Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Pop romântico trivial dilui efeito do já fraco 'Veneno' tecnobrega da Banda Uó

Resenha de CD
Título: Veneno
Artista: Banda Uó
Gravadora: Deck
Cotação: * *

Trio goiano de tecnobrega, a Banda Uó já soou mais brega do que tecno em seu primeiro álbum, Motel (Deck, 2012), sucessor do EP Me emoldurei de presente pra te ter (2011), produção independente que deu projeção ao grupo na web há quatro anos. Na sequência do lançamento de seu primeiro álbum, o trio sinalizou com a edição de inéditos singles digitais que ia seguir uma trilha mais explicitamente pop. De refrão imponente, Catraca (Mateus Carrilho, Davi Sabbag, Mel Gonçalves e Péricles Martins) - música gravada pela Uó com o funkeiro carioca Mr. Catra, liberada na web em abril de 2014 e ora alocada como faixa-bônus do recém-lançado segundo álbum da banda, Veneno - indicou a intenção de fazer som ainda mais popular, além dos clichês do exaurido tecnobrega. Primeiro single do álbum Veneno, É da rádio? (Mateus Carrilho e Davi Sabbag) corroborou a sensação de mutação do som tecnobrega da Uó. Música que abre Veneno, álbum produzido por Davi Sabbag sob a direção artística de Mateus Carrilho, É da rádio? apresenta um som mais orgânico, pop, com toques de rock. Mas o que dilui o efeito de Veneno é a adesão da banda a uma música romântica de tom mais trivial. Faixas como Primeiro encontro (Mateus Carrilho, Davi Sabbag e Pedrowl) e Boneca (Mateus Carrilho, Davi Sabbag e Victor Miranda) patinam nesse chão de romantismo corriqueiro que banaliza  o som e a identidade da Uó. Conexão do trio com o DJ Gorky, coprodutor da faixa, Cremosa (Davi Sabbag, Mateus Carrilho e DJ Gorky) sintoniza a banda com seu universo original e se destaca em disco feito com a adesão da rapper curitibana Karol Conká na já conhecida Dá1like (Mateus Carrilho, Davi Sabbag, Yuri Chix e Fábio Smelk). Até a cantora paulistana Vanessa Jackson abocanha fatia de X-bacon (Davi Sabbag, Mateus Carrilho e Péricles Martins), faixa de duplo sentido que tem coprodução de Boss in Drama (assim como Catraca). Enfim, formulado com doses altas de romantismo e sensualidade, o Veneno pop orgânico da Banda Uó tem efeito bem reduzido, deixando imunes até os admiradores do trio de tecnobrega.

6 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Trio goiano de tecnobrega, a Banda Uó já soou mais brega do que tecno em seu primeiro álbum, Motel (Deck, 2012), sucessor do EP Me emoldurei de presente pra te ter (2011), produção independente que deu projeção ao grupo na web há quatro anos. Na sequência do lançamento de seu primeiro álbum, o trio sinalizou com a edição de inéditos singles digitais que ia seguir uma trilha mais explicitamente pop. De refrão imponente, Catraca (Mateus Carrilho, Davi Sabbag, Mel Gonçalves e Péricles Martins) - música gravada pela Uó com o funkeiro carioca Mr. Catra, liberada na web em abril de 2014 e ora alocada como faixa-bônus do recém-lançado segundo álbum da banda, Veneno - indicou a intenção de fazer som ainda mais popular, além dos clichês do exaurido tecnobrega. Primeiro single do álbum Veneno, É da rádio? (Mateus Carrilho e Davi Sabbag) corroborou a sensação de mutação do som tecnobrega da Uó. Música que abre Veneno, álbum produzido por Davi Sabbag sob a direção artística de Mateus Carrilho, É da rádio? apresenta um som mais orgânico, pop, com toques de rock. Mas o que dilui o efeito de Veneno é a adesão da banda a uma música romântica de tom mais trivial. Faixas como Primeiro encontro (Mateus Carrilho, Davi Sabbag e Pedrowl) e Boneca (Mateus Carrilho, Davi Sabbag e Victor Miranda) patinam nesse chão de romantismo corriqueiro que banaliza o som e a identidade da Uó. Conexão do trio com o DJ Gorky, coprodutor da faixa, Cremosa (Davi Sabbag, Mateus Carrilho e DJ Gorky) sintoniza a banda com seu universo original e se destaca em disco feito com a adesão da rapper curitibana Karol Conká na já conhecida Dá1like (Mateus Carrilho, Davi Sabbag, Yuri Chix e Fábio Smelk). Até a cantora paulistana Vanessa Jackson abocanha fatia de X-bacon (Davi Sabbag, Mateus Carrilho e Péricles Martins), faixa de duplo sentido que tem coprodução de Boss in Drama (assim como Catraca). Enfim, formulado com doses altas de romantismo e sensualidade, o Veneno pop orgânico da Banda Uó tem efeito bem reduzido, deixando imunes até os admiradores do trio de tecnobrega.

Rafael M. disse...

Banda dispensável, lixo puro...

Victor Moraes, disse...

Achei dentro da proposta deles, porém, chato. 'É da rádio' não ficou legal com o rockzinho misturado. Mas, quanto as outras, esse pop romântico tende a surpreender e, por vezes, fazem muito sucesso [ou era melhor nunca terem existido]. Vai que rola uma trilha de TV dessas da vida. Mas, nem que seja pra ver o Davi Sabbag <3 , a gente sempre confere o trabalho deles.

Luca disse...

Essa banda é uó

Douglas Carvalho disse...

Ah... o Davi Sabbag....

ADEMAR AMANCIO disse...

Parece que a irmandade está aumentando.