Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Dez anos após o primeiro disco, Leo Maia compila momentos de dois álbuns

Filho do cantor e compositor carioca Tim Maia (1942 - 1998), Leo Maia debutou na carreira fonográfica há dez anos com a edição do bom álbum Cavalo de Jorge (Indie Records, 2015). Momentos - coletânea lançada pelo cantor carioca neste mês de dezembro de 2015 em edição da LGK Music distribuída pela Radar Records - compila 14 fonogramas da primeira década discográfica de Leo. Mas ignora os repertórios do CD Cavalo de Jorge e do último dos quatro álbuns do artista, Diz que tem saudade, lançado em 2012. Momentos, a rigor, apresenta reunião de fonogramas de apenas dois álbuns do cantor, Cidadão do bem (LGK Music / EMI , 2007) e Sopro do dragão (LGK Music / Som Livre, 2009). De Cidadão do bem, a compilação Momentos rebobina os fonogramas de Mandou bem (Gigi e Fábio O'Brian), Doeu (Leo Maia, Zezão e Cássio Calazans), Eu amo você (Cassiano e Silvio Rochael, 1970), O amor é estranho demais (Leo Maia), Impaciência (Leo Maia), Baile black (Leo Maia) e da música-título Cidadão do bem (Leo Maia e Alexandre Processo). De Sopro do dragão, a coletânea reproduz Homem do espaço (Jorge Ben Jor, 1989), Funk na laje (Leo Maia), Revanche (Hyldon e Jorge Ailton), Eu gosto mesmo é de namorar (Leo Maia), Kilario (Di Mello, 1975), Sorriso falso (Lincoln Olivetti e Ronaldo Barcellos,  1977) e Seda chinesa (Leo Maia).  Momentos está na web e nas lojas.

3 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Filho do cantor e compositor carioca Tim Maia (1942 - 2008), Leo Maia debutou na carreira fonográfica há dez anos com a edição do bom álbum Cavalo de Jorge (Indie Records, 2015). Momentos - coletânea lançada pelo cantor carioca neste mês de dezembro de 2015 em edição da LGK Music distribuída pela Radar Records - compila 14 fonogramas da primeira década discográfica de Leo. Mas ignora os repertórios do CD Cavalo de Jorge e do último dos quatro álbuns do artista, Diz que tem saudade, lançado em 2012. Momentos, a rigor, apresenta reunião de fonogramas de apenas dois álbuns do cantor, Cidadão do bem (LGK Music / EMI , 2007) e Sopro do dragão (LGK Music / Som Livre, 2009). De Cidadão do bem, a compilação Momentos rebobina os fonogramas de Mandou bem (Gigi e Fábio O'Brian), Doeu (Leo Maia, Zezão e Cássio Calazans), Eu amo você (Cassiano e Silvio Rochael, 1970), O amor é estranho demais (Leo Maia), Impaciência (Leo Maia), Baile black (Leo Maia) e da música-título Cidadão do bem (Leo Maia e Alexandre Processo). De Sopro do dragão, a coletânea reproduz Homem do espaço (Jorge Ben Jor, 1989), Funk na laje (Leo Maia), Revanche (Hyldon e Jorge Ailton), Eu gosto mesmo é de namorar (Leo Maia), Kilario (Di Mello, 1975), Sorriso falso (Lincoln Olivetti e Ronaldo Barcellos, 1977) e Seda chinesa (Leo Maia). Momentos está na web e nas lojas.

Leros Magazine disse...

Tim Maia morreu aos 55 anos de idade, em 1998 (e não 2008).

Mauro Ferreira disse...

Tem toda razão, Leros. Grato pelo toque. Abs, MauroF