Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

PERSPECTIVA 2015 – Brasil celebra os 50 anos de carreira fonográfica de Gal

PERSPECTIVA 2015 – Em 1965, o nome artístico dela ainda não era Gal. Mas a voz, embora posta de forma ainda ligeiramente empostada, já continha o cristal que iria se expandir e brilha na música brasileira. Foi como Maria da Graça - seu nome de batismo - que Gal Costa assinou seu primeiro disco, um compacto simples gravado e lançado pela gravadora RCA Victor em 1965 com o samba Eu vim da Bahia (de Gilberto Gil) e a canção Sim, foi você (de Caetano Veloso). Vinda da Bahia, como Gil e Caetano, Maria da Graça debutara no mercado fonográfico no início daquele ano de 1965, gravando Sol negro (Caetano Veloso) como convidada do primeiro álbum da conterrânea Maria Bethânia,  mas foi com a gravação desse seu histórico primeiro compacto que Gal deu o primeiro passo próprio em carreira que completa 50 anos em 2015. Às voltas com dois projetos fonográficos nesse ano novo (um disco de inéditas e um show com músicas do compositor gaúcho Lupicínio Rodrigues que vai gerar CD ao vivo), Gal faz 50 anos de carreira já entronizada no posto de uma das maiores cantoras do Brasil de todos os tempos. Para alguns, desde sempre a maior. Preferências à parte, a voz cristalina de Maria da Graça Costa Penna Burgos permanece única, inimitável, inalcançável. Os admiradores dessa voz ímpar esperam e torcem pela resolução de questões jurídicas que, uma vez solucionadas, permitirão as edições de álbuns com as inéditas gravações ao vivo de seus shows Índia (1973), Cantar (1974) e Gal canta Caymmi (1976). Seja como for, 2015 será também o ano Gal Costa - com as justas reverências à grande cantora do Brasil, que vai completar 70 anos de vida em 26 de setembro de 2015.

15 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Perspectiva 2015 - Em 1965, o nome artístico dela ainda não era Gal. Mas a voz, embora posta de forma ainda ligeiramente empostada, já continha o cristal que iria se expandir e brilha na música brasileira. Foi como Maria da Graça - seu nome de batismo - que Gal Costa assinou seu primeiro disco, um compacto simples gravado e lançado pela gravadora RCA Victor em 1965 com o samba Eu vim da Bahia (de Gilberto Gil) e a canção Sim, foi você (de Caetano Veloso). Vinda da Bahia, como Gil e Caetano, Maria da Graça debutara no mercado fonográfico no início daquele ano de 1965, gravando Sol negro (Caetano Veloso) como convidada do primeiro álbum da conterrânea Maria Bethânia, mas foi com a gravação desse seu histórico primeiro compacto que Gal deu o primeiro passo próprio em carreira que completa 50 anos em 2015. Às voltas com dois projetos fonográficos nesse ano novo (um disco de inéditas e um show com músicas do compositor gaúcho Lupicínio Rodrigues que vai gerar CD ao vivo), Gal faz 50 anos de carreira já entronizada no posto de uma das maiores cantoras do Brasil de todos os tempos. Para alguns, desde sempre a maior. Preferências à parte, a voz cristalina de Maria da Graça Costa Penna Burgos permanece única, inimitável, inalcançável. Os admiradores dessa voz ímpar esperam e torcem pela resolução de questões jurídicas que, uma vez solucionadas, permitirão as edições de álbuns com as inéditas gravações ao vivo de seus shows Índia (1973), Cantar (1974) e Gal canta Caymmi (1976). Seja como for, 2015 será também o ano Gal Costa, com justas reverências à grande cantora do Brasil.

Luca disse...

A maior se chamava Elis Regina Carvalho Costa

Vicente de Moraes disse...

a maior cantora Brasileira viva GAL COSTA

vicente moraes disse...

Gal Costa a melhor cantora viva do Brasil

Yuri Duarte disse...

Falou certo "se chamava" e quando ela era a maior Gal também era,enfim...Gal costa a maior cantora do Brasil,2015 vai ser o ano dela.

Gustavo Chaves disse...

gostei da parte"Para alguns, desde sempre a maior. " :)
Feliz "ano Gal Costa", Mauro! Abraços.

Vladimir disse...

Que ótimas notícias!! Que bom saber isso desta, que é uma grande cantora do Brasil!!

CelloPiazza disse...

Num país com o nosso, com tantas vozes maravilhosas, é sempre perigoso apontar essa ou aquela como a maior cantora do Brasil. Prefiro dizer que há MAIORES.

Alexandre. disse...

Gal Costa representa o início do canto moderno feminino da MPB.
Sua inteligência vocal e musical fez com que a bossa nova de João Gilberto modificasse de modo definitivo a forma como as canções fossem entoadas pelas intérpretes que a sucederam.
Minimalista, cool, precisa, surpreendente, dona da voz mais singular da MPB.
Um ícone, pois, seu nome é GAL!

P.S.: Qualquer um pode defender a sua preferência, porém, primeiramente, reverências à GAL. Ela sobreviveu!

Duduh Sub disse...

Aguardo esses shows com ansiedade ...que venha agora então na comemoração dos 50 anos !

Marcelo disse...

Pode não ser a maior pra X ou Y..mas indiscutivelmente foi a mais moderna e a que mais ousou em quase toda carreira.

Jorge Ramiro disse...

Sempre que me deparo com essa bobagem de "quem é a maior?!",como se arte fosse Olimpíada(quem criou isso,hein?Credo!!),me deparo com a reflexão que faço dos artistas e especialmente as cantoras que morrem no auge,como Elis,Clara,Cássia,sem mencionar outras,até internacionalmente. É que de certa forma,quando se morre no auge,se garante uma posição de quem não se expôs,a degradação possível que pode acontecer na vida física do artista,e levar público e crítica a compará-lo com ele mesmo, antes de determinadas mudanças provocadas por essa degradação. Cantoras com o talento e a exposição por décadas,como GAL COSTA tem,enfrentam esse risco,esse desafio a mais.Eu confesso entender melhor hoje,as mudanças no "cristal" da voz da artista,que não mais alcança notas e altura,como há alguns anos."HOJE" com César Camargo Mariano,parece ter sido o último momento em disco/show dessa "nota brilhante de cristal transparente" antes do desgaste,pela idade,e décadas de uso(quantos anos mesmo fazem que ela tem de carreira em disco,50 anos??!).Mas essa mulher que não pode parar de cantar,é história da música no Brasil.Como Elis é,como Clara é,como Cássia é,como Nara é e cada uma tem importância vital para a canção no Brasil,todas somam juntas e não se pode compará-las senão com elas próprias em cada fase de suas carreiras,porque são únicas. Não tenho o mesmo prazer de ouvir a Gal dos dias de hoje se a comparo com ela mesma,dez,vinte ou trinta anos atrás,justamente por conta da perfeição que ela atingiu.Mas reconheço a importância de suas atuações gloriosas para uma pessoa na idade dela.Isso é impagável!Até porque ela não precisava,se não quisesse.Então,querer por amor ao que faz é digníssimo e exige nosso silêncio para ouvi-la mesmo que não haja mais,lógico,o mesmo brilho em sua voz.Gal Costa calada num palco é pra ser aplaudida.Cantando da maneira que puder,é pra ser respeitada.
Assim como Elis,se viva,Clara,se viva,Cássia,se viva.Um brinde a cantora viva!!

Rafael M. disse...

Que seja feito algo especial para comemorar os 50 anos... Isso seria muito bem vindo com o aguardado novo álbum dela. Estou super ansioso para o lançamento desse seu novo disco, e o projeto do Lupícinio.

Rafael M. disse...

Vida longa a Gal! Uma das maiores e melhores cantoras vivas deste país!

Fernando Lima disse...

Gal ainda é uma das artistas mais essenciais da música no mundo. Além de voz e interpretação únicas, ainda é capaz do feito de se renovar e surpreender! O show "Recanto" foi um assombro de tão belo... Que venham outros.