Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quarta-feira, 6 de maio de 2015

Gadú revela capa, faixa e músicos de seu terceiro álbum de estúdio, 'Guelã'

Com capa que expõe foto de Catharina Suleiman no projeto gráfico de Luisa Corsini, o terceiro álbum de estúdio de Maria Gadú, Guelã, tem produção assinada pela própria artista paulistana. Gadú também assina  a arte do disco em parceria com Lua Leça e Luisa Corsini. Coproduzido pelo músico Federico Puppi, que toca violoncelo e baixo no disco, Guelã alinha dez músicas inéditas no repertório essencialmente autoral. Com lançamento agendado para o começo de junho de 2015, em edição do selo Slap que vai ser distribuída pela gravadora Som Livre, o CD Guelã foi gravado e mixado por Rodrigo Vidal no estúdio Toca do Bandido, no Rio de Janeiro (RJ). Além de dar voz às músicas, Gadú toca violão e guitarra no CD feito com os músicos Lancaster Pinto (baixo), Doga (percussão) e Tomaz Lenz (bateria), além do já mencionado Federico Puppi. Além de revelar a capa e a ficha técnica do disco, cuja produção executiva foi capitaneada por Luis Felipe Couto, Gadú já pôs em rotação o primeiro single de Guelã. Trata-se de Obloco, parceria da cantora e compositora com Maycon Ananias. Eis a  letra da (boa) música, em rotação em vídeo no YouTube:

obloco 
(Maria Gadú e Maycon Ananias)

quando eu lançar meu bloco 
o bloco dos sem medo
um bloco happy
um bloco crente
um bloco black 
um bloco free
quando eu dançar pro povo
vou de bloco de cimento
eu vou correndo
eu vou dizendo
esse bloco é lindo
demais
assim
eu já vejo juntando gente
de todo tipo
com belas vestes
bailando leves
na madrugada
a manhã
virá
ver
obloco
fora do carnaval
no chão do inverno
e
a
lua
vai
ter um recital
do povo contente aos berros na rua

pra fazer do povo saudade
esse bloco canta
vidas inteiras
e a multidão
que se afoga
ao dia
essa noite
é
porta estandarte
quando ao auge
o corpo
exala
paixões florais
pela própria dança
ninguém se fala
ninguém se cansa
a
alma
é
o
pulso
do
bloco

15 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Com capa que expõe foto de Catharina Suleiman no projeto gráfico de Luisa Corsini, o terceiro álbum de estúdio de Maria Gadú, Guelã, tem produção assinada pela própria artista paulistana. Gadu também assina a arte do disco em parceria com Lua Leça e Luisa Corsini. Coproduzido pelo músico Federico Puppi, que toca violoncelo e baixo no disco, Guelã alinha dez músicas inéditas no repertório essencialmente autoral. Com lançamento previsto para o fim deste mês maio de 2015, em edição do selo Slap que vai ser distribuída pela gravadora Som Livre, Guelã foi gravado e mixado por Rodrigo Vidal no estúdio Toca do Bandido, no Rio de Janeiro (RJ). Além de dar voz às músicas, Gadu toca violão e guitarra no CD feito com os músicos Lancaster Pinto (baixo), Doga (percussão) e Tomaz Leno (bateria), além do já mencionado Federico Puppi. Além de revelar a capa e a ficha técnica do disco, cuja produção executiva foi capitaneada por Luis Felipe Couto, Gadú já pôs em rotação o primeiro single de Guelã. Trata-se de Obloco, parceria da cantora e compositora com Maycon Ananias.

Rafael M. disse...

A capa é fraca em termos de criatividade er o título do álbum é horrível. O que significa isto, "guelã"? Coloca título estranho só para soar cult... Deveria ter revelado todas as faixas do disco.

Fabio disse...

A voz dela está diferente!

Carla Mariana disse...

Resolveu por a cara no sol Maria?
Achei essa música mais do mesmo.
E voz dela tá um pouco mais rouca...as vezes é só pra essa música

Rafael M. disse...

Ah, a música é péssima... Fraquissima... Não mostra Gadú no seu melhor momento...

Victor Moraes, disse...

Tenho uma aversão à Gadu. Acho que ela mesmo deu margem ao desgaste da imagem dela... E umas fãs chatas que conseguem fazer a gente odiar o artista...
Apesar de tudo, vou tentar ouvir o disco com 'coração aberto', mas essa aí não rolou - tem muito lançamento melhor por aí.

Leonardo Cidreira disse...

nossa, véio!! q letra é essa?? muito fraca pra lançar como single de novo álbum! parece lado b do "mais uma página"! a melodia e arranjos se salvam... será q gadú vai frustar expectativas? ah, se alguém souber o q é ou qm é gulã, me avisem! rsrs...

guidolino disse...

Gadú deixou de ser novidade do cenário musical há muito tempo; o problema é que ela não conseguiu consolidar sua imagem como artista de MPB por flertar muito com a cultura pop do Brasil. Aparições em festas, fofocas e burburinhos fizeram com que o grande público, antes apaixonado pela voz rouca e personalidade da baixinha, pegasse certa antipatia à tudo que leva o nome de Maria Gadú. E quando ela resolveu colocar a cara no sol, volta com um trabalho muito aquém do nós esperávamos. Três anos e meio após o lançamento de seu segundo disco de estúdio, ela aparece com apenas dez músicas inéditas, o que parece ser pouco para os fãs sedentos de novidades. A arte da capa é horrenda, daquelas que afugentam novos ouvintes que (ainda) julgam um conteúdo pela embalagem. O título então é algo não definido, deixando um mistério que acaba por desanimar e entristecer os antigos seguidores. A música é um mais do mesmo, fórmula que ela repetiu em "Mais uma página" e que deixa claro que a Gadú não quer abandonar sua zona de conforto.

Se nos basearmos nessa música, podemos afirmar que esse será o maior fracasso da carreira de Maria Gadú. Mas aguardemos o restante das faixas e a explicação do título.

Rhenan Rodrigo disse...

Ouço Gadú desde o MySpace e gosto muito, apesar de ter criado birra na época do primeiro DVD. Adorei a "Obloco". Ouvi um monte! E acho muito engraçado essa irritação com o título, haha! Aguardando...

Otavio Teles disse...

Adoro a gadú, mas o disco está muito ruim. Não consegui gostar de uma música sequer, muito fraco, fraquíssimo. Vai ter que ralar mais no próximo. Resumindo horrível.
Disse que está mais madura, eu prefiro aquela gadú verde do primeiro disco.

Mayh Lynny disse...

A capa de “Guelã” (palavra do criolo que quer dizer “gaivota”) foi idealizada por Gadú, Luísa Corsini e Lua Leça (esposa da cantora) a partir de um trabalho da fotógrafa Catharina Suleiman. (Retirado do Site O Globo).

Victor Cardoso. disse...

É mais que comum, encontrar uma matéria tão cheia de criatividade e conteúdo, ainda mais se tratando de um trabalho tão incrível como Guelã, e ver que o capitalismo tem tantos adeptos sem causa, cegos e ignorantes quanto à arte, reclamando do que não compreendem. Só querem saber de "músicas" que dão dinheiro e tem letra "chiclete" e clichê. Esse tipo de gente não consegue se adaptar a mudanças, e se esquecem que, independente de suas opiniões, a cultura criativa e revolucionária, ta por ai, fazendo arte e alegria. Gadú ta de parabéns, não só por escrever e cantar esse projeto incrível, mas por não se deixar levar por esse país bipolar e fazer algo tão inovador, tanto pra ela quanto pros outros.
Parabéns pro blog também, ta tudo incrível, e amei a poesia na letra, fez parecer mais mágico ainda, fico feliz de ter encontrado esse lugar, boa sorte e continue fazendo essas matérias espetaculares, e, apesar da críticas, existem os elogios...

Victor Cardoso. disse...

É mais que comum, encontrar uma matéria tão cheia de criatividade e conteúdo, ainda mais se tratando de um trabalho tão incrível como Guelã, e ver que o capitalismo tem tantos adeptos sem causa, cegos e ignorantes quanto à arte, reclamando do que não compreendem. Só querem saber de "músicas" que dão dinheiro e tem letra "chiclete" e clichê. Esse tipo de gente não consegue se adaptar a mudanças, e se esquecem que, independente de suas opiniões, a cultura criativa e revolucionária, ta por ai, fazendo arte e alegria. Gadú ta de parabéns, não só por escrever e cantar esse projeto incrível, mas por não se deixar levar por esse país bipolar e fazer algo tão inovador, tanto pra ela quanto pros outros.
Parabéns pro blog também, ta tudo incrível, e amei a poesia na letra, fez parecer mais mágico ainda, fico feliz de ter encontrado esse lugar, boa sorte e continue fazendo essas matérias espetaculares, e, apesar da críticas, existem os elogios...

Unknown disse...

Achei a letra incrível, e a capa também. Pura arte e criatividade. Gadu nao quer unanimidade, quer seu publico cativo e apreciador de novidades. Obrigado por continuar produzindo, Gadu, vc é única!

Roanna Dourado disse...

Nada neste disco é sem significado. Se você não soube discernir não se exponha com argumentos fracos.