Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Sai de cena Dom Pepe, DJ que fez ferver a pista dos frenetic dancin' days

A foto acima - do arquivo pessoal de Nelson Motta - flagra o jornalista e compositor paulistano com o DJ Dom Pepe. Foi tirada em 1997, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), capital cultural do Brasil aonde, duas décadas antes, Pepe fez ferver a pista da casa carioca The Frenetic Dancin' Days Discotheque. Inaugurada por Motta em 5 de agosto de 1976, no então pouco frequentado Shopping da Gávea, a casa trouxe para o Brasil o som da disco music que já imperava nos Estados Unidos. Tocando um mix de música brasileira com os hits norte-americanos da disco music, o carioca Dom Pepe - DJ que saiu ontem de cena e que se chamava Luiz Francisco - fazia o povo pular que nem pipoca na pista democrática que serviu de plataforma para o lançamento d'As Frenéticas, grupo que lançaria seu primeiro compacto ainda naquele ano de 1976. Por todo seu pioneirismo na década que projetou a figura do DJ, Dom Pepe marcou época nos frenéticos dias dançantes do Rio da década de 1970. Mas seguiu na pista, tocando em casas como o Noites Cariocas - palco dos anos 1980 em que Pepe ajudou a projetar o rock brasileiro daquela década - e Mamma África (esta já nos anos 1990), ambas abertas no Morro da Urca e tocadas por Nelson Motta, seu amigo de fé e irmão camarada. A saída de cena de Dom Pepe entristece a noite carioca.

3 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ A foto acima - do arquivo pessoal de Nelson Motta - flagra o jornalista e compositor paulistano com o DJ Dom Pepe. Foi tirada em 1997, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), capital cultural do Brasil aonde, duas décadas antes, Pepe fez ferver a pista da casa carioca The Frenetic Dancin' Days Discotheque. Inaugurada por Motta em 5 de agosto de 1976, no então pouco frequentado Shopping da Gávea, a casa trouxe para o Brasil o som da disco music que já imperava nos Estados Unidos. Tocando um mix de música brasileira com os hits norte-americanos da disco music, Dom Pepe - DJ que saiu ontem de cena - fazia o povo pular que nem pipoca na pista democrática que serviu de plataforma para o lançamento do grupo As Frenéticas, que lançaria seu primeiro compacto ainda naquele ano de 1976. Por todo seu pioneirismo na década que projetou a figura do DJ, Dom Pepe marcou época nos frenéticos dias dançantes do Rio da década de 1970.

Felipe dos Santos disse...

Nas suas discotecagens, Dom Pepe deu aulas de pluralidade musical a Lulu Santos e Júlio Barroso. De fato, fez muita gente pular que nem pipoca, como Mauro escreveu.

Daquelas personalidades discretas, mas que tiveram importância em algum pequeno momento da música brasileira.

Felipe dos Santos Souza

Paulo Prado disse...

Com todo respeito. Sei que essa é sua opinião, ou até uma frase de efeito mas, "Capital Cultural do Brasil"? Como e quando isso foi definido?

Atenciosamente,

Paulo