Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


domingo, 29 de março de 2015

DVD valoriza (e justifica...) a edição especial de álbum de samba de Maria Rita

Resenha de CD + DVD
Título: Coração a batucar - Edição especial
Artista: Maria Rita
Gravadora: Universal Music
Cotação: * * * *

Embora possa irritar quem já comprou o álbum lançado por Maria Rita há um ano, a edição especial do CD Coração a batucar (Universal Music, 2014) realmente avança em relação à edição original. A adição de um DVD - com nove números do show resultante do segundo disco de samba da cantora paulistana, making of e clipe da música Bola pra frente (Xande de Pilares e Gilson Bernini, 2014) - valoriza e justifica a reedição, ainda que a gravação audiovisual dirigida por Hugo Prata (na parte visual) possa tornar redundante um possível futuro DVD com o registro integral do show Coração a batucar. O fato é que Maria Rita já cai no samba com propriedade e desenvoltura. Coração a batucar já começa a delinear uma identidade para a cantora no universo do samba que somente fora esboçada no antecessor Samba meu (Warner Music, 2007), disco de tom mais popular. O que soou há oito anos como uma aventura musical de intérprete ainda à procura de um rumo já se revela uma opção artística feita com mais segurança. O fato de Maria Rita assinar a produção e a direção musical do disco e do show atesta essa segurança. Ela está formando sua turma no mundo do samba.  E, por mais que seus detratores neguem o óbvio, vê-se e ouve-se uma grande cantora no palco armado no estúdio Na Cena, em São Paulo (SP), em 6 de outubro de 2014. Uma cantora de antenada musicalidade que segura a onda do samba-jazz que põe Fogo no paiol (Rodrigo Maranhão, 2010) em relevo no roteiro coeso que rebobina o supra-sumo do repertório do disco de estúdio. É a grandeza da cantora que irmana pagode de cepa popular como Abismo (Thiago Silva, Lele e Davi dos Santos, 2014) - tema de tamanha vocação radiofônica que vai se tornar um dos próximos singles promocionais do disco - e samba de linhagem nobre como Rumo ao infinito (Arlindo Cruz, Marcelinho Moreira e Fred Camacho, 2014). Cabe ressaltar que a música-título Coração a batucar (Alvinho Lancellotti e Davi Moraes, 2010) - lançada por Maria Rita no álbum Elo (Warner Music, 2011) - se ambienta bem no clima do show, parecendo ter encontrado seu habitat natural. Entre momentos de beleza, como o contracanto do percussionista Marcelinho Moreira em Mainha me ensinou (Arlindo Cruz, Xande de Pilares e Gilson Bernini), o DVD do show Coração a batucar reitera que, se Maria Rita não nasceu no samba, como Clara Nunes (1942 - 1983) também não nasceu, o samba está nascendo nela. O que faz entender a presença do genial Letieres Leite - e de 21 integrantes do Rumpilezzinho, projeto infanto-juvenil do maestro baiano - no clipe de Bola pra frente (Xande de Pilares e Gilson Bernini), samba em que Maria Rita trilha caminhos harmônicos mais inusitados. O clipe foi gravado em Salvador (BA). Enfim, com filmagem requintada que valoriza a tonalidade íntima da apresentação feita somente para convidados, o DVD-bônus da edição especial de Coração a batucar mostra uma cantora firme e forte na opção pelo samba. Maria Rita cai no samba de forma convincente, verdadeira, sem artíficios. E, sim, senhor, o samba dela é muito bom.  Deixe a menina sambar em paz...

10 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Embora possa irritar quem já comprou o álbum lançado por Maria Rita há um ano, a edição especial do CD Coração a batucar (Universal Music, 2014) realmente avança em relação à edição original. A adição de um DVD - com nove números do show resultante do segundo disco de samba da cantora paulistana, making of e clipe da música Bola pra frente (Xande de Pilares e Gilson Bernini, 2014) - valoriza e justifica a reedição, ainda que a gravação audiovisual dirigida por Hugo Prata (na parte visual) possa tornar redundante um possível futuro DVD com o registro integral do show Coração a batucar. O fato é que Maria Rita já cai no samba com propriedade e desenvoltura. Coração a batucar já começa a delinear uma identidade para a cantora no universo do samba que somente fora esboçada no antecessor Samba meu (Warner Music, 2007), disco de tom mais popular. O que soou há oito anos como uma aventura musical de intérprete ainda à procura de um rumo já se revela uma opção artística feita com mais segurança. O fato de Maria Rita assinar a produção e a direção musical do disco e do show atesta essa segurança. Ela está formando sua turma no mundo do samba. E, por mais que seus detratores neguem o óbvio, vê-se e ouve-se uma grande cantora no palco armado no estúdio Na Cena, em São Paulo (SP), em 6 de outubro de 2014. Uma cantora de antenada musicalidade que segura a onda do samba-jazz que põe Fogo no paiol (Rodrigo Maranhão, 2010) em relevo no roteiro coeso que rebobina o supra-sumo do repertório do disco de estúdio. É a grandeza da cantora que irmana pagode de cepa popular como Abismo (Thiago Silva, Lele e Davi dos Santos, 2014) - tema de tamanha vocação radiofônica que vai se tornar um dos próximos singles promocionais do disco - e samba de linhagem nobre como Rumo ao infinito (Arlindo Cruz, Marcelinho Moreira e Fred Camacho, 2014). Cabe ressaltar que a música-título Coração a batucar (Alvinho Lancellotti e Davi Moraes, 2010) - lançada por Maria Rita no álbum Elo (Warner Music, 2010) - se ambienta bem no clima do show, parecendo ter encontrado seu habitat natural. Entre momentos de beleza, como o contracanto do percussionista Marcelinho Moreira em Mainha me ensinou (Arlindo Cruz, Xande de Pilares e Gilson Bernini), o DVD do show Coração a batucar reitera que, se Maria Rita não nasceu no samba, como Clara Nunes (1942 - 1983) também não nasceu, o samba está nascendo nela. O que faz entender a presença do genial Letieres Leite - e de 21 integrantes do Rumpilezzinho, projeto infanto-juvenil do maestro baiano - no clipe de Bola pra frente (Xande de Pilares e Gilson Bernini), samba em que Maria Rita trilha caminhos harmônicos mais inusitados. O clipe foi gravado em Salvador (BA). Enfim, com filmagem requintada que valoriza o tom íntimo da apresentação feita somente para convidados, o DVD-bônus da edição especial de Coração a batucar mostra uma cantora firme e forte na opção pelo samba. Rita convence. Sim, senhor, o samba dela é muito bom.

Vitor Salz disse...

Redundante, certamente, esse lançamento. Após corrermos pra comprar o CD, chega agora ao mercado uma 'versão Deluxe' que peca mais uma vez por não incluir os sambas de Gonzaguinha disponibilizados no ITunes: "Comportamento Geral" e "Um sorriso nos lábios". Versões irretocáveis! O pocket show do dvd pode até justificar tal lançamento, mas em breve, a possibilidade de um novo registro em dvd da atual turnê, acaba tornando tudo mais do mesmo e uma forma disfarçada da gravadora de ganhar em cima de seu fiel público. Como fã acabarei adquirindo o produto, mas nem por isso deixo de admitir que fora um lançamento mal planejado. A capa dessa versão é mais alegre e traduz muito melhor a essência do trabalho, em relação a original.

Marcelo disse...

Espero q essa vibe de samba dela diminua e ela volte a ser a cantora q era no primeiro cd. Aquilo sim...uma obra prima!!! Pq só samba e mais samba...cansa!!!!

Rafael M. disse...

Também gostaria de ouvir mais a Maria Rita do primeiro CD... Aquilo era maravilhoso. Não curto muito ela cantando samba...

Marcelo Barbosa disse...

Que grave muitos sambas, pois assim consegue fugir do estigma de a filha da cantora que tem o mesmo timbre da mãe.

Fabio disse...

Ela mudou muito o timbre para fugir do fantasma Elis. Nota-se a grande diferença do primeiro CD para este último.

italo vinicius disse...

As vezes as pessoas querem intitular os cantores (as) como samba, rock, MPB blues ou forro ela como muitos é uma interprete que canta estilos de música diferentes se ela ficasse sempre a sombra do primeiro trabalho ai o povo ia dizer que se acomodou como ele diversifica ela ta exagerando temos que saber que arte dos artistas são sua alma e vontade ela esta no momento samba depois virão outros desejos e vontades basta esperar pra se surprienderem com ela que sempre faz ótimos trabalhos

Marcelo Barbosa disse...

Ainda bem! Mas eu espero que grave MUITO SAMBA ainda! Axé, Maria Rita! Risca bonito esse chão!!

Pedro Branco disse...

Como assim, samba e mais samba? Ela esperou 7 anos do 'Samba Meu' pra fazer outro trabalho no estilo. No meio disso lançou o 'Elo' e ainda teve o CD/DVD em homenagem a Elis. Concordo que o primeiro disco é uma obra prima, mas acho que ela deu o tempo suficiente entre um trabalho e outro de samba, pra não ficar cansativo.

Eduardo Cáffaro disse...

acho uma puta sacanagem lançar uma edição especial depois que ja compramos a edição comum. Isso é falta de respeito. Porque não faz que nem Madonna ? Lança de uma vez os 3 formatos, Normal, deluxo e superdeluxo ...pro consumidor escolher qual versão quer. E ainda lançou um EP só com as músicas extras que não estavam na edição normal, para o fã que comprou a edição normal e depois quis as outras músicas. Isso se chama Respeito pelo público. Aqui no Brasil não. Faz o cara comprar o CD ....depois lança o mesmo CD com 2 musicas a mais, depois lança o mesmo cd com DVD ....tiram a gente de otário ....sinto muito. Desse jeito é melhor comprar pirata na banquinha 5 reais.