Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Augusto e Cláudio reproduzem 14 lições da escola do samba de Ismael Silva

O compositor fluminense Milton de Oliveira Ismael Silva (14 de setembro de 1905 - 14 de março de 1978) fundou uma escola de samba em mais de um sentido. Nascido em Niterói (RJ), mas criado no bairro carioca do Estácio, Ismael criou a primeira escola de samba da cidade do Rio de Janeiro (RJ) a partir de agosto de 1928, ano em que agregou integrantes de blocos do Estácio com o intuito de formar uma única agremiação, intitulada Deixa falar. Ismael fundou também uma escola de samba quando começou a compor obra que teve a primeira gravação em 1925, ano em que o pianista Cebola registrou Me faz carinhos em disco da Casa Edison. O mesmo samba Me faz carinhos seria comprado pelo cantor Francisco Alves (1898 - 1952) - em prática comum na época - e regravado em 1927 com Chico Viola creditado como parceiro de Ismael. Intérprete fiel dos sambas de Ismael, Alves se tornaria parceiro do compositor no maior sucesso da obra autoral do bamba do Estácio, Se você jurar, samba lançado em janeiro de 1931 também com o nome do compositor e pianista Nilton Bastos (1899 - 1931) - que sairia precocemente de cena no fim daquele ano - nos créditos. Se você jurar é um dos 14 sambas cantados por Augusto Martins e Cláudio Jorge ao longo das 12 faixas do álbum Ismael Silva: uma escola de samba, recém-lançado pela Mills Records. Com arranjos de Cláudio Jorge, também violonista, o disco joga luz sobre obra até então guardada no baú do samba, já que, com exceção de Se você jurar e de Antonico (Ismael Silva, 1950), pouco se reviveu as lições de samba dadas pelo professor Ismael. Em registros que valorizam o violão de Carlinhos Sete Cordas, o cavaquinho de Márcio Wanderley e as percussões Belôba (surdo), Flavinho Miúdo (surdo e pandeiro) e Marcelinho Moreira (pandeiro, repique de mão e tamborim), Augusto César e Cláudio Jorge procuram dimensionar a obra deste compositor que foi mais do que um Silva na selva das cidades. Destaque do repertório, Me diga teu nome (Ismael Silva, 1931) parece precursor de um partido alto nascido nos fundos dos quintais cariocas na década de 1980. Mesmo sem expor todos os matizes emocionais de um samba como Antonico, já exemplarmente gravado por Gal Costa em álbum ao vivo de 1971, os cantores se mostram bons alunos da escola do samba de Ismael, inclusive quando gravam quatro das 18 parcerias do compositor com Noel Rosa (1910 - 1931), contemporâneo bamba do asfalto e dos bares do bairro de Vila Isabel. A razão dá-se a quem tem (Ismael Silva, Noel Rosa e Francisco Alves, 1932), Dona do lugar (Ismael Silva, Noel Rosa e Francisco Alves, 1932), Quem não quer sou eu (Ismael Silva e Noel Rosa, 1933), Pra me livrar do mal (Ismael Silva, Noel Rosa e Francisco Alves, 1932) exemplificam a fusão do samba do morro com o samba do asfalto - ainda que seja um erro (aprendido em alguns colégios...) acreditar que morro e asfalto sempre caminharam separados. Do morro ou do asfalto, predominam no disco sambas lançados em discos da década de 1930. Uma das exceções, além de Antonico, é Contrastes - samba que Ismael apresentou na década de 1970, cinco anos antes de sair de cena, entre as seis músicas inéditas do álbum Se você jurar (RCA-Victor, 1973). Contrastes logo ganharia a voz de Jards Macalé e batizaria o álbum lançado pelo artista carioca em 1977 e reeditado pela gravadora Som Livre neste ano de 2015. Ainda que tenha escrito obra composta fora dos padrões do samba e da MPB, Macalé foi um (aplicado) aluno da escola do samba de Ismael Silva.

6 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ O compositor fluminense Milton de Oliveira Ismael Silva (14 de setembro de 2015 - 14 de março de 1978) fundou uma escola de samba em mais de um sentido. Nascido em Niterói (RJ), mas criado no bairro carioca do Estácio, Ismael criou a primeira escola de samba da cidade do Rio de Janeiro (RJ) a partir de agosto de 1928, ano em que agregou integrantes de blocos do Estácio com o intuito de formar uma única agremiação, intitulada Deixa falar. Ismael fundou também uma escola de samba quando começou a compor obra que teve a primeira gravação em 1925, ano em que o pianista Cebola registrou Me faz carinhos em disco da Casa Edison. O mesmo samba Me faz carinhos seria comprado pelo cantor Francisco Alves (1898 - 1952) - em prática comum na época - e regravado em 1927 com Chico Viola creditado como parceiro de Ismael. Intérprete fiel dos sambas de Ismael, Alves se tornaria parceiro do compositor no maior sucesso da obra autoral do bamba do Estácio, Se você jurar, samba lançado em janeiro de 1931 também com o nome do compositor e pianista Nilton Bastos (1899 - 1931) - que sairia precocemente de cena no fim daquele ano - nos créditos. Se você jurar é um dos 14 sambas cantados por Augusto Martins e Cláudio Jorge ao longo das 12 faixas do álbum Ismael Silva: uma escola de samba, recém-lançado pela Mills Records. Com arranjos de Cláudio Jorge, também violonista, o disco joga luz sobre obra até então guardada no baú do samba, já que, com exceção de Se você jurar e de Antonico (Ismael Silva, 1950), pouco se reviveu as lições de samba dadas pelo professor Ismael. Em registros que valorizam o violão de Carlinhos Sete Cordas, o cavaquinho de Márcio Wanderley e as percussões Belôba (surdo), Flavinho Miúdo (surdo e pandeiro) e Marcelinho Moreira (pandeiro, repique de mão e tamborim), Augusto César e Cláudio Jorge procuram dimensionar a obra deste compositor que foi mais do que um Silva na selva das cidades. Destaque do repertório, Me diga teu nome (Ismael Silva, 1931) parece precursor de um partido alto nascido nos fundos dos quintais cariocas na década de 1980. Mesmo sem expor todos os matizes emocionais de um samba como Antonico, já exemplarmente gravado por Gal Costa em álbum ao vivo de 1971, os cantores se mostram bons alunos da escola do samba de Ismael, inclusive quando gravam quatro das 18 parcerias do compositor com Noel Rosa (1910 - 1931), contemporâneo bamba do asfalto e dos bares do bairro de Vila Isabel. A razão dá-se a quem tem (Ismael Silva, Noel Rosa e Francisco Alves, 1932), Dona do lugar (Ismael Silva, Noel Rosa e Francisco Alves, 1932), Quem não quer sou eu (Ismael Silva e Noel Rosa, 1933), Pra me livrar do mal (Ismael Silva, Noel Rosa e Francisco Alves, 1932) exemplificam a fusão do samba do morro com o samba do asfalto - ainda que seja um erro (aprendido em alguns colégios...) acreditar que morro e asfalto sempre caminharam separados. Seja como for, predominam no disco sambas lançados em discos da década de 1930. Uma das exceções, além de Antonico, é Contrastes - samba que Ismael apresentou na década de 1970, cinco anos antes de sair de cena, entre as seis músicas inéditas do álbum Se você jurar (RCA-Victor, 1973). Contrastes logo ganharia a voz de Jards Macalé e batizaria o álbum lançado pelo artista carioca em 1977 e reeditado pela gravadora Som Livre neste ano de 2015. Ainda que tenha escrito obra composta fora dos padrões do samba e da MPB, Macalé foi um (aplicado) aluno da escola do samba de Ismael Silva.

Unknown disse...

Mauro, bom dia! Ismael presumo ter nascido em 1915 e não 2015. Um abraço Leandro Soares

Marcelo Barbosa disse...

Já disponibilizado pelo itunes há dois meses e eu ando atrás feito um doido desse cd. NADA por enquanto aqui!!

Mauro Ferreira disse...

Grato, Leandro, por me alertar para a minha distração ao grafar a data de nascimento de Ismael. Abs, MauroF

Edilson Jr disse...

Olá! Achei muito precoce este menino: 1ª música gravada aos dez anos, fundou uma escola de samba aos treze... Daí fui pesquisar e várias fontes informam que o grande Ismael Silva nasceu não em 1915, mas em 1905. Acho que vale a pena corrigir, né? Aproveito para parabenizá-lo pelo trabalho neste blog, é minha fonte diária de consulta e tem me ajudado a descobrir novas e interessantes opções musicais brasileiras. Gosto da maneira quase sempre imparcial e bem ponderada com que as críticas são colocadas, embora, muito naturalmente, nem sempre concorde com elas. Meu muito obrigado! Abs, edilson

Mauro Ferreira disse...

Grato, Edilson, por me alertar que Ismael nasceu em 1905, não em 1915. Abs, MauroF