Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

RETROSPECTIVA 2015 – Gadú alça voo nas asas do disco e do show 'Guelã'

RETROSPECTIVA 2015 – Após descansar imagem já desgastada, Maria Gadú voltou à cena, se libertou das pressões mercadológicas para repetir o sucesso do primeiro álbum, lançado em 2009, e alçou interessante voo artístico nas asas do terceiro álbum de estúdio, Guelã. Anunciado em abril, Guelã foi lançado em maio pelo selo Slap (da gravadora Som Livre) com nove músicas inéditas de autoria da artista paulistana e a recriação de Trovoa (Maurício Pereira, 2007). Gadú seguiu rota interiorizada na viagem pessoal de Guelã, disco pautado por silêncios e sons de guitarra (tocada pela própria Gadú). Em junho, a cantora e compositora estreou show fiel ao conceito e ao espírito do disco, reiterando a liberdade conquistada na condução da carreira. A artista perdeu parte da popularidade, só que ganhou moral entre a crítica e o público que soube alçar voo com Maria Gadú.

8 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ RETROSPECTIVA 2015 – Após descansar imagem já desgastada, Maria Gadú voltou à cena, se libertou das pressões mercadológicas para repetir o sucesso do primeiro álbum, lançado em 2009, e alçou interessante voo artístico nas asas do terceiro álbum de estúdio, Guelã. Anunciado em abril, Guelã foi lançado em maio pelo selo Slap (da gravadora Som Livre) com nove músicas inéditas de autoria da artista paulistana e a recriação de Trovoa (Maurício Pereira, 2007). Gadú seguiu rota interiorizada na viagem pessoal de Guelã, disco pautado por silêncios e sons de guitarra (tocada pela própria Gadú). Em junho, a cantora e compositora estreou show fiel ao conceito e ao espírito do disco, reiterando a liberdade conquistada na condução da carreira. A artista perdeu parte da popularidade, só que ganhou moral entre a crítica e o público que soube alçar voo com Maria Gadú.

Luca disse...

que adianta ter crítico falando bem se não tem público? rapidinho ela grava um acústico com os sucessos de antes

Henrique disse...

Já eu acho que tem público, e um público que não comprou o conceito novo. Assisti o show "Guelã", muito interessante por sinal, mas não consegui absorver muita coisa por causa do público histérico que gritava TODAS as músicas. Experiência bem desagradável.

Fernando Lima disse...

Lindo disco. Um dos melhores que já ouvi. Gadú radicalizou e arrasou.

Rafael M. disse...

Disco péssimo, um dos piores da Gadú. Ficou nos devendo algo bom...

Marcelo disse...

O publico de hoje em dia quer trabalho fácil. E nos shows o q importa são selfies de lingua de fora e gritos histéricos!!! Prestar atenção na letra? harmonia? Faz-me rir...

Douglas Carvalho disse...

Eu, que escutava a Maria Gadú fazendo careta, adorei "Guelã". O CD revelou o que a cantora antes apenas ameaçava. Boas músicas, belos arranjos, e Gadú podou o jeito enjoativo que tinha de cantar.

Valdemar Lorenzon Junior disse...

Não consegui engolir este CD ainda, mas o segundo dela valeu cada nota e voz!!! Nem sempre se acerta e, NEXT.