Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


terça-feira, 15 de março de 2016

Baby dá voz a 'Malandro' no 'Sambabook' que sai em julho com ode a Aragão

Samba que projetou Jorge Aragão como compositor há 40 anos, na voz de Elza Soares, Malandro (Jorge Aragão e Jotabê, 1976) ganha registro de Baby do Brasil. Coube a Baby cantar Malandro na primeira participação no Sambabook, projeto da empresa Musickeria. Na quinta edição do projeto multimídia, o Sambabook celebra a obra do carioca Jorge Aragão. Previsto para ser lançado em julho deste ano de 2016, em diversas plataformas (CD duplo, DVD, blu-ray, especial de TV no Canal Brasil, livro discobiográfico, fichário com partituras, ambiente web com portal e redes sociais, além de aplicativos para smartphones e tablets), o Sambabook Jorge Aragão vai apresentar gravações inéditas do cancioneiro autoral do compositor de Toque de malícia (Jorge Aragão, 1984), samba revivido por Lenine, frequentador entusiasmado das rodas de samba promovidas pelo bloco Cacique de Ramos no início da década de 1980. Com direção geral de Bruno Murtinho, direção artística de Afonso Carvalho e produção musical de Alceu Maia, o Sambabook Jorge Aragão traz no elenco nomes como Ivan Lins - intérprete de Alvará (Jorge Aragão, 1992) - e Maria Rita, que gravou Do fundo do nosso quintal (Jorge Aragão e Alberto Souza, 1987), samba que já cantava no show Coração a batucar. Bamba do samba projetado na geração de pagodeiros do Cacique de Ramos, Zeca Pagodinho deu voz a Quintal do céu, parceria de Aragão com Wilson Moreira lançada há 30 anos pelo próprio Zeca no primeiro álbum solo, Zeca Pagodinho (RGE, 1986). Já Martinho da Vila pôs voz em outro samba de 1986, Coisa de pele (Jorge Aragão e Acyr Marques), hino da geração pagodeira revelada nos anos 1980. As gravações do Sambabook Jorge Aragão - que tiveram intervenções de Anitta em Coisinha do pai (Jorge Aragão, Almir Guineto e Luiz Carlos Chuchu, 1979), de Elza Soares em Identidade (Jorge Aragão, 1992) e de Emicida em Moleque atrevido (Jorge Aragão, Flávio Cardoso e Paulinho Resende, 1998) - foram realizadas na primeira quinzena deste mês de março de 2016 na Grande Sala da Fundação Cidade das Artes, no Rio de Janeiro (RJ).

9 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Samba que projetou Jorge Aragão como compositor há 40 anos, na voz de Elza Soares, Malandro (Jorge Aragão e Jotabê, 1976) ganha registro de Baby do Brasil. Coube a Baby cantar Malandro na primeira participação no Sambabook, projeto da empresa Musickeria. Na quinta edição do projeto multimídia, o Sambabook celebra a obra do carioca Jorge Aragão. Previsto para ser lançado em julho deste ano de 2016, em diversas plataformas (CD duplo, DVD, blu-ray, especial de TV no Canal Brasil, livro discobiográfico, fichário com partituras, ambiente web com portal e redes sociais, além de aplicativos para smartphones e tablets), o Sambabook Jorge Aragão vai apresentar gravações inéditas do cancioneiro autoral do compositor de Toque de malícia (Jorge Aragão, 1984), samba revivido por Lenine, frequentador entusiasmado das rodas de samba promovidas pelo bloco Cacique de Ramos no início da década de 1980. Com direção geral de Bruno Murtinho, direção artística de Afonso Carvalho e produção musical de Alceu Maia, o Sambabook Jorge Aragão traz no elenco nomes como Ivan Lins - intérprete de Alvará (Jorge Aragão, 1992) - e Maria Rita, que gravou Do fundo do nosso quintal (Jorge Aragão e Alberto Souza, 1987), samba que já cantava no show Coração a batucar. Bamba do samba projetado na geração de pagodeiros do Cacique de Ramos, Zeca Pagodinho deu voz a Quintal do céu, parceria de Aragão com Wilson Moreira lançada há 30 anos pelo próprio Zeca no primeiro álbum solo, Zeca Pagodinho (RGE, 1986). Já Martinho da Vila pôs voz em outro samba de 1986, Coisa de pele (Jorge Aragão e Acyr Marques), hino da geração pagodeira revelada nos anos 1980. As gravações do Sambabook Jorge Aragão - que tiveram intervenções de Anitta em Coisinha do pai (Jorge Aragão, Almir Guineto e Luiz Carlos Chuchu, 1979), de Elza Soares em Identidade (Jorge Aragão, 1992) e de Emicida em Moleque atrevido (Jorge Aragão, Flávio Cardoso e Paulinho Resende, 1998) - foram realizadas na primeira quinzena deste mês de março de 2016 na Grande Sala da Fundação Cidade das Artes, no Rio de Janeiro (RJ).

italo vinicius disse...

Estamos com falta de cantoras no Brasil produção??

italo vinicius disse...

Baby sim é um auxílio luxuoso aos nossos ouvidos Já até imagino sua interpretação.

Rafael M. disse...

Nossa, não sabia que as Baby estava participando desse projeto... Será uma delícia ouvir ela cantando essa canção do Aragão... E pelo amor de Deus, façam logo o "Sambabook Paulinho da Viola"... Não sei por quê não estão mais querendo fazê-lo...

Marcelo Barbosa disse...

Maravilha! Virei fã depois do A menina ainda dança ao vivo (dvd + cd, por sinal maravilhoso!)! Sem contar que a Baby arrasa no samba.
Que continue a sua discografia dentro da MPB e deixe o gospel/música religiosa para a igreja.
Abs

Marcelo Barbosa disse...

Mauro, por favor nos informe o que a Rainha do Samba cantará. Abs

lurian disse...

Será sempre bem-vinda no mundo secular Baby.

Roseane Almeida disse...

Beth canta Pedaço de Ilusão, Marcelo Barbosa.

Marcelo Barbosa disse...

Obrigado pela informação, Roseane! Beth poderia gravar algo do Aragão que tenha sido lançado por outro artista.
De qualquer forma, Pedaço de Ilusão, lançado por ela no lp Na Fonte, é lindo e merece uma regravação 35 anos depois (apesar da já existente regravação no cd Pagode de Mesa 1, de 1999).