Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


domingo, 26 de junho de 2016

Dentro do mundo cênico de Kessous cabem Gaga, Karnak, Maysa e Popozuda

Música de autoria da cantora e compositora Maysa (1936 - 1977) a que Maria Bethânia já recorreu em show para dar recado indireto aos que a criticaram por regravar É o amor (Zezé Di Camargo & Luciano, 1991) em álbum de 1999, Resposta - canção lançada por Maysa em 1956, há 60 anos - ganha a voz assertiva de Monique Kessous. Cantada com batida contemporânea, em vibe roqueira, Resposta é uma das boas surpresas do roteiro de Dentro de mim cabe o mundo, show baseado no homônimo álbum autoral lançado pela cantora, compositora e instrumentista carioca em abril deste ano de 2016. O show teve estreia oficial na noite de ontem, 25 de junho de 2016, em apresentação no teatro do Espaço Tom Jobim, na cidade natal do Rio de Janeiro (RJ). No roteiro de Kessous, Resposta aparece sagazmente linkada a um tema de outro estilo, mas de  significado similar, Beijinho no ombro (André Vieira, Leandro Castro e Wallace Viana, 2013), sucesso da funkeira carioca Valesca Popozuda. Fora do trilho autoral, mas em sintonia com o espírito planetário do conceito do álbum Dentro de mim cabe o mundo, Kessous também cantou O mundo (André Abujamra, 1995) - música do grupo Karnak que já ganhou vozes como as de Ney Matogrosso, Pedro Luís e Zeca Baleiro - e Coração vagabundo (Caetano Veloso, 1967). Nu - música de Zeca Baleiro, lançada na voz do autor em 2012 - também figura no repertório do show. Assim como Resposta, outra surpresa do roteiro foi Born this way (Lady Gaga e Jeppe Laursen, 2011), música de Lady Gaga cantada por Kessous com citação de Express yourself (Madonna e Stephen Bray, 1989), em fina ironia, já que Gaga foi acusada de plagiar em Born this way a ideologia - a liberdade sexual e afetiva das mulheres - do tema de Madonna. Aliás, o número precedeu discurso contundente escrito por Edu Krieger e lido por Kessous contra a cultura do estupro. Eis o roteiro seguido em 25 de junho de 2016 por Monique Kessous - em foto de Rodrigo Goffredo - na estreia (oficial) do show  Dentro de mim cabe o mundo  no Espaço Tom Jobim, no Rio de Janeiro (RJ):

1. Aqui tem (Monique Kessous, 2016)
2. O mundo (André Abujamra, 1995)
3. A lei é deixar fluir (Monique Kessous e Denny Kessous, 2016)
4. Eu sem você (Monique Kessous, 2016) /
5. Levo a minha vida assim (Monique Kessous, 2010)

6. Pedaço de ilusão (Monique Kessous, 2016)
7. Volte pra mim (Monique Kessous e Denny Kessous, 2013)
8. Me ama, me adora, bem me quer sim (Monique Kessous e Denny Kessous, 2016)
9. Nu (Zeca Baleiro, 2012) /
10. Bloco do prazer (Moraes Moreira e Fausto Nilo, 1979) - trecho recitado

11. Meu papo é reto (Monique Kessous e Chico César, 2016)
12. Por causa do seu pensamento (Monique Kessous, 2016) - com Moska
13. O círculo (El círculo) (Kevin Johansen, 2010, em versão de Moska, 2016)
14. Aonde eu for (Monique Kessous e Denny Kessous, 2016)
15. Frio (Monique Kessous, 2010)
16. Acorde (Monique Kessous, 2016) - com Ana Claudia Lomelino, Lia Sabugosa e Silvia Machete
17. Resposta (Maysa, 1956) /
18. Beijinho no ombro (André Vieira, Leandro Castro e Wallace Viana, 2013)
19. Born this way (Lady Gaga e Jeppe Laursen, 2011)
      - com citação de Express yourself (Madonna e Stephen Bray, 1989)

♪ ♪  Leitura de texto escrito por Edu Krieger para o show
20. Todo mundo quer (Monique Kessous e Denny Kessous, 2016)
21. Seja agora (Pedro da Silva Martins, 2013)
Bis:
22. Espiral (Monique Kessous e João Cavalcanti, 2016)
23. Coração vagabundo (Caetano Veloso, 1967)

4 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Música de autoria da cantora e compositora Maysa (1936 - 1977) a que Maria Bethânia já recorreu em show para dar recado indireto aos que a criticaram por regravar É o amor (Zezé Di Camargo & Luciano, 1991) em álbum de 1999, Resposta - canção lançada por Maysa em 1956, há 60 anos - ganha a voz assertiva de Monique Kessous. Cantada com batida contemporânea, em vibe roqueira, Resposta é uma das boas surpresas do roteiro de Dentro de mim cabe o mundo, show baseado no homônimo álbum autoral lançado pela cantora, compositora e instrumentista carioca em abril deste ano de 2016. O show teve estreia oficial na noite de ontem, 25 de junho de 2016, em apresentação no teatro do Espaço Tom Jobim, na cidade do Rio de Janeiro (RJ). No roteiro de Kessous, Resposta aparece sagazmente linkada a um tema de outro estilo, mas de significado similar, Beijinho no ombro (André Vieira, Leandro Castro e Wallace Viana, 2013), sucesso da funkeira carioca Valéria Popozuda. Fora do trilho autoral, mas em sintonia com o espírito planetário do conceito do álbum Dentro de mim cabe o mundo, Kessous também cantou O mundo (André Abujamra, 1995) - música do grupo Karnak que já ganhou vozes como as de Ney Matogrosso, Pedro Luís e Zeca Baleiro - e Coração vagabundo (Caetano Veloso, 1967). Nu - música de Zeca Baleiro, lançada na voz do autor em 2012 - também figura no repertório do show. Assim como Resposta, outra surpresa do roteiro foi Born this way (Lady Gaga e Jeppe Laursen, 2011), música de Lady Gaga cantada por Kessous com citação de Express yourself (Madonna e Stephen Bray, 1989), em fina ironia, já que Gaga foi acusada de plagiar em Born this way a ideia central - a liberdade sexual e afetiva das mulheres - do tema de Madonna. A propósito, o número precedeu discurso contundente lido por Kessous contra a cultura do estupro. Eis o roteiro seguido em 25 de junho de 2016 por Monique Kessous - em foto de Rodrigo Goffredo - na estreia oficial do belo show Dentro de mim cabe o mundo no teatro do Espaço Tom Jobim, na cidade do Rio de Janeiro (RJ):

1. Aqui tem (Monique Kessous, 2016)
2. O mundo (André Abujamra, 1995)
3. A lei é deixar fluir (Monique Kessous e Denny Kessous, 2016)
4. Eu sem você (Monique Kessous, 2016) /
5. Levo a minha vida assim (Monique Kessous, 2010)
6. Pedaço de ilusão (Monique Kessous, 2016)
7. Volte pra mim (Monique Kessous e Denny Kessous, 2013)
8. Me ama, me adora, bem me quer sim (Monique Kessous e Denny Kessous, 2016)
9. Nu (Zeca Baleiro, 2012) /
10. Bloco do prazer (Moraes Moreira e Fausto Nilo, 1979) - trecho recitado
11. Meu papo é reto (Monique Kessous e Chico César, 2016)
12. Por causa do seu pensamento (Monique Kessous, 2016) - com Moska
13. O círculo (El círculo) (Kevin Johansen, 2010, em versão de Moska, 2016)
14. Aonde eu for (Monique Kessous e Denny Kessous, 2016)
15. Frio (Monique Kessous, 2010)
16. Acorde (Monique Kessous, 2016) - com Ana Claudia Lomelino, Lia Sabugosa e Silvia Machete
17. Resposta (Maysa, 1956) /
18. Beijinho no ombro (André Vieira, Leandro Castro e Wallace Viana, 2013)
19. Born this way (Lady Gaga e Jeppe Laursen, 2011) - com citação de Express yourself (Madonna e Stephen Bray, 1989)
20. Todo mundo quer (Monique Kessous e Denny Kessous, 2016)
21. Seja agora (Pedro da Silva Martins, 2013)
Bis:
22. Espiral (Monique Kessous e João Cavalcanti, 2016)
23. Coração vagabundo (Caetano Veloso, 1967)

Natalia Voss disse...

Oi, Mauro, o tal texto-manifesto contra a cultura do estupro e o preconceito foi escrito pelo Edu Krieger especialmente para o show, a pedido da própria Monique. Ela inclusive mencionou o nome dele ao final do número. Abs!

Mauro Ferreira disse...

Grato pela informação, Natalia. Já inclui no texto o crédito de Krieger. Sei que Kessous creditou a equipe técnica do show em cena, mas muitos nomes eu não consegui ouvir. Abs, MauroF

Rafael M. disse...

Roteiro impecável de músicas...