Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quinta-feira, 24 de março de 2016

DVD 'Rainha dos raios ao vivo' expõe Alice em instante de plenitude artística

Resenha de DVD
Título: Rainha dos raios ao vivo
Artista: Alice Caymmi
Gravadora: Universal Music
Cotação: * * * * *

A edição do primeiro DVD de Alice Caymmi, Rainha dos raios ao vivo, chega ao mercado fonográfico um pouco tardia, neste mês de março de 2016, mas ainda em tempo de perpetuar um instante de plenitude artística da cantora e compositora carioca. A artista já mostrou que honraria o nobre sobrenome no álbum de estreia, Alice Caymmi (Kuarup / Sony Music, 2012). Entre músicas inéditas de safra autoral que vislumbrava o horizonte da MPB, Alice mostrou que criava onda própria ao dar a voz grave a Sargaço mar (Dorival Caymmi, 1985), música do avô-gênio que rendeu clipe exibido na versão mais bem acabada do show Rainha dos raios e rebobinada nos extras do DVD ora lançado e captado em dezembro de 2014 na apresentação do espetáculo no Teatro Itália, na cidade de São Paulo (SP). Até a cantora e compositora islandesa Björk manifestou publicamente a admiração com a abordagem de Unravel (Björk e Guy Sigsworth, 1997) que valorizou o primeiro álbum de Alice. Contudo, foi com a edição do segundo álbum - Rainha dos raios, lançado pela gravadora Joia Moderna, do DJ Zé Pedro, em 15 de setembro de 2014 - que Alice Caymmi cresceu, apareceu e seduziu o universo pop em 2014 com sucesso que se estendeu por 2015. O encontro da artista com o produtor e multi-instrumentista Diogo Strausz - piloto do disco e único músico presente no palco do Teatro Itália - resultou em disco inebriante que evidenciou a forte personalidade de Alice Caymmi como intérprete, expandiu o universo estético-musical da artista (com repertório que ia de MC Marcinho a Caetano Veloso, passando por Alberto Continentino e Domenico Lancellotti, compositores da apoteótica Como vês) e gerou show que teve versão mais convencional até ser remodelado pelo diretor Paulo Borges, ícone da moda paulistana, na primeira incursão pelo mundo da música. O DVD Rainha dos raios ao vivo exibe a versão hi-tech concebida por Borges. Trata-se de impactante espetáculo audiovisual que ampliou o significado das músicas do disco - com base no vídeo-cenário criado por Richard Luiz, diretor do DVD - e acrescentou outras músicas ao repertório de Alice (clique aqui para ler a resenha do show e aqui para ver o roteiro seguido pela cantora nas apresentações do Teatro Itália). Além de criar a cena do espetáculo, Borges se revelou diretor sensível ao refinar a postura da cantora em cena, podando excessos que evidenciaram, na versão anterior do show, a necessidade de um diretor (Alice costumava falar muito e por vezes perdia a noção de timing do show). O que se vê e ouve no DVD Rainha dos raios ao vivo é um show perfeito de uma cantora em momento áureo, valorizado - verdade seja dita - pela produção sofisticada erguida em tempo recorde, somente quatro meses após o telefonema dado por Alice em agosto de 2014 para o DJ Zé Pedro para sondar a viabilidade do álbum Rainha dos raios ser editado pela gravadora Joia Moderna. O disco em si já estava pronto, mas foi a ponte entre Zé Pedro e Paulo Borges que pavimentou a versão mais refinada do show Rainha dos raios ora eternizada no DVD, cujos extras incluem making of e o clipe do samba Falam de mim (Noel Rosa de Oliveira, Éden Silva e Aníbal Silva, 1948) que propaga a gravação lançada pela cantora na web em 9 de fevereiro de 2015. É registro destoante do clima do show, feito já sem a produção fundamental de Diogo Strausz. Clipe por clipe, o da valsa Antes de tudo (Alice Caymmi, 2014) - cujo vídeo também é rebobinado nos extras - está mais em sintonia com o tom impactante do disco e show Rainha dos raios. E o clipe de Homem (Caetano Veloso, 2006) - filmado com travestis e exibido no DVD ao fim do show, como vídeo escondido fora dos extras - corrobora a força e o impacto daquele momento na carreira da artista, que realmente reinou entre o fim de 2014 e o início de 2015. Caberá ao tempo rei mostrar se Alice Caymmi vai se manter rainha no universo pop em álbuns e shows futuros. Ou se o espetáculo exibido em Rainha dos raios ao vivo vai se tornar o instante mais relevante da carreira da artista. Um instante de plenitude deixado para a eternidade.

9 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ A edição do primeiro DVD de Alice Caymmi, Rainha dos raios ao vivo, chega ao mercado fonográfico um pouco tardia, neste mês de março de 2016, mas ainda em tempo de perpetuar um instante de plenitude artística da cantora e compositora carioca. A artista já mostrou que honraria o nobre sobrenome no álbum de estreia, Alice Caymmi (Kuarup / Sony Music, 2012). Entre músicas inéditas de safra autoral que vislumbrava o horizonte da MPB, Alice mostrou que criava onda própria ao dar a voz grave a Sargaço mar (Dorival Caymmi, 1985), música do avô-gênio que rendeu clipe exibido na versão mais bem acabada do show Rainha dos raios e rebobinada nos extras do DVD ora lançado e captado em dezembro de 2014 na apresentação do espetáculo no Teatro Itália, na cidade de São Paulo (SP). Até a cantora e compositora islandesa Björk manifestou publicamente a admiração com a abordagem de Unravel (Björk e Guy Sigsworth, 1997) que valorizou o primeiro álbum de Alice. Contudo, foi com a edição do segundo álbum - Rainha dos raios, lançado pela gravadora Joia Moderna, do DJ Zé Pedro, em 15 de setembro de 2014 - que Alice Caymmi cresceu, apareceu e seduziu o universo pop em 2014 com sucesso que se estendeu por 2015. O encontro da artista com o produtor e multi-instrumentista Diogo Strausz - piloto do disco e único músico presente no palco do Teatro Itália - resultou em disco inebriante que evidenciou a forte personalidade de Alice Caymmi como intérprete, expandiu o universo estético-musical da artista (com repertório que ia de MC Marcinho a Caetano Veloso, passando por Alberto Continentino e Domenico Lancellotti, compositores da apoteótica Como vês) e gerou show que teve versão mais convencional até ser remodelado pelo diretor Paulo Borges, ícone da moda paulistana, na primeira incursão pelo mundo da música. O DVD Rainha dos raios ao vivo exibe a versão hi-tech concebida por Borges. Trata-se de impactante espetáculo audiovisual que ampliou o significado das músicas do disco - com base no vídeo-cenário criado por Richard Luiz, diretor do DVD - e acrescentou outras músicas ao repertório de Alice (clique aqui para ler a resenha do show e aqui para ver o roteiro seguido pela cantora nas apresentações do Teatro Itália). Além de criar a cena do espetáculo, Borges se revelou diretor sensível ao refinar a postura da cantora em cena, podando excessos que evidenciaram, na versão anterior do show, a necessidade de um diretor (Alice costumava falar muito e por vezes perdia a noção de timing do show). O que se vê e ouve no DVD Rainha dos raios ao vivo é um show perfeito de uma cantora em momento áureo. Uma produção sofisticada erguida em tempo recorde, somente quatro meses após o telefonema dado por Alice em agosto de 2014 para o DJ Zé Pedro para sondar a viabilidade do álbum Rainha dos raios ser editado pela gravadora Joia Moderna. O disco em si já estava pronto, mas foi a ponte entre Zé Pedro e Paulo Borges que pavimentou a versão mais refinada do show Rainha dos raios ora eternizada no DVD, cujos extras incluem making of e o clipe do samba Falam de mim (Noel Rosa de Oliveira, Éden Silva e Aníbal Silva, 1948) que propaga a gravação lançada pela cantora na web em 9 de fevereiro de 2015. É registro destoante do clima do show, feito já sem a produção fundamental de Diogo Strausz. Clipe por clipe, o da valsa Antes de tudo (Alice Caymmi, 2014) - cujo vídeo também é rebobinado nos extras - está mais em sintonia com o tom impactante do disco e show Rainha dos raios. Caberá ao tempo rei mostrar se Alice Caymmi vai se manter rainha no universo pop em álbuns e shows futuros. Ou se o espetáculo exibido em Rainha dos raios ao vivo vai se tornar o instante mais relevante da carreira da artista. Um instante de plenitude deixado para a eternidade.

Rafael M. disse...

Achei um tanto quanto exagerado estas 5 estrelas para esse DVD... Esse disco dela não foi grande coisa não... Mas de qualquer forma, quero muito conferir o resultado final desse trabalho...

Igor A. disse...

Quem não viu o show vai achar que o Mauro está exagerando. Quem viu certamente vai concordar. Esse é um espetáculo de primeira grandeza! Fiquei em êxtase em vê-lo no Rio. Inclusive, acho uma pena que, nesse formato, o Rainha dos Raios tenha sido apresentado poucas vezes.

Rhenan Soares disse...

"Alice falava demais", hahaha! Eu amo. <3
Eu continuo tendo birra com esses cenários que se resumem a telão, mas pelo pouco que vi na internet, o trabalho está mesmo excelente. Vou providenciar.

O blog disse...

Fui no show Rainha dos Raios no Circo Voador e como o Igor disse, quem certamente viu o show vai concordar com as 5 estrelas. O dvd tá maravilhoso tb! comprei e recomendo.

Raffa disse...

O show que vi no aniversário de São Paulo, no ano passado, certamente não foi do mesmo formato que alguns leitores conferiram em outras poucas apresentações. O que eu vi foi bem abaixo da média, quase amador!

Pedro Progresso disse...

Assisti Rainha dos raios em SP na gravação e no Rio na Sala Cecilia Meireles e foi tudo isso mesmo> exuberante, grandioso, ultrapop. Gostei mais da apresentação no Rio pq Alice tava mais solta, msm assim, vale a pena.
Quanto ao show no aniversario de SP se nao me engano o show completo nem tinha estreado

Douglas Carvalho disse...

Assim... acho que Alice tem muitas limitações como cantora ainda. Ela semitona, desafina... mas acho que aí está parte do encanto dessa moça, num momento em que tantas e tantas novas cantoras parecem menininhas chupando pirulitos com laçarotes cor de rosa na cabeça, todas boazinhas, fofinhas demais. Alice tem uma sujeira, uma esquisitice que andava faltando nas novas cantoras da MPB. Das novíssimas acho que ela só perde para Simone Mazzer (essa é pro rol de grandes com G maiúsculo) e se equipara a Tulipa Ruiz que é ótima cantora, mas deveria, como Alice, gravar menos músicas próprias, pq não é a compositora que acredita que é.

ADEMAR AMANCIO disse...

Espero que não seja como Marisa monte,que começou como grande cantora-pop e acabou se tornando só isso mesmo,pop demais.