!!! :)

Iago Natan disse...

Olá Mauro,

Sabe me dizer se o CD Físico já foi lançado?
Eu quero muito compra-lo!!!!

Abs

Marcus Vinicius Leonel disse...

Ueba galera. Ó, acabei de achar o site para Download oficial do disco completo: www.amulherdofimdomundo.com

Iago Natan disse...

Hey Pessoal!

Quem quiser comprar o Cd fisico: http://loja.circusproducoes.com.br/a-mulher-do-fim-do-mundo-elza-soares.html