Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Ivete fica na superfície ao relatar histórias e rotinas no ralo livro 'Pura paixão'

Resenha de livro
Título: Pura paixão
Autoria: Ivete Sangalo (em depoimento a Jorge Velloso)
Editora: Agir
Cotação: * * 

O livro Pura paixão, de Ivete Sangalo, já diz que a veio no subtítulo - Minhas histórias, dicas, rotinas e inspirações - impresso na capa que vende a cristalizada imagem alegre da estrela da música baiana. O livro não traz a história, mas histórias da artista, entre fotos e receitas de refeições, alocadas na parte final de Pura paixão. Embora escrito na primeira pessoa com narrativa cronológica, Pura paixão jamais atinge a consistência de uma autobiografia. É, antes, um relato raso da vida e obra de cantora e compositora, formatado por Jorge Velloso a partir de extenso depoimento de Ivete ao jornalista. Com leitura fácil, a narrativa é direcionada explicitamente aos fãs da artista. O que justifica o fato de Ivete ficar sempre na superfície quando fala de sua vida pré-fama e de sua carreira. Nada é detalhado. Há somente pinceladas da rotina pré-Banda Eva nos bares de Salvador (BA), da admissão como vocalista na Eva, da saída da banda e da feitura do CDs e DVDs da bem-sucedida carreira solo da cantora. Tudo é lindo. Pura paixão esboça retrato romantizado da artista, perfilando Ivete com a liberdade relativa da intimidade consentida. Ainda assim, o relato esboça nas entrelinhas alguns traços da personalidade da estrela pop, como o temperamento exibido, a assumida vaidade e os cuidados extremados com o superprotegido filho Marcelo. Aliás, os trechos mais reveladores são aqueles em que Ivete rememora sua rotina com os pais e irmãos em Juazeiro (BA) - sua cidade natal - e Salvador antes do sucesso. A artista lembra que ela e os irmãos ouviam com naturalidade o gozo de sua mãe nos momentos de intimidade conjugal - o que pode explicar a espontaneidade com que Ivete fala de amor e sexo na vida compartilhada (na medida de seu interesse) com os fãs, único público-alvo de Pura paixão. Fãs devidamente incensados ao longo da narrativa, claro. A formatação da discografia publicada ao fim do livro - somente com os nomes das músicas (sem dar o devido crédito aos compositores) e com duas ou três fases sobre cada disco - dá o tom do que o leitor encontra em Pura paixão. São histórias de Ivete para fãs de Ivete. Aliás, neste sentido, o livro atinge o modesto objetivo...

8 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ O livro Pura paixão, de Ivete Sangalo, já diz que a veio no subtítulo - Minhas histórias, dicas, rotinas e inspirações - impresso na capa que vende a cristalizada imagem alegre da estrela da música baiana. O livro não traz a história, mas histórias da artista, entre fotos e receitas de refeições, alocadas na parte final de Pura paixão. Embora escrito na primeira pessoa com narrativa cronológica, Pura paixão jamais atinge a consistência de uma autobiografia. É, antes, um relato raso da vida e obra de cantora e compositora, formatado por Jorge Velloso a partir de extenso depoimento de Ivete ao jornalista. Com leitura fácil, a narrativa é direcionada explicitamente aos fãs da artista. O que justifica o fato de Ivete ficar sempre na superfície quando fala de sua vida pré-fama e de sua carreira. Nada é detalhado. Há somente pinceladas da rotina pré-Banda Eva nos bares de Salvador (BA), da admissão como vocalista na Eva, da saída da banda e da feitura do CDs e DVDs da bem-sucedida carreira solo da cantora. Tudo é lindo. Pura paixão esboça retrato romantizado da artista, perfilando Ivete com a liberdade relativa da intimidade consentida. Ainda assim, o relato esboça nas entrelinhas alguns traços da personalidade da estrela pop, como o temperamento exibido, a assumida vaidade e os cuidados extremados com o superprotegido filho Marcelo. Aliás, os trechos mais reveladores são aqueles em que Ivete rememora sua rotina com os pais e irmãos em Juazeiro (BA) - sua cidade natal - e Salvador antes do sucesso. A artista lembra que ela e os irmãos ouviam com naturalidade o gozo de sua mãe nos momentos de intimidade conjugal - o que pode explicar a espontaneidade com que Ivete fala de amor e sexo na vida compartilhada (na medida de seu interesse) com os fãs, único público-alvo de Pura paixão. Fãs devidamente incensados ao longo da narrativa, claro. A formatação da discografia publicada ao fim do livro - somente com os nomes das músicas (sem dar o devido crédito aos compositores) e com duas ou três fases sobre cada disco - dá o tom do que o leitor encontra em Pura paixão. São histórias de Ivete para os fãs de Ivete. Nesse sentido, o livro atinge o seu objetivo.

Clayton Moreira disse...

Saiu de cena esta madrugada a forrozeira Cremilda, intérprete dos clássicos de duplo sentido "Prenda o Tadeu" e "Talco no Salão". Merece um post-homenagem, não?

Mauro Ferreira disse...

Claro que sim, Clayton. Grato por avisar da saída de cena de Clemilda. Post já no ar. abs, MauroF

ADEMAR AMANCIO disse...

Raso como a artista,e seu público.

Luca disse...

o que vocês esperavam de um livro de Ivete?, se fosse diferente os fãs dela não compram

Carlos Silva disse...

Uma artista rasa, com público raso e que faz os """intelectuais""" desperdiçarem seu precioso tempo vindo aqui comentar... Vão ouvir seus artistas cult e deixem Ivete pra quem gosta! E olha q tem muita gente q gosta, senão ela não estaria aí incomodando vocês há mais de 20 anos!

Marcelo disse...

Rasa...como seu público. Com certeza muita gente gosta. O nível da cultura e do brasileiro em geral desceu a patamares nunca antes imaginados... Agora o q temos..é Thiaguinho...Paula Fernandes...Luan Santana..Ivete....e afins...

Daทilo disse...

Vejo o que a Ivete faz como entretenimento. E ela faz muito bem o que se propõe.