Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Rita Benneditto se banha nas águas de Clara e Djavan no disco 'Encanto'

Música dos compositores cariocas João Nogueira (1941 - 2000) e Paulo César Pinheiro que abriu o 12º álbum da cantora mineira Clara Nunes (1942 - 1983), Esperança (EMI-Odeon, 1979), Banho de manjericão ganha a voz de Rita Benneditto. O samba integra o repertório do sexto álbum solo da cantora maranhense, Encanto, produzido por Felipe Pinaud e Lancaster Lopes. No disco, que vai ser lançado neste segundo semestre de 2014, Rita também dá voz a Água - música de Djavan, lançada pelo cantor e compositor alagoano em álbum de 1978 - e ao mambo cubano Babalu (Margarita Lecuona, 1939), na versão em português gravada em 1958 pela cantora fluminense Angela Maria. Há também no CD regravações de (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1978) e de Extra (Gilberto Gil, 1983), esta feita com a adesão do grupo carioca Reggae B (projeto de Bi Ribeiro, baixista dos Paralamas do Sucesso). Entre as inéditas, Rita Benneditto - em foto de Elisa Horta - apresenta Pedra do tempo (Felipe Pinaud, Lancaster Lopes e Rita Benneditto), De mina (Josias Sobrinho) - faixa gravada com a participação do cantor, compositor e guitarrista carioca Roberto Frejat - e O que é dela é meu (Arlindo Cruz, Rogê e Marcelinho Moreira), samba cantado em dueto com o compositor carioca Arlindo Cruz. 

8 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Música dos compositores cariocas João Nogueira (1941 - 2000) e Paulo César Pinheiro que abriu o 12º álbum da cantora mineira Clara Nunes (1942 - 1983), Esperança (EMI-Odeon, 1979), Banho de manjericão ganha a voz de Rita Benneditto. O samba integra o repertório do sexto álbum solo da cantora maranhense, Encanto, produzido por Felipe Pinaud e Lancaster Lopes. No disco, que vai ser lançado neste segundo semestre de 2014, Rita também dá voz a Água - música de Djavan, lançada pelo cantor e compositor alagoano em álbum de 1978 - e ao mambo cubano Babalu (Margarita Lecuona, 1939), na versão em português gravada em 1958 pela cantora fluminense Angela Maria. Há também no CD regravações de Fé (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1978) e de Extra (Gilberto Gil, 1983), esta feita com a adesão do grupo carioca Reggae B (projeto de Bi Ribeiro, baixista dos Paralamas do Sucesso). Entre as inéditas, Rita Benneditto - em foto de Elisa Horta - apresenta Pedra do tempo (Felipe Pinaud, Lancaster Lopes e Rita Benneditto), De mina (Josias Sobrinho) - faixa gravada com a participação do cantor, compositor e guitarrista carioca Roberto Frejat - e O que é dela é meu (Arlindo Cruz, Rogê e Marcelinho Moreira), samba cantado em dueto com o compositor carioca Arlindo Cruz.

Raffa disse...

"Água" é uma boa escolha de Rita, pois vai na fase mais fértil ("Voz e o Violão" à "Luz") do Djavan. Agora, essa "Babalu" foi regravada pela Daúde, no recente "Código Daúde"; difícil será não comparar como ocorreu com Cibelle e Silvia Machete ao regravarem no mesmo ano "Underneath The Mango Tree", nos respectivos "Las Vênus Resort Palace Hotel" e "Extravaganza". Tomara que venha à altura da gravação da Daúde!

Rafael M. disse...

Linda foto da Rita. Poderia até servir para a capa do disco. Ela realmente é um encanto.

Fábio disse...

Que bom! Já tinha passado (e muito) da hora de virar a página do Tecnomacumba.

Ekedji Lu Pereira disse...

Parabéns Rita!!!! Com certeza Encanto virá para nos encantar ainda mais com os seus trabalhos. Aguardo ansiosa o lançamento. \o/ Muito axé!!! Beijos. Lu.

Livia Olival disse...

Ritaaaaaaaa vc é uma deusa ♡♡♡♡♡

ADEMAR AMANCIO disse...

Me parece que ninguém regrava "Conceição",enquanto Babalu...

Galex disse...

E a Diva imortal Clara Nunes continua abastecendo o repertório das atuais cantoras. Em "Banho de Manjericão", Clara deu um show vocal, com agudos impressionantes. Naturalmente, Rita não tem o mesmo poder de voz, mas imagino que a regravação dela tenha ficado legal, já que Rita é bem afinada e tem uma voz doce e agradável.