Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quinta-feira, 21 de abril de 2016

Krassik e Mestrinho lançam disco em que tocam Jacob, Sivuca e Villa-Lobos

Gravado em novembro de 2015, o álbum que junta o sanfoneiro sergipano Mestrinho (revelação no toque do acordeom) com Nicolas Krassik (exímio violonista francês radicado na cidade do Rio de Janeiro) está sendo lançado neste mês de abril de 2016 em edição da gravadora Biscoito Fino. Os músicos tocam 11 composições em bela seleção de repertório que inclui os choros Diabinho maluco (Jacob do Bandolim, 1956) e Nilopolitano (Dominguinhos, 1985), além das valsas Desvairada (Garoto, 1950) e João e Maria (Sivuca e Chico Buarque, 1977). O álbum Mestrinho / Nicolas Krassik traz também no repertório o samba Formosa (Baden Powell e Vinicius de Moraes, 1965), o arretado baião Feira de mangaio (Sivuca e Gloria Gadelha, 1977) e a sublime Melodia sentimental (Heitor Villa-Lobos, 1958). Na esfera autoral, Mestrinho assina Em minha alma e Um sorriso de esperança. Já Krassik é o compositor de Cordestinos e Serelepe. Os músicos se conheceram quando tocavam com o cantor e compositor baiano Gilberto Gil no show inspirado no álbum Fé na festa (Geléia Geral / Universal Music, 2010). Gil, aliás, avaliza o álbum de Mestrinho com Krassik: "É um disco que junta a extraordinária fluência desses dois grandes instrumentistas com os imensos talentos e uma dedicação  comovente aos gêneros genuínos do amplo território musical  brasileiro".

2 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Gravado em novembro de 2015, o álbum que junta o sanfoneiro sergipano Mestrinho (revelação no toque do acordeom) com Nicolas Krassik (exímio violonista francês radicado na cidade do Rio de Janeiro) está sendo lançado neste mês de abril de 2016 em edição da gravadora Biscoito Fino. Os músicos tocam 11 composições em bela seleção de repertório que inclui os choros Diabinho maluco (Jacob do Bandolim, 1956) e Nilopolitano (Dominguinhos, 1985), além das valsas Desvairada (Garoto, 1950) e João e Maria (Sivuca e Chico Buarque, 1977). O álbum Mestrinho / Nicolas Krassik traz também no repertório o samba Formosa (Baden Powell e Vinicius de Moraes, 1965), o arretado baião Feira de mangaio (Sivuca e Gloria Gadelha, 1977) e a sublime Melodia sentimental (Heitor Villa-Lobos, 1958). Na esfera autoral, Mestrinho assina Em minha alma e Um sorriso de esperança. Já Krassik é o compositor de Cordestinos e Serelepe. Os músicos se conheceram quando tocavam com o cantor e compositor baiano Gilberto Gil no show inspirado no álbum Fé na festa (Geléia Geral / Universal Music, 2010). Gil, aliás, avaliza o álbum de Mestrinho com Krassik: "É um disco que junta a extraordinária fluência desses dois grandes instrumentistas com os imensos talentos e uma dedicação comovente aos gêneros genuínos do amplo território musical brasileiro".

Clayton Moreira disse...

Repertório de primeira!