Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Lulu se joga na pista do funk com single em que revigora o hit d'As Meninas

Resenha de single digital
Título: Xibom bombom
Artista: Lulu Santos
Gravadora: Los Santos Entretenimento
Cotação: * * * *

Em 1999, o grupo baiano As Meninas do Forró - então com o nome já simplificado para As Meninas - incursionou pelo universo da axé music e lançou álbum batizado com o nome da música que seria o único grande hit do grupo, que surgiu em 1997 e se desfez em 2009. De autoria dos compositores Rogério Gaspar e Wesley Rangel, Xibom bombom foi uma das músicas mais tocadas no Brasil entre 1999 e 2000. Decorridos 16 anos do lançamento, Xibom bombom ganha frescor e vigor em single digital que reitera o faro de Lulu Santos para repaginar sucessos populares de lavra alheia. Na gravação de Lulu, Xibom bombom é jogada pista em irresistível mix de beats eletrônicos, batidas funkeadas - o refrão é turbinado com grito que remete ao famoso uh! tererê, brado dos bailes da pesada - e sons futuristas. Com Lulu Santos, o de baixo sobe, contrariando o refrão-chiclete do axé que fez leve crítica social - ainda atual no Brasil de 2015. O single é xibom demais!

13 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Em 1999, o grupo baiano As Meninas do Forró - então com o nome já simplificado para As Meninas - incursionou pelo universo da axé music e lançou álbum batizado com o nome da música que seria o único grande hit do grupo, que surgiu em 1997 e se desfez em 2009. De autoria dos compositores Rogério Gaspar e Wesley Rangel, Xibom bombom foi uma das músicas mais tocadas no Brasil entre 1999 e 2000. Decorridos 16 anos do lançamento, Xibom bombom ganha frescor e vigor em single digital que reitera o faro de Lulu Santos para repaginar sucessos populares de lavra alheia. Na gravação de Lulu, Xibom bombom é jogada pista em irresistível mix de beats eletrônicos, batidas funkeadas - o refrão é turbinado com grito que remete ao famoso uh! tererê, brado dos bailes da pesada - e sons futuristas. Com Lulu Santos, o de baixo sobe, contrariando o refrão-chiclete do axé que fez leve crítica social - ainda atual no Brasil de 2015. O single é xibom demais!

Rafael M. disse...

Lulu Santos tá apelando feio... Que horror!!!

Fred Alves disse...

Decadencia total

Marcelo disse...

Deve ser uma alucinação!!! Vou ler de novo...

Cassius Burle disse...

Que decadência...não me surpreenderia se Lulu Santos gravar um cover de ´Telma eu não sou gay´ou alguma idiotice parecida!

Bernardo Barroso Neto disse...

Lulu Santos não precisava disso. Tá apelando.

Victor Moraes, disse...

Eu vi dentre os lançamentos do spotify. Lulu com uma boa mídia não emplacou nada inédito, mas foi bem num box...resultado: pareceu um pouco desesperado. Mas quando vi o lançamento na sexta, no spotify, achei bem divertido. Por ele poderia ir lançando várias regravações assim, periodicamente e depois çançar um show "bailão". Seria interessante.

Daniel disse...

Parafraseando "As Meninas", Lulu devia analisar sua cadeia hereditária e se livrar "dessa situação precária"!

Felipe dos Santos disse...

Apelação? Não acho.

Lulu SEMPRE mostrou simpatia pelo axé. Desde os tempos de "Lei da selva", lançada no cada vez mais longínquo 1989, passando pelas forças dadas a Daniela Mercury e a Ivete (na Banda Eva e fora dela)... ou seja, não está forçando a barra.

O que acho: é repetição.

Isso de "repaginar sucessos de lavra alheia" com novos beats, samples espertos... ora, Lulu já fez isso. Fez até com a roupagem "pancadão" usada agora, em "Deixa isso pra lá", lançado em single e colocado depois em "Longplay".

Ou seja, embora tenha a competência pop habitual de Luis Maurício, não é nada de novo. E nem acho que seja nada de se impressionar. De frescor não tem muito, não.

Além do mais, "Toca + Lulu" (DVD inoportuno, como ele mesmo assumiu ao Multishow) está sendo "combatido" com... outra turnê ao vivo! Pois não é isso que constitui "Clube Lux", mesmo com a adição do DJ Sany Pitbull e a volta de Milton Guedes?

Uma pena, pois Lulu pode ter suas idiossincrasias, mas é tremendamente inteligente neste negócio de cultura pop. Só que está começando a contrariar um comentário que o frequente Luca fez aqui no blog: "lulu é o cara, sempre olhando pra frente, faz um ao vivo aqui e outro ali para agradar ao mercado mas sempre olha pra frente". Pois bem: agora anda olhando um pouco demais para os lados.

Felipe dos Santos Souza

Marcelo disse...

O "Cauby Peixoto" do POP atirando pra todo lado... O que o "The Voice" não faz com a pessoa!!? ;)

Rafael M. disse...

Concordo com o Marcelo, o que o The Voice não faz com a pessoa, né??? Esse daí está desesperadamente querendo um novo sucesso, nem que seja cantar isso... Se bobear, grava na boquinha da garrafa também...

Yan disse...

amo Lulu, mas não. Não rolou.

Rhenan Soares disse...

Eu o vi cantando a música no The Voice e achei ótimo. Adoro a música!