Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


terça-feira, 10 de novembro de 2015

Leo Russo foca, no EP 'Olhos teus', universo musical que vai além do samba

Resenha de EP digital
Título: Olhos teus
Artista: Leo Russo
Gravadora: Biscoito Fino
Cotação: * * * 1/2

Leo Russo tomou partido do melhor samba produzido na cidade do Rio de Janeiro (RJ) ao gravar seu promissor primeiro álbum, Leo Russo, produzido por Rildo Hora e editado de forma independente em outubro de 2013. Dois anos depois, o cantor e compositor carioca dá prévia de seu segundo álbum com EP, Olhos teus, que vai ser lançado nas plataformas digitais em 27 de novembro de 2015 através da gravadora Biscoito Fino. O disco apresenta quatro músicas inéditas de autoria do artista. E a surpresa é que, em Olhos teus, Russo foca universo musical mais amplo que vai além do samba sem deixar o ritmo de lado. A mais inspirada das quatro músicas é a que batiza o EP, Olhos teus (Língua dos olhos), bela valsa de tom seresteiro, orquestrada com cordas em arranjo vintage. Produzido pelo próprio Leo Russo, em parceria com Lucio Fernandes, o EP apresenta também um fox, Mais uma taça (Leo Russo), no qual o cantor e compositor cria clima sensual de romance, sugerindo intimidade diluída pelo dispensável coro da faixa. Coro à parte, o clima é valorizado pelo canto de Russo e pelo arranjo de Julinho Teixeira, pontuado pelo toque da gaita de Rildo Hora. Nos dois sambas do EP, Russo destila certo desencanto com o mundo, sentimento explicitado em Leva o jornal (Leo Russo e Gisa Nogueira) através de crítica direta à mídia propagadora das notícias que o artista prefere não ler. Já no outro (grande) samba, Se eu não vejo você (Dane-se o mundo), composto por Russo com Ronaldo Jr. e arranjado com o toque do violino de Nicolas Krassic, o panorama também é sombrio, apesar do sol refletido no espelho do carro. Mas a visão desesperançosa do mundo - exposta pela ótica da personagem que enxerga a vida a partir do volante do carro - pode ser revertida se a mulher amada entrar no foco. De inspiração buarquiana, o melhor samba do EP confirma Leo Russo como um compositor ao qual se deve prestar atenção. No primeiro álbum, o cantor se valeu de alguns sambas conhecidos para garantir a coesão do repertório. Neste EP de quatro músicas, cuja edição é somente digital, Russo recorre somente à própria produção autoral. E o bom resultado do disco faz supor que vem por aí, em 2016, um segundo álbum mais diversificado, mais corajoso e mais ambicioso do que o primeiro.

3 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Leo Russo tomou partido do melhor samba produzido na cidade do Rio de Janeiro (RJ) ao gravar seu promissor primeiro álbum, Leo Russo, produzido por Rildo Hora e editado de forma independente em outubro de 2013. Dois anos depois, o cantor e compositor carioca dá prévia de seu segundo álbum com EP, Olhos teus, que vai ser lançado nas plataformas digitais em 27 de novembro de 2015 através da gravadora Biscoito Fino. O disco apresenta quatro músicas inéditas de autoria do artista. E a surpresa é que, em Olhos teus, Russo foca universo musical mais amplo que vai além do samba sem deixar o ritmo de lado. A mais inspirada das quatro músicas é a que batiza o EP, Olhos teus (Língua dos olhos), bela valsa de tom seresteiro, orquestrada com cordas em arranjo vintage. Produzido pelo próprio Leo Russo, em parceria com Lucio Fernandes, o EP apresenta também um fox, Mais uma taça (Leo Russo), no qual o cantor e compositor cria clima sensual de romance, sugerindo intimidade diluída pelo dispensável coro da faixa. Coro à parte, o clima é valorizado pelo canto de Russo e pelo arranjo de Julinho Teixeira, pontuado pelo toque da gaita de Rildo Hora. Nos dois sambas do EP, Russo destila certo desencanto com o mundo, sentimento explicitado em Leva o jornal (Leo Russo e Gisa Nogueira) através de crítica direta à mídia propagadora das notícias que o artista prefere não ler. Já no outro (grande) samba, Se eu não vejo você (Dane-se o mundo), composto por Russo com Ronaldo Jr. e arranjado com o toque do violino de Nicolas Krassic, o panorama também é sombrio, apesar do sol refletido no espelho do carro. Mas a visão desesperançosa do mundo - exposta pela ótica da personagem que enxerga a vida a partir do volante do carro - pode ser revertida se a mulher amada entrar no foco. De inspiração buarquiana, o melhor samba do EP confirma Leo Russo como um compositor ao qual se deve prestar atenção. No primeiro álbum, o cantor se valeu de alguns sambas conhecidos para garantir a coesão do repertório. Neste EP de quatro músicas, cuja edição é somente digital, Russo recorre somente à própria produção autoral. E o bom resultado do disco faz supor que vem por aí, em 2016, um segundo álbum mais diversificado, mais corajoso e mais ambicioso do que o primeiro.

italo vinicius disse...

Esse sabe o que samba o resto desse povo que diz que faz samba na verdade só faz piada

Ricardo disse...

Linda sua matéria,Leo Russo grande poeta.... de uma cultura musical maravilhosa......excelente pessoa,merece todo sucesso do mundo....esse menino vai longe.....Abrss...Helô.