Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

RETROSPECTIVA 2015 – Anitta recupera poder com 'Bang!', petardo certeiro

RETROSPECTIVA 2015 – Anitta recuperou o poder em 2015. Uma das sensações do universo pop brasileiro em 2013, por conta de (irregular) primeiro álbum que disparou a música Show das poderosas (Anitta, 2013) para todo o Brasil, a cantora e compositora carioca errou o alvo em 2014 com DVD (Meu lugar) e disco de estúdio (Ritmo perfeito) que obtiveram menor repercussão e sinalizaram que a estrela do funk pop podia começar a cair. Mas Anitta virou o jogo neste ano de 2015 com Bang! - o álbum que lançou em outubro e que se revelou petardo certeiro. Com visual repaginado pelo diretor de arte Giovanni Bianco, a artista apresentou o melhor disco de sua carreira, mostrou evolução como cantora e festejou o sucesso da música-título Bang, assinada por Anitta com Umberto Tavares (um dos produtores executivos do álbum) e Jefferson Junior. Feito sob a batuta de Bianco, o clipe de Bang virou viral e consolidou a virada do jogo a favor de Larissa de Macedo Machado. Na sequência do lançamento do álbum Bang!, Anitta passou a ser ouvida diariamente em escala nacional, a partir de novembro, com boa gravação de Totalmente demais (Arnaldo Brandão, Tavinho Paes e Robério Rafael, 1985), feita para a trilha da novela homônima a convite da TV Globo. Por fim, coroando o glorioso segundo semestre da estrela, um inédito registro sedutor de A menina dança (Moraes Moreira e Luiz Galvão, 1972) - feito por Anitta para comercial de marca de acessórios femininos - entrou em rotação na web neste mês de dezembro, e reiterou a evolução pop de Anitta.  Novamente no poder, a artista deu  baile no segundo semestre de 2015.

9 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ RETROSPECTIVA 2015 – Anitta recuperou o poder em 2015. Uma das sensações do universo pop brasileiro em 2013, por conta de (irregular) primeiro álbum que disparou a música Show das poderosas (Anitta, 2013) para todo o Brasil, a cantora e compositora carioca errou o alvo em 2014 com DVD (Meu lugar) e disco de estúdio (Ritmo perfeito) que obtiveram menor repercussão e sinalizaram que a estrela do funk pop podia começar a cair. Mas Anitta virou o jogo neste ano de 2015 com Bang! - o álbum que lançou em outubro e que se revelou petardo certeiro. Com visual repaginado pelo diretor de arte Giovanni Bianco, a artista apresentou o melhor disco de sua carreira, mostrou evolução como cantora e festejou o sucesso da música-título Bang, assinada por Anitta com Umberto Tavares (um dos produtores executivos do álbum) e Jefferson Junior. Feito sob a batuta de Bianco, o clipe de Bang virou viral e consolidou a virada do jogo a favor de Larissa de Macedo Machado. Na sequência do lançamento do álbum Bang!, Anitta passou a ser ouvida diariamente em escala nacional, a partir de novembro, com boa gravação de Totalmente demais (Arnaldo Brandão, Tavinho Paes e Robério Rafael, 1985), feita para a trilha da novela homônima a convite da TV Globo. Por fim, coroando o glorioso segundo semestre da estrela, um inédito registro sedutor de A menina dança (Moraes Moreira e Luiz Galvão, 1972) - feito por Anitta para comercial de marca de acessórios femininos - entrou em rotação na web neste mês de dezembro, e reiterou a evolução pop de Anitta. Novamente no poder, a artista deu baile no segundo semestre de 2015.

CelloPiazza disse...

Preciso concordar que entre Cláudias e Ivetes, essas menina se reinventou. Tem bela voz, precisa apenas melhorar um pouco seu repertório, o que, aliás, parece que já está acontecendo.

André Luís disse...

Se algo como "Bang" for sinal de "melhora" de repertório, eu não quero ouvir o que virá em 2016...

Qualé?! Essa moça já deveria ter desaparecido da nossa música há muito tempo, como tantas outras "modinhas". E tantas outras que nem deveriam ter surgido. Tenho uma fé (com excesso de otimismo) de que próximo ano a MPB ressurgirá das cinzas, porque tá feia a coisa.

Eduardo Cáffaro disse...

O que me incomoda nessa moça, é que todas as melodias são muito parecidas ...as frases musicais são parecidas ...parece sempre com outra música que ela ja cantou ...sei que ela abriu portas no mercado do novo pop-funk do Brasil, por onde entraram Ludmila, Lexa, e várias outras parecidas, com músicas descartáveis e com prazo de validade curto. Mas deveriam se preocupar mais com a música do que com o corpão. O corpão passa envelhece ...e se a música fosse melhor, resistiria melhor ao tempo.

Rafael M. disse...

Essa Anitta irrita... E irrita qualquer um...

Marcelo disse...

Volta e meia a mídia e alguns outros cismam com alguém. Já já jogam fora e partem pra outro nome. Foi assim com Edson Cordeiro, Filipe Catto.... sendo q esses tem talento... já essa moça... vai sumir rapidinho...

Luca disse...

Anitta agora é protegida do Mauro, ele só fala bem dela, ela deve ter dado um afago no ego dele, crítico é tudo vaidoso: falou bem deles, eles falam bem de você.

André Luís disse...

Tenho um sonho de que, em 2016, coisas como Anitta e outras sumirão do mapa musical. É um sonho, é um sonho...

Carlos Eduardo disse...

Gosto da Anitta, ela não pretende ser mais do que é, uma jovem cantora popular, isso pra mim já é um grande acerto.