Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sábado, 4 de junho de 2016

Produzido por Arto, Rebetez toca 'O corpo de dentro' com a influência do jazz

A sólida e eclética formação musical do compositor e guitarrista paulistano Lourenço Rebetez está entranhada nas dez faixas de O corpo de dentro (Dueto / Red Bull Studios), álbum instrumental produzido por Arto Lindsay que marca a estreia de Rebetez no mercado fonográfico. Além de ser formado em guitarra e em composição de jazz pela Berklee College of Music de Boston (EUA) e de ter estudado composição erudita na Escola de Música de São Paulo (EMESP), o artista teve aulas de guitarra com o violonista Chico Pinheiro - virtuose da contemporânea cena instrumental brasileira - e de composição popular e de ritmos afro-brasileiros com o genial Letieres Leite (mentor da baiana Orkestra Rumpilezz). Sedimentada com o estudo do jazz, sobretudo o jazz do baixista norte-americano Charles Mingus (1922 - 1979), do pianista norte-americano Duke Ellington (1899 - 1974) e do pianista canadense Gil Evans (1912 - 1988), a formação musical de Rebetez deu ao músico habilidade para compor e arranjar os oito temas e os dois interlúdios que compõem o repertório autoral do álbum O corpo de dentro, lançado em 24 de maio deste ano de 2016 com distribuição da Tratore. Temas como Birjand, Imã, Ozu e Pontieva são orquestrados em O corpo de dentro com fartos instrumentos de sopros, harmonizados com o toque da guitarra de Lourenço Rebetez - que pilota a programação eletrônica do Interlúdio 2 (Supernova) - e com a tal (grande) influência do jazz.

4 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Curta a página de Notas Musicais no Facebook e acompanhe as atualizações diárias do blog:
https://www.facebook.com/blognotasmusicais/

Lourenço Rebetez disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mauro Ferreira disse...

oi, Lourenço, compartilhe o texto à vontade em qualquer rede ou plataforma! Seja bem-vindo neste espaço virtual! Abs, MauroF

Luca disse...

me parece um disco sofisticado demais para o Brasil