Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sábado, 12 de dezembro de 2015

RETROSPECTIVA 2015 – Caetano e Gil reabrem parceria em turnê fenomenal

RETROSPECTIVA 2015 – A rigor, se somadas, as trajetórias profissionais de Caetano Veloso e Gilberto Gil já totalizam mais de um século de música, já que ambos os artistas deram os primeiros passos na carreira antes de 1965. Mas o fato é, ao fechar a conta de 2015, poucos artistas saem deste ano com tanto sucesso artístico e comercial como os cantores, compositores e músicos baianos. Caetano e Gil - em foto de Fernando Young - se reuniram em show, Dois amigos, um século de música, que se tornou concorrido desde a estreia mundial da turnê, em 25 de junho, em Amsterdam, nos Países Baixos. Ao chegar ao Brasil, em rota nacional iniciada pela cidade de São Paulo (SP) em 20 de agosto, o êxito da turnê adquiriu caráter fenomenal, com ingressos esgotados em horas. Para a estreia nacional do show em São Paulo, aliás, Caetano e Gil retomaram a parceria e apresentaram o samba As camélias do quilombo do Leblon, primeira música que compuseram juntos desde 1993. Foi em São Paulo que o show foi gravado ao vivo para edição de DVD e CD duplos lançados em dezembro pela gravadora Sony Music. Em sinal de mudança de relação entre artistas e gravadoras diante da decomposição do mercado fonográfico nativo, Dois amigos, um século de música - Multishow ao vivo foi o primeiro produto fonográfico lançado por Caetano sem vínculo contratual com a companhia fonográfica atualmente denominada Universal Music (ele já havia lançado eventualmente discos por outros selos, mas até então sob licença da gravadora na qual entrou em 1967). Clique aqui para (re)ler a resenha de apresentação carioca de Dois amigos, um século de música - show fenomenal no sentido artístico e também no comercial. Foi luxo só!...

3 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ RETROSPECTIVA 2015 – A rigor, se somadas, as trajetórias profissionais de Caetano Veloso e Gilberto Gil já totalizam mais de um século de música, já que ambos os artistas deram os primeiros passos na carreira antes de 1965. Mas o fato é, ao fechar a conta de 2015, poucos artistas saem deste ano com tanto sucesso artístico e comercial como os cantores, compositores e músicos baianos. Caetano e Gil - em foto de Fernando Young - se reuniram em show, Dois amigos, um século de música, que se tornou concorrido desde a estreia mundial da turnê, em 25 de junho, em Amsterdam, nos Países Baixos. Ao chegar ao Brasil, em rota nacional iniciada pela cidade de São Paulo (SP) em 20 de agosto, o êxito da turnê adquiriu caráter fenomenal, com ingressos esgotados em horas. Para a estreia nacional do show em São Paulo, aliás, Caetano e Gil retomaram a parceria e apresentaram o samba As camélias do quilombo do Leblon, primeira música que compuseram juntos desde 1993. Foi em São Paulo que o show foi gravado ao vivo para edição de DVD e CD duplos lançados em dezembro pela gravadora Sony Music. Em sinal de mudança de relação entre artistas e gravadoras diante da decomposição do mercado fonográfico nativo, Dois amigos, um século de música - Multishow ao vivo foi o primeiro produto fonográfico lançado por Caetano sem vínculo contratual com a companhia fonográfica atualmente denominada Universal Music (ele já havia lançado eventualmente discos por outros selos, mas até então sob licença da gravadora na qual entrou em 1967). Clique aqui para (re)ler a resenha de apresentação carioca de Dois amigos, um século de música - show fenomenal no sentido artístico e também no comercial. Foi luxo só!...

Rafael M. disse...

Turnê ótima, mas confesso que fiquei um pouco desapontado com o disco... Poderiam ter escolhido músicas menos famosas do repertório... Só ficaram nos grandes sucessos...

Estalactites hemorrágicas disse...

Gente, então.
O Show é mediano dentro da carreira desses dois dos melhores compositores de nossa MPB. Pronto, falei.


Ricardo Sérgio