Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quinta-feira, 14 de maio de 2015

Disco 'Made in Brazil' de Eliane Elias podia ter sido feito nos Estados Unidos

Resenha de CD
Título: Made in Brazil
Artista: Eliane Elias
Gravadora: Concord Jazz / Universal Music
Cotação: * * *

Como já alardeado no título, o álbum Made in Brazil é o primeiro disco feito pela pianista, compositora e cantora paulistana Eliane Elias no seu país natal desde que a artista se radicou nos Estados Unidos em 1981. Mas o fato é que Made in Brazil - álbum que teve gravações adicionais nos estúdios Abbey Road em Londres, cidade onde foram captados os instrumentos da orquestra regida pelo maestro Rob Mathes e ouvida em sete das 12 músicas - soa como se tivesse sido feito nos Estados Unidos. Por mais que tenha sido gravado com adesões eventuais de músicos brasileiros como Roberto Menescal, cuja guitarra eletroacústica é ouvida em Você (Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli em versão em inglês de Ray Gilbert, 1966) e em Rio (Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli, 1963), Made in Brazil filtra o samba e a bossa nova pela estética americanizada que pauta a discografia de Elias. Esse tom fica nítido já na abordagem desbotada do samba Aquarela do Brasil (Ary Barroso, 1939) que abre o disco. De qualquer modo, Made in Brazil reforça o sotaque pop que vem dando o tom da obra fonográfica da artista. Essa face pop é exposta inclusive nas músicas inéditas compostas por Elias para Made in Brazil. Balada melodiosa da lavra solitária da artista gravada com o vocal de Ed Motta, Vida (If not you) - destaque desse repertório autoral - exemplifica a guinada pop dada por Elias, em movimento similar ao feito por sua colega canadense Diana Krall. Sim, o jazz também está entranhado no disco em passagens instrumentais nas quais sobressaem o piano de Elias, como na parte final do registro do samba Águas de março (Antonio Carlos Jobim, 1972). Aliás, por mais que apresente inéditas autorais como Seaching, Made in Brazil acaba se escorando na música soberana de Jobim, representada também pelo medley que junta Este seu olhar (Antonio Carlos Jobim, 1959) e Só em teus braços (Antonio Carlos Jobim, 1959), música creditada com seu título alternativo Promessas. Enfim, há indiscutível refinamento na produção orquestrada por Elias, Marc Johnson e Steve Rodby. Mas falta a brasilidade sugerida pelo título. No fecho do disco, o registro do samba No tabuleiro da baiana (Ary Barroso, 1936) reitera que falta um sabor mais nativo aos quitutes preparados por Eliane Elias em Made in Brazil.

9 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Como já alardeado no título, o álbum Made in Brazil é o primeiro disco feito pela pianista, compositora e cantora paulistana Eliane Elias no seu país natal desde que a artista se radicou nos Estados Unidos em 1981. Mas o fato é que Made in Brazil - álbum que teve gravações adicionais nos estúdios Abbey Road em Londres, cidade onde foram captados os instrumentos da orquestra regida pelo maestro Rob Mathes e ouvida em sete das 12 músicas - soa como se tivesse sido feito nos Estados Unidos. Por mais que tenha sido gravado com adesões eventuais de músicos brasileiros como Roberto Menescal, cuja guitarra eletroacústica é ouvida em Você (Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli em versão em inglês de Ray Gilbert, 1966) e em Rio (Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli, 1963), Made in Brazil filtra o samba e a bossa nova pela estética americanizada que pauta a discografia de Elias. Esse tom fica nítido já na abordagem desbotada do samba Aquarela do Brasil (Ary Barroso, 1939) que abre o disco. De qualquer modo, Made in Brazil reforça o sotaque pop que vem dando o tom da obra fonográfica da artista. Essa face pop é exposta inclusive nas músicas inéditas compostas por Elias para Made in Brazil. Balada melodiosa da lavra solitária da artista gravada com o vocal de Ed Motta, Vida (If not you) - destaque desse repertório autoral - exemplifica a guinada pop dada por Elias, em movimento similar ao feito por sua colega canadense Diana Krall. Sim, o jazz também está entranhado no disco em passagens instrumentais nas quais sobressaem o piano de Elias, como na parte final do registro do samba Águas de março (Antonio Carlos Jobim, 1972). Aliás, por mais que apresente inéditas autorais como Seaching, Made in Brazil acaba se escorando na música soberana de Jobim, representada também pelo medley que junta Este seu olhar (Antonio Carlos Jobim, 1959) e Só em teus braços (Antonio Carlos Jobim, 1959), música creditada com seu título alternativo Promessas. Enfim, há indiscutível refinamento na produção orquestrada por Elias, Marc Johnson e Steve Rodby. Mas falta a brasilidade sugerida pelo título. No fecho do disco, o registro do samba No tabuleiro da baiana (Ary Barroso, 1936) reitera que falta um sabor mais nativo aos quitutes preparados por Eliane Elias em Made in Brazil.

tony disse...

O cd ta otimo não esculhamba pior e essas merdas que ta na rádio e TV

Dona Emengarda disse...

Tony, leia a crítica novamente.
Em momento algum o álbum foi "esculhambado"'

Unknown disse...

http://new.d24am.com/plus/musica/pianista-brasileira-eliane-elias-ganha-grammy-pelo-album-made-brazil/147170

Unknown disse...

http://new.d24am.com/plus/musica/pianista-brasileira-eliane-elias-ganha-grammy-pelo-album-made-brazil/147170

Tito Vaz disse...

http://new.d24am.com/plus/musica/pianista-brasileira-eliane-elias-ganha-grammy-pelo-album-made-brazil/147170

Tito Vaz disse...

http://new.d24am.com/plus/musica/pianista-brasileira-eliane-elias-ganha-grammy-pelo-album-made-brazil/147170

Tito Vaz disse...

http://new.d24am.com/plus/musica/pianista-brasileira-eliane-elias-ganha-grammy-pelo-album-made-brazil/147170

Tito Vaz disse...

http://new.d24am.com/plus/musica/pianista-brasileira-eliane-elias-ganha-grammy-pelo-album-made-brazil/147170