Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Caixa com os álbuns feitos por Ney nos anos 1970 inclui tema raro de novela

Em 1976, Ney Matogrosso gravou duas vezes o samba Pra não morrer de tristeza (João Silva e K-Boclinho, 1965). Uma gravação entrou no segundo álbum solo do cantor, Bandido, editado pela extinta gravadora Continental em 1976. O outro registro foi produzido para a trilha sonora da novela Saramandaia, exibida pela TV Globo naquele mesmo ano de 1976. Mais raro, embora tenha sido incluído na coletânea criada para a caixa Metamorfoses (Universal Music, 2011), o fonograma da trilha sonora da novela é uma das faixas-bônus incluídas pelo pesquisador musical Rodrigo Faour nas atuais reedições em CD dos seis álbuns gravados pelo cantor mato-grossense entre 1975 e 1980. As reedições dos álbuns Água do céu pássaro (Continental, 1975), Bandido (Continental, 1976), Pecado (Continental, 1977), Feitiço (WEA, 1978), Seu tipo (WEA, 1979) e Sujeito estranho (WEA, 1980) estão embaladas na caixa Ney Matogrosso - Anos 70, lançada pela Warner Music neste mês de dezembro de 2015. De acordo com informação exposta na contracapa externa da caixa, os seis álbuns foram remasterizados a partir das masters originais, o que qualificaria ganho em relação ao som das reedições de Água do céu pássaro, Bandido e Pecado produzidas para a caixa Camaleão (Universal Music, 2008) a partir de cópias em vinil, já que, na época, as masters dos três álbuns solos gravados por Ney na Continental - na sequência da saída do cantor do grupo Secos & Molhados - estavam perdidas (ou deterioradas, como informaram as fichas técnicas das três reedições de 2008). De todo modo, não há informação nas fichas técnicas das reedições de 2015 sobre onde e por quem foi feita a remasterização. Como as reedições da caixa Camaleão, as atuais reedições reproduzem capas, contracapas e encartes dos álbuns originais. Com eventuais atualizações, os textos sobre os discos são os mesmos escritos por Faour para as reedições de 2008.

11 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Em 1976, Ney Matogrosso gravou duas vezes o samba Pra não morrer de tristeza (João Silva e K-Boclinho, 1965). Uma gravação entrou no álbum solo Bandido, editado pela extinta gravadora Continental em 1976. A outra foi feita para a trilha sonora da novela Saramandaia, exibida pela TV Globo naquele mesmo ano de 1976. Mais raro, o fonograma da trilha sonora da novela é uma das faixas-bônus incluídas pelo pesquisador musical Rodrigo Faour nas reedições em CD dos seis álbuns gravados pelo cantor mato-grossense entre 1975 e 1980. As reedições dos álbuns Água do céu pássaro (Continental, 1975), Bandido (Continental, 1976), Pecado (Continental, 1977), Feitiço (WEA, 1978), Seu tipo (WEA, 1979) e Sujeito estranho (WEA, 1980) estão embaladas na caixa Ney Matogrosso - Anos 70, lançada pela Warner Music neste mês de dezembro de 2015. Todos os seis álbuns foram remasterizados a partir das masters originais - o que qualifica ganho de som em relação às reedições de Água do céu pássaro, Bandido e Pecado produzidas para a caixa Camaleão (Universal Music, 2008) a partir de cópias em vinil, já que, na época, as masters dos três álbuns solos gravados por Ney na Continental - na sequência da saída do cantor do grupo Secos & Molhados - estavam perdidas. As reedições reproduzem capas, contracapas e encartes originais.

Sandro CS disse...

Que notícia maravilhosa saber que acharam os masters originais dos três primeiros álbuns. Comprei a caixa "Camaleão" na época do lançamento e, embora louve o excelente trabalho do Faour, fiquei arrasado ao notar que se tratava de reprodução de vinis.

Mauro Ferreira disse...

Pois é, Sandro, acharam as masters. E isso justifica a edição da nova caixa, como vou expor na resenha a ser postada em janeiro. Abs, MauroF

José Maria Marques disse...

Como biógrafo de João Silva, isso me vai ser de muita serventia.Tenho o LP da novela, que, quando transformado em CD, não sei por que, não trouxe Prá não morrer de tristeza. Já tenho o meu presente de Natal.

José Maria Marques disse...

Como biógrafo de João Silva, me vai ser de muita serventia.Prá não morrer de tristeza foi incluída no LP da novela, mas não no sucedâneo CD. Ganhei meu Natal. Parabéns.

Tiago disse...

José, a faixa não saiu na reedição em CD da trilha da novela porque ainda havia briga judicial do Ney com a Continental - ele disse que não recebeu um centavo sequer pelos três primeiros discos. E no começo dos anos 90 a Continental os reeditou com faixas trocadas e outras capas. Pudera ele ter ficado puto...

Rafael M. disse...

Caixa maravilhosa, estou satisfeito por terem achado as masters...

Mauro Silva disse...

Bem que o Rodrigo Faour, poderia remasterizar em CD também, os 2 primeiros discos dos "Secos e Molhados". O primeiro de 1973 foi lançado em CD em diversas prensagens, já o 2° de 1974 só saiu em CD, por aquela "Série Dois Momentos " que vem 2 discos'socados'em um único CD.

Que aliás veio com defeito na faixa "Rosa de Hiroshima", a principio pensei que fosse o meu CD, mas não...fui trocar na loja e o problema é na remasterização, na prensagem. Esta faixa tem problema no andamento do arranjo com o vocal, esta completamente fora do compasso, comparado com a gravação original de 1973 feita no vinil.
Eu não sei como o Charles Gavin deixou passar isso, mas a questão é que "Rosa de Hiroshima" no CD da "Série Dois Momentos " esta com problema.

Um Box EM CD, dos Secos e Molhados não seria nada mal!

Denis disse...

Só pra não esquecer: "Pra não morrer de tristeza" (versão Saramandaia) está no CD de raridades do box Metamorfoses. Abs.

Mauro Ferreira disse...

Denis, você tem razão. Grato pela informação, já inserida no texto. Como não tinha saído na coletânea da caixa 'Camaleão', acabei esquecendo da compilação da caixa 'Metamorfoses'. Abs, MauroF

Adriano disse...

Ainda não conseguir ouvir o box todo, mas pelo menos em relação ao Água do Céu-Pássaro que foi o álbum que eu ouvi com mais atenção a remasterização a partir das masters originais é realmente surpreendente e valeu a edição desse box, eu achava a remasterização do box Camaleão boa, mas agora ela parece sofrível perto da do box Anos 70, as músicas ganharam novas camadas de som e se percebe muito mais detalhes delas.

Nauro Silva, o grande problema desse 2 em 1 dos Secos & Molhados é que o Charles Gavin não remasterizou os álbuns apenas, ele remixou tudo para "modernizar" o som e foi bastante criticado na época por causa disso. O primeiro álbum teve uma nova remasterização com acompanhamento do João Ricardo que também não tinha gostado das mudanças feitas pelo Charles Gavin.