Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Álbum do Ira! volta ao formato de vinil com óculos 3D da edição de 1988

 Há 27 anos, os compradores da edição original de Psicoacústica (Warner Music, 1988) - o terceiro álbum do Ira! - receberam sem ônus, com a cópia do LP, um óculos 3D para poder visualizar todas as dimensões da capa dupla do vinil. Esse par de óculos volta ao catálogo com a reedição do disco na série Clássicos em vinil, da Polysom. A edição em vinil de 180 gramas de Psicoacústica (foto) chega ao mercado fonográfico neste mês de fevereiro de 2015 juntamente com as edições em vinil dos dois primeiros álbuns do grupo paulistano, Mudança de comportamento (Warner Music, 1985) e Vivendo e não aprendendo (Warner Music, 1986). Dos três álbuns reeditados, Psicoacústica é o mais mal-sucedido do ponto de vista comercial, mas é um disco que apontou caminhos para o rock dos anos 1990 ao flertar com a cultura do hip hop e com uma certa brasilidade em músicas como Advogado do diabo (André Jung e Marcos Valadão).

5 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Há 27 anos, os compradores da edição original de Psicoacústica (Warner Music, 1988) - o terceiro álbum do Ira! - receberam sem ônus, com a cópia do LP, um óculos 3D para poder visualizar todas as dimensões da capa dupla do vinil. Esse par de óculos volta ao catálogo com a reedição do disco na série Clássicos em vinil, da Polysom. A edição em vinil de 180 gramas de Psicoacústica (foto) chega ao mercado fonográfico neste mês de fevereiro de 2015 juntamente com as edições em vinil dos dois primeiros álbuns do grupo paulistano, Mudança de comportamento (Warner Music, 1985) e Vivendo e não aprendendo (Warner Music, 1986). Dos três álbuns reeditados, Psicoacústica é o mais mal-sucedido do ponto de vista comercial, mas é um disco que apontou caminhos para o rock dos anos 1990 ao flertar com a cultura do hip hop e com uma certa brasilidade em músicas como Advogado do diabo (André Jung e Marcos Valadão).

Luca disse...

o melhor deles são os dois primeiros

Manoel Leite disse...

Um disco indispensável do Ira! (Psicoacústico)

Carlos Nunes Carlao disse...

O melhor disco do BRock, sem sombras de dúvidas. Um clássico.

Carlos Nunes Carlao disse...

O melhor disco do BRock, sem sombras de dúvidas. Um clássico.