Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quinta-feira, 23 de junho de 2016

Machline celebra Cauby ao abrir a 27ª edição do 'Prêmio da Música Brasileira'

O empresário criador do Prêmio da Música Brasileira, José Maurício Machline, sempre expressou publicamente a admiração por Cauby Peixoto (1931 - 2016), o cantor fluminense que saiu de cena há pouco mais de um mês, em 15 de maio. A idolatria de Machline foi reiterada na abertura da 27ª edição do Prêmio da Música Brasileira, realizada na noite de ontem, 22 de junho de 2016, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro (RJ). O homenageado da noite era o cantor e compositor Luiz Gonzaga do Nascimento Júnior (1945 - 1991), o Gonzaguinha. Mas o primeiro tributo da noite foi a Cauby, saudado por Machline como "a maior voz masculina de todos os tempos". Diante de imagem de Cauby projetada na tela que compunha o cenário de Gringo Cardia, como visto na foto de Caíque Cunha, Machline pediu aplausos para o cantor. Cauby, a propósito, foi premiado postumamente. O disco Cauby sings Nat King Cole (Nova Estação, 2015) foi anunciado momentos depois como o vencedor da categoria Álbum em língua estrangeira.  O produtor do disco, Thiago Marques Luiz, recebeu o prêmio de Cauby.

7 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ O empresário criador do Prêmio da Música Brasileira, José Maurício Machline, sempre expressou publicamente a admiração por Cauby Peixoto (1931 - 2016), o cantor fluminense que saiu de cena há pouco mais de um mês, em 15 de maio. A idolatria de Machline foi reiterada na abertura da 27ª edição do Prêmio da Música Brasileira, realizada na noite de ontem, 22 de junho de 2016, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro (RJ). O homenageado da noite era o cantor e compositor Luiz Gonzaga do Nascimento Júnior (1945 - 1991), o Gonzaguinha. Mas o primeiro tributo da noite foi a Cauby, saudado por Machline como "a maior voz masculina de todos os tempos". Diante de imagem de Cauby projetada na tela que compunha o cenário de Gringo Cardia, como visto na foto de Caíque Cunha, Machline pediu aplausos para o cantor. Cauby, a propósito, foi premiado postumamente. O disco Cauby sings Nat King Cole (Nova Estação, 2015) foi anunciado momentos depois como o vencedor da categoria Álbum em língua estrangeira. O produtor do disco, Thiago Marques Luiz, recebeu o prêmio de Cauby.

Mauro Silva disse...


Merecida homenagem, Salve Cauby!

Edu Chedid disse...

Não vi autenticidade neste momento, tive a impressão de ser um premio de consolação, embora Cauby mereça todos os prêmios pela enorme voz e força na musica. Ficarei com esta dúvida eternamente.

Rhenan Soares disse...

Não dá pra reclamar quando chamam de Prêmio dos Amigos do Machline, né? A importância e grandeza do Cauby é indiscutível, mas deveria haver um momento de homenagem a todos. Não fosse um grito da Dira, Nana Vasconcelos teria passado batido. É muito desconfortável.

ricardo marques disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ricardo marques disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ricardo marques disse...

Toda homenagem a Cauby por mais grandiosa que seja é sempre insuficiente. Cauby foi e é um oceano profundo de Arte. Da verdadeira Arte.