Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quinta-feira, 17 de março de 2016

Pitty, Nando, Paula e os Paralamas resumem 60 anos de rock em show no Rio

Na sexta edição, o projeto Nivea viva celebrou o rock made in Brasil em show que teve pré-estreia para convidados na noite de anteontem, 15 de março de 2016, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), antes de seguir por sete capitais do Brasil em apresentações gratuitas agendadas para período que vai de 3 de abril a 26 de junho. Foram 36 músicas em show que resumiu, em duas horas e 40 minutos, 60 anos de rock no Brasil, tomando-se como marco zero da produção nacional a edição, em dezembro de 1955, da gravação de Ronda das horas por Nora Ney (1922 - 2003), cantora carioca cuja voz de contralto estava até então associada somente ao samba-canção das esfumaçadas boates da época. Apesar do título em português Ronda das horas, Nora cantou em inglês a mesma Rock around the clock que em 1954 consagrara Bill Halley (1925 - 1981) e que batizara filme lançado em 1956. Contudo, o ponto de partida do roteiro criado pelo jornalista Hugo Sukman - sob a supervisão da diretora geral do show, Monique Gardenberg - foi o repertório de Celly Campello (1942 – 2003), cantora paulista que se tornou a primeira estrela do então emergente universo pop brasileiro entre 1958 e 1962. No palco da casa Vivo Rio, sob a direção musical do veterano Liminha, Nando Reis, Paula Toller e Pitty se revezaram na interpretação das 60 músicas com adesões d'Os Paralamas do Sucesso - grupo carioca que fez poucas, mas certeiras, intervenções no show - e também com Rodrigo Suricato e Dado Villa-Lobos, guitarristas da banda formada por Liminha (no baixo), Maurício Barros (nos teclados) e por Milton Guedes (no saxofone e na gaita). Eis o roteiro seguido em 15 de março de 2016 por Pitty, Nando, Paula Toller e Herbert Vianna - em foto de Rodrigo Goffredo - na estreia nacional do show  Nivea viva rock Brasil:

1. Banho de lua (Tintarella Di Luna) (Franco Migliacci e Bruno de Filippi, 1959, em versão 
    em português de Fred Jorge, 1960) /
2. É proibido fumar (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1964) /
3. Pode vir quente que eu estou fervendo (Eduardo Araújo e Carlos Imperial, 1967) /
4. Quero que vá tudo pro inferno (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1965)

    - Nando Reis, Paula Toller e Pitty
5. Panis et circenses (Caetano Veloso e Gilberto Gil, 1968) - Pitty
6. Ando meio desligado (Arnaldo Baptista, Sérgio Dias e Rita Lee, 1969)
    - Nando Reis, Paula Toller e Pitty
7. Agora só falta você (Rita Lee e Luiz Carlini, 1975) - Nando Reis, Paula Toller e Pitty
8. Ovelha negra (Rita Lee, 1975) - Paula Toller
9. Gita (Raul Seixas e Paulo Coelho, 1974) - Nando Reis

10. Sonífera ilha, (Branco Mello, Marcelo Fromer, Tony Bellotto, Carlos Barmack e Ciro
      Pessoa, 1984) - Nando Reis com Paralamas do Sucesso
11. Marvin (Patches) (Ronald Dumbar e General Johnson, 1970, em versão em português de
      Sergio Britto e Nando Reis, 1984) - Nando Reis com Paralamas do Sucesso
12. Óculos (Herbert Vianna, 1984) - Os Paralamas do Sucesso
13. Meu erro (Herbert Vianna, 1984) - Os Paralamas do Sucesso
14. Tempo perdido (Renato Russo, 1986) - Dado Villa-Lobos com Paralamas do Sucesso
15. Será (Dado Villa-Lobos, Marcelo Bonfá e Renato Russo, 1985)
      - Dado Villa-Lobos com Paralamas do Sucesso
16. Até quando esperar? (Philipe Seabra, André X e Gutje, 1986) - Pitty
17. Como eu quero (Paula Toller e Leoni, 1984 - Paula Toller
18. Nada sei (Apnéia) (Paula Toller e George Israel, 2002) - Paula Toller
19. A dois passos do paraíso (Evandro Mesquita e Ricardo Barreto, 1983) - Nando Reis
20. Ciúme (Roger Moreira, 1985) - Nando Reis
21. Olhar 43 (Luiz Schiavon e Paulo Ricardo, 1985 - Rodrigo Suricato
22. Fullgás (Marina Lima e Antonio Cícero, 1984) - Pitty
23. Me adora (Pitty, 2009) - Pitty
24. O segundo sol (Nando Reis, 1999) - Nando Reis
25. Vou deixar (Samuel Rosa e Chico Amaral, 2003) - Nando Reis e Paula Toller
26. Anna Julia (Marcelo Camelo, 1999) - Dado Villa-Lobos
27. Primeiros erros (Chove) (Kiko Zambianchi, 1985) - Paula Toller e Rodrigo Suricato
28. Talvez (Rodrigo Suricato, 2011) - Rodrigo Suricato
29. A praieira (Chico Science, 1994) - Pitty
30. Proibida pra mim (Chorão, Marcão, Champignon, Pelado e Thiago, 1997) - Nando Reis
31. Mulher de fases (Rodolfo Abrantes e Digão, 1999) - Rodrigo Suricato
32. Monte castelo (Renato Russo, 1989) - Rodrigo Suricato
33. O último romântico (Lulu Santos, Antônio Cícero e Sérgio Souza, 1984) - Todos os artistas
34. Pro dia nascer feliz (Cazuza e Frejat, 1983) - Todos os artistas
35. Do seu lado (Nando Reis, 2003) - Todos os artistas
Bis:
36. É preciso saber viver (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1968) - Todos os artistas
37. Agora só falta você (Rita Lee e Luiz Carlini, 1975) - Todos os artistas

8 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Na sexta edição, o projeto Nivea viva celebrou o rock made in Brasil em show que teve pré-estreia para convidados na noite de anteontem, 15 de março de 2016, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), antes de seguir por sete capitais do Brasil em apresentações gratuitas agendadas para período que vai de 3 de abril a 26 de junho. Foram 36 músicas em show que resumiu, em duas horas e 40 minutos, 60 anos de rock no Brasil, tomando-se como marco zero da produção nacional do gênero a edição, em dezembro de 1955, da gravação de Ronda das horas por Nora Ney (1922 - 2003), cantora carioca cuja voz de contralto estava até então associada somente ao samba-canção das esfumaçadas boates da época. Apesar do título em português Ronda das horas, Nora cantou em inglês a mesma Rock around the clock que em 1954 consagrara Bill Halley (1925 - 1981) e que batizara filme lançado em 1956. Contudo, o ponto de partida do roteiro criado pelo jornalista Hugo Sukman - sob a supervisão da diretora geral do show, Monique Gardenberg - foi o repertório de Celly Campello (1942 – 2003), cantora paulista que se tornou a primeira estrela do então emergente universo pop brasileiro entre 1958 e 1962. No palco da casa Vivo Rio, sob a direção musical de Liminha, Nando Reis, Paula Toller e Pitty se revezaram na interpretação das 60 músicas com adesões d'Os Paralamas do Sucesso - grupo carioca que fez poucas, mas certeiras, intervenções no show - e também com Rodrigo Suricato e Dado Villa-Lobos, guitarristas da banda formada por Liminha (no baixo), Maurício Barros (nos teclados) e por Milton Guedes (no saxofone e na gaita). Eis o roteiro seguido em 15 de março de 2016 por Pitty, Nando Reis, Paula Toller e Herbert Vianna - em foto de Rodrigo Goffredo - na boa) estreia nacional do festivo show Nivea viva rock Brasil:

Mauro Ferreira disse...

1. Banho de lua (Tintarella Di Luna) (Franco Migliacci e Bruno de Filippi, 1959, em versão em português de Fred Jorge, 1960) /
2. É proibido fumar (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1964) /
3. Pode vir quente que eu estou fervendo (Eduardo Araújo e Carlos Imperial, 1967) /
4. Quero que vá tudo pro inferno (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1965) - Nando Reis, Paula Toller e Pitty
5. Panis et circenses (Caetano Veloso e Gilberto Gil, 1968) - Pitty
6. Ando meio desligado (Arnaldo Baptista, Sérgio Dias e Rita Lee, 1969)- Nando Reis, Paula Toller e Pitty
7. Agora só falta você (Rita Lee e Luiz Carlini, 1975) - Nando Reis, Paula Toller e Pitty
8. Ovelha negra (Rita Lee, 1975) - Paula Toller
9. Gita (Raul Seixas e Paulo Coelho, 1974) - Nando Reis
10. Sonífera ilha, (Branco Mello, Marcelo Fromer, Tony Bellotto, Carlos Barmack e Ciro Pessoa, 1984) - Nando Reis com Paralamas do Sucesso
11. Marvin (Patches) (Ronald Dumbar e General Johnson, 1970, em versão em português de Sergio Britto e Nando Reis, 1984) - Nando Reis com Paralamas do Sucesso
12. Óculos (Herbert Vianna, 1984) - Os Paralamas do Sucesso
13. Meu erro (Herbert Vianna, 1984) - Os Paralamas do Sucesso
14. Tempo perdido (Renato Russo, 1986) - Dado Villa-Lobos com Paralamas do Sucesso
15. Será (Dado Villa-Lobos, Marcelo Bonfá e Renato Russo, 1985) - Dado Villa-Lobos com Paralamas do Sucesso
16. Até quando esperar? (Philipe Seabra, André X e Gutje, 1986)- Pitty
17. Como eu quero (Paula Toller e Leoni, 1984 - Paula Toller
18. Nada sei (Apnéia) (Paula Toller e George Israel, 2002) - Paula Toller
19. A dois passos do paraíso (Evandro Mesquita e Ricardo Barreto, 1983) - Nando Reis
20. Ciúme (Roger Moreira, 1985) - Nando Reis
21. Olhar 43 (Luiz Schiavon e Paulo Ricardo, 1985 - Rodrigo Suricato
22. Fullgás (Marina Lima e Antonio Cícero, 1984) - Pitty
23. Me adora (Pitty, 2009) - Pitty
24. O segundo sol (Nando Reis, 1999) - Nando Reis
25. Vou deixar (Samuel Rosa e Chico Amaral, 2003) - Nando Reis e Paula Toller
26. Anna Julia (Marcelo Camelo, 1999) - Dado Villa-Lobos
27. Primeiros erros (Chove) (Kiko Zambianchi, 1985) - Paula Toller e Rodrigo Suricato
28. Talvez (Rodrigo Suricato, 2011) - Rodrigo Suricato
29. A praieira (Chico Science, 1994) - Pitty
30. Proibida pra mim (Chorão, Marcão, Champignon, Pelado e Thiago, 1997) - Nando Reis
31. Mulher de fases (Rodrigo Abrantes e Digão, 1999) - Rodrigo Suricato
32. Monte castelo (Renato Russo, 1989) - Rodrigo Suricato
33. O último romântico (Lulu Santos, Antônio Cícero e Sérgio Souza, 1984) - Todos os artistas
34. Pro dia nascer feliz (Cazuza e Frejat, 1983) - Todos os artistas
35. Do seu lado (Nando Reis, 2003) - Todos os artistas
Bis:
36. É preciso saber viver (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1968) - Todos os artistas
37. Agora só falta você (Rita Lee e Luiz Carlini, 1975) - Todos os artistas

Rafael M. disse...

Bom repertório de músicas, mas que que poderiam ter chamado mais pessoas interessantes pra esse projeto do que a sem sal da Pitty.

italo vinicius disse...

roteiro do show poderia ter sido melhor escolhido e Paula Poller pra mim foi um tiro n'aguá

Marcelo disse...

Repertório excelente!! Pitty poderia ter ficado de fora! Wanderléa, Rita Lee ou Marina lima estariam bem melhor em seu lugar!!!

André disse...

Mauro, "Mulher de fases" é de Rodolfo Abrantes e Digão.

Mauro Ferreira disse...

Grato pelo toque, André. Já corrigi. Abs, MauroF

Rhenan Soares disse...

Um show ótimo pra colocar a Ana Cañas no meio. Não me conformo.

Fico bem irritado com essas homenagens ao Brasil que tacam música de gringo no meio. Ah, vá! Como se faltasse repertório...

Vou ver o show aqui em Brasília, mas já tô sofrendo por antecipação com o que diabos vão fazer com as músicas da Rita.

No mais, não faz o menor sentido Nando Reis em um projeto para intérpretes. Menor sentido. Ver o Nando cantar, aliás, é um negócio de aflição absurda, porque fico achando que ele vai ter um ataque de insuficiência respiratória a qualquer momento. =)