Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sexta-feira, 1 de abril de 2016

Marisa edita o primeiro single de compilação que será lançada em 29 de abril

Como já insinuado no vídeo-teaser lançado por Marisa Monte em 29 de março de 2016, Nu com a minha música é o primeiro single da primeira compilação da discografia da artista, Coleção, programada para chegar ao mercado em 29 de abril em edição dos selos Phonomotor e EMI distribuída pela gravadora Universal Music. O single está sendo lançado hoje, 1º de abril de 2016, nas plataformas digitais. A canção de Caetano Veloso - lançada pelo compositor há 35 anos no álbum Outras palavras (Philips, 1981) - é rebobinada em Coleção na gravação feita pela cantora com o cantor carioca Rodrigo Amarante e com o cantor norte-americano Devendra Banhart para o álbum beneficente Red hot + Rio 2 (E1 Entertainment, 2011). Mantido em sigilo, o repertório de Coleção inclui também o registro do choro-canção Carinhoso (Pixinguinha e João de Barro, 1917 / 1937) feito por Marisa com Paulinho da Viola para a trilha sonora de documentário sobre o artista carioca,  Meu tempo é hoje,  perpetuada em disco editado, em 2003, pela gravadora Biscoito Fino.

10 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Como já insinuado no vídeo-teaser lançado por Marisa Monte em 29 de março de 2016, Nu com a minha música é o primeiro single da primeira compilação da discografia da artista, Coleção, programada para chegar ao mercado em 29 de abril em edição dos selos Phonomotor e EMI distribuída pela gravadora Universal Music. O single está sendo lançado hoje, 1º de abril de 2016, nas plataformas digitais. A canção de Caetano Veloso - lançada pelo compositor há 35 anos no álbum Outras palavras (Philips, 1981) - é rebobinada em Coleção na gravação feita pela cantora com o cantor carioca Rodrigo Amarante e com o cantor norte-americano Devendra Banhart para o álbum beneficente Red hot + Rio 2 (E1 Entertainment, 2011). Mantido em sigilo, o repertório de Coleção inclui também o registro do choro-canção Carinhoso (Pixinguinha e João de Barro, 1917 / 1937) feito por Marisa com Paulinho da Viola para a trilha sonora de documentário sobre o artista carioca, Meu tempo é hoje, perpetuada em disco editado, em 2003, pela gravadora Biscoito Fino.

lurian disse...

Prato requentado vem ai...

Victor Moraes, disse...

Obaaaa!

Rafael M. disse...

Não acho que será prato requentado... Para fãs da Marisa como eu, teremos a oportunidade de ter num único disco músicas que ela gravou fora de sua discografia... Pena que a canção "Da Aurora Até o Luar" não estará no disco... :-(

Eduardo Cáffaro disse...

adoro Mulemba Xangola ...sera que esta vai estar ?

leonardo barcelos disse...

"Prato requentado" bem mais gostoso que muito prato fresco por aí...

Alexandre Teixeira disse...

Maravilha! Finalmente temos uma data!
E eu amei a arte da capa. Dá pra imaginar que o disco vai ter essa mesma concepção gráfica. Agora só falta sair a tracklist pra matar essa ansiedade de saber quais serão as tais inéditas.
Ansioso pra ver tudo!

Luiz Phillipe Tavares disse...

Acredito que não virão as inéditas de sobras de estúdio, mas gravações ao vivo que, oficialmente em disco, não foram lançadas, como "eu te amo, te amo..." ou "não quero dinheiro", já conhecidas. Marisa mesmo disse que são canções que "assina embaixo novamente".

André disse...

Marisa mesmo lançando uma coletânea, sempre preza pelo bom gosto nos detalhes. Admirável artista!

Douglas Carvalho disse...

Trata-se da primeira coletânea de uma artistas que, pelo sucesso que mantêm desde que surgiu, já poderia ter DEZENAS de coletâneas com as mesmas músicas, como quase todos os artistas da MPB. E mesmo sendo uma coletânea, o fato de vir não somente com os grandes hits da carreira de Marisa, mas sim com canções que não estão na sua discografia oficial, já fazem dessa compilação muito mais do que um mero "prato requentado", como disse nosso colega ali em cima. É o tipo de coletânea que tem quase o mesmo peso de um disco oficial, coisa que gente do mercado pesado de discos, como Madonna, por exemplo - quem esqueceu a maravilhosa "Immaculate Collection"? - costuma fazer quando coloca coletâneas no mercado.