Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

RETROSPECTIVA 2015 – Filho de Cássia, Chico faz shows e lança bom álbum

RETROSPECTIVA 2015 – Ao longo do ano, Francisco Ribeiro Eller começou a deixar de ser o Chicão - como o filho da cantora Cássia Eller (1962 - 2001) era chamado e conhecido em casa e no meio musical - para se tornar Chico Chico, nome artístico que escolheu para se lançar como cantor e compositor. Ainda é impossível dissociá-lo por completo da mãe, mas o rapaz de 22 anos tem feito a parte dele ao se decidir pela carreira musical. Nos shows que fez em 2015 no circuito alternativo da cidade do Rio de Janeiro (RJ), onde nasceu em agosto de 1993, Chico cantou essencialmente músicas autorais e evitou o repertório de Cássia, a quem já evoca naturalmente por conta do timbre e do jeito casual de se vestir e de se portar em cena. A busca por personalidade própria guiou o jovem artista na gravação do primeiro álbum, assinado pela 2 x 0 Vargem Alta, banda fluminense que integra e com a qual Chico Chico tem dado decisivos passos musicais para pavimentar caminho próprio na música e na vida. Produzido pelo violonista Rodrigo Garcia, o (bom) disco foi lançado em outubro pelo selo Porangareté, com a distribuição da Coqueiro Verde Records.

4 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ RETROSPECTIVA 2015 – Ao longo do ano, Francisco Ribeiro Eller começou a deixar de ser o Chicão - como o filho da cantora Cássia Eller (1962 - 2001) era chamado e conhecido em casa e no meio musical - para se tornar Chico Chico, nome artístico que escolheu para se lançar como cantor e compositor. Ainda é impossível dissociá-lo por completo da mãe, mas o rapaz de 22 anos tem feito a parte dele ao se decidir pela carreira musical. Nos shows que fez em 2015 no circuito alternativo da cidade do Rio de Janeiro (RJ), onde nasceu em agosto de 1993, Chico cantou essencialmente músicas autorais e evitou o repertório de Cássia, a quem já evoca naturalmente por conta do timbre e do jeito casual de se vestir e de se portar em cena. A busca por personalidade própria guiou o jovem artista na gravação do primeiro álbum, assinado pela 2 x 0 Vargem Alta, banda fluminense que integra e com a qual Chico Chico tem dado decisivos passos musicais para pavimentar caminho próprio na música e na vida. Produzido pelo violonista Rodrigo Garcia, o (bom) disco foi lançado em outubro pelo selo Porangareté, com a distribuição da Coqueiro Verde Records.

Victor Moraes, disse...

Muito bom o disco de estréia. Não sei se reproduz ao vivo a qualidade do álbum ainda, mas adoraria conferir. O cd tá ótimo, e a faixa "notas de cem" está excelente.

Fred Alves disse...

Moleque tem muito futuro

Rhenan Soares disse...

Ouvi muuuito o disco. É excelente! Um dos meus preferidos do ano. É disco pra ouvir e assobiar e só. Guardadas as obrigações de admiração / análise técnica ou poética. Não dá trabalho. Não precisa fazer esforço.