Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sexta-feira, 14 de novembro de 2014

'Single' anuncia CD em que Chitãozinho & Xororó cantam Tom do sertão

Álbum em que Chitãozinho & Xororó dão vozes anasaladas ao cancioneiro soberano de Antonio Carlos Jobim (1927 - 1994), com ênfase nas músicas que falam de campo e natureza, Tom do sertão vai ser lançado somente em janeiro de 2015 em edição da gravadora Universal Music. Mas um single duplo - disponível para compra no iTunes a partir de hoje, 14 de novembro de 2014 - já dá prévia do álbum através dos registros das músicas Águas de março (Antonio Carlos Jobim, 1972) e Correnteza (Antonio Carlos Jobim e Luiz Bonfá, 1973). Pouco à vontade no canto do samba lançado em 1972, a dupla sertaneja se sai melhor em Correnteza, pela proximidade natural do tema com o universo rural de muitas canções do repertório dos irmãos paranaenses. Produzido por Edgard Poças, Ney Marques e Cláudio Paladini, o álbum Tom do sertão traz também no repertório o icônico samba Chega de saudade (Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes, 1958) e a bela canção romântica Eu sei que vou te amar (Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes,1959).

7 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Álbum em que Chitãozinho & Xororó dão vozes anasaladas ao cancioneiro soberano de Antonio Carlos Jobim (1927 - 1994), com ênfase nas músicas que falam de campo e natureza, Tom do sertão vai ser lançado somente em janeiro de 2015 em edição da gravadora Universal Music. Mas um single duplo - disponível para compra no iTunes a partir de hoje, 14 de novembro de 2014 - já dá prévia do álbum através dos registros das músicas Águas de março (Antonio Carlos Jobim, 1972) e Correnteza (Antonio Carlos Jobim e Luiz Bonfá, 1973). Pouco à vontade no canto do samba lançado em 1972, a dupla sertaneja se sai melhor em Correnteza, pela proximidade natural do tema com o universo rural de muitas canções do repertório dos irmãos paranaenses. Produzido por Edgard Poças, Ney Marques e Cláudio Paladini, o álbum Tom do sertão traz também no repertório o icônico samba Chega de saudade (Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes, 1958) e a bela canção romântica Eu sei que vou te amar (Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes,1959).

eduardo bueno disse...

Achei que ficou interessante "Águas de Março", nunca tinha ouvido uma versão com uma voz mais aguda, sempre quem interpretou tomou um tom suave como de Elis e Tom, e ainda numa versão um pouco mais pop com sanfona. Ansioso para "Chega de Saudade" com um tom mais agudo. Vai ser um disco bem divertido (no bom sentido) de ouvir pelo jeito.

Luca disse...

Duvido que tenha ficado interessante Eduardo, Águas de março não é música pra dupla sertaneja

eduardo bueno disse...

Música é pra todo mundo...pra isso que ela é feita, pra ser ouvida pensada, espalhada e interpretada. Pra mim qualquer um tem o direito de cantar uma música desde que não estrague o sentido original ou a "vibe", como o Sambô, mas toda tentativa é valida.

Marcelo disse...

Coitado do Tom!!!!

José Adriano disse...

Ansioso! Sou fã dos irmãos Chitãozinho e Xororó e além de serem grandes cantores do gênero!

Acredito que vai ficar legal trazer o Tom para um universo mais popular, mais sertanejo!

Parabéns!

ADEMAR AMANCIO disse...

Biscoito fino pra massa.Duvido que as rádios populares vão executar tal repertório.