Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sábado, 23 de abril de 2016

Inéditas 'Dupla chama' e 'Lampejo' iluminam as afinidades entre Samuel e Lô

EDITORIAL - As músicas de Lô Borges e de Samuel Rosa são dois afluentes do mesmo rio mineiro que desaguou na música brasileira no início da década de 1970. Dois rios - a segunda música que os dois compuseram juntos (no caso, com a adesão de Nando Reis), desenvolvendo parceria iniciada com a criação de A última guerra (Samuel Rosa, Lô Borges e Rodrigo Leão, 2000) - explicitou em 2003, em gravação feita para álbum do Skank, a afinidade que aflora plena na gravação ao vivo do show que une os dois cantores, compositores e músicos mineiros. Perpetuado no CD e no DVD Ao vivo no Cine Theatro Brasil, recém-lançados pela Sony Music, o show - na estrada desde 1999 e captado em agosto de 2015 (clique aqui para ler a resenha da gravação ao vivo) - entrelaça no roteiro sucessos do repertório do Clube da Esquina com hits do Skank. Apresentadas como clipes nos extras do DVD e como faixas-bônus no CD, as duas músicas inéditas gravadas pelos artistas para o projeto fonográfico - Dupla chama (composta por Lô com Chico Amaral, parceiro fiel de Samuel desde os primórdios do Skank) e Lampejo (mais uma daquelas canções certeiras feitas por Samuel com Nando Reis) - ilumina e reforça a fina sintonia entre a obra autoral de Lô e o cancioneiro de Samuel. Tal afinidade é alimentada, claro, pelo fato de ambos serem crias e criadores egressos de Belo Horizonte (MG), capital das Geraes. Não por acaso, aliás, o DVD também exibe nos extras o documentário BH e a música de Samuel e Lô. A geografia da música parece importar, pois o som perene do Clube da Esquina - fundado em Belo Horizonte - influenciou a geração de Samuel. E é fato que, em menor grau, o som da geração pop de Samuel também acabou influenciando, duas décadas depois, a obra de Lô. A ponto de os dois terem virados parceiros e estarem na estrada com show que revende os sucessos do Skank e do Clube da Esquina com a bandeira da bela amizade que uniu Lô e Samuel.  Feita com "dois lados que deram as mãos", a feira de hits ainda é moderna.

6 comentários:

Mauro Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rafael M. disse...

Encontro musical imperdível! Muito bom mesmo!!!

Mauro Silva disse...


Achei muito 'Frio' este trabalho, o Samuel Rosa não passa emoção alguma nas músicas. Ouvi muito o "Clube da Esquina" e quase sempre é de chegar aos prantos de tão lindo que é, na sua versão original.
Mesmo as regravações do Skank, do Lô Borges, do Beto Guedes ficaram muito apagadas.

E isso não é uma comparação ás gravações originais...até por que estas músicas foram muito regravadas por vários artistas e muitos, conseguiram resultados bem melhores.

As inéditas também são bem fraquinhas.

Miyage disse...

Mauro, "Dois Rios" é mesmo a primeira parceria de Samuel e Lô? E quanto à canção "A Última Guerra", lançada no disco "Maquinarama" em 2000?

Mauro Ferreira disse...

Tem razão, Myage. Tinha me esquecido desta música. Grato pelo toque, abs, MauroF

italo vinicius disse...

Quero muito ver esse projeto