Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quarta-feira, 16 de março de 2016

Bethânia desenterra mistérios da voz sagrada em gravação feita para novela

Sob sublime direção artística de Zé Miguel Wisnik, Maria Bethânia desenterra os mistérios da voz sagrada em gravação inédita produzida por Márcio Arantes para a trilha sonora da novela Velho Chico, exibida pela TV Globo às 21h. A cantora baiana - em foto de Gringo Cardia - dá voz a Mortal loucura, música criada pelo compositor Zé Miguel Wisnik a partir de versos barrocos do poeta baiano Gregório de Matos (1636 - 1696). O arranjo da gravação de Bethânia - tocado pelos músicos Marcio Arantes (baixo synth e guitarras), Siba (rabeca), Guilherme Kastrup (percussão) e Paulinho Dalfin (viola caipira) - remete a um universo sertanejo e agreste que pautou gravações da intérprete na década de 1960. A gravação de Bethânia já está em rotação no YouTube e banha o árido sertão brasileiro de modernidade até então bissexta na vasta discografia da cantora. Mortal loucura é música criada para a trilha sonora de Onqotô (2005), balé do Grupo Corpo. A trilha desse balé foi criada e assinada por Zé Miguel Wisnik em parceria com Caetano Veloso, os intérpretes da gravação original de Mortal loucura.

23 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Sob sublime direção artística de Zé Miguel Wisnik, Maria Bethânia desenterra os mistérios da voz sagrada em gravação inédita produzida por Márcio Arantes para a trilha sonora da novela Velho Chico, exibida pela TV Globo às 21h. A cantora baiana - em foto de Gringo Cardia - dá voz a Mortal loucura, música criada pelo compositor Zé Miguel Wisnik a partir de versos barrocos do poeta baiano Gregório de Matos (1636 - 1696). O arranjo da gravação de Bethânia - tocado pelos músicos Marcio Arantes (baixo synth e guitarras), Siba (rabeca), Guilherme Kastrup (percussão) e Paulinho Dalfin (viola caipira) - remete a um universo sertanejo e agreste que pautou gravações da intérprete na década de 1960. A gravação de Bethânia já está em rotação no YouTube. Mortal loucura é música criada para a trilha sonora de Onqotô (2005), balé do Grupo Corpo. A trilha do balé é assinada por Wisnik com Caetano Veloso, intérpretes da gravação original de Mortal loucura.

Unknown disse...

é uma das gravações mais bonitas de bethânia. muito moderno, remete aos sons do disco oásis. espero que isso seja uma prévia do que virá na discografia dela.

Unknown disse...

é uma das gravações mais bonitas de bethânia. muito moderno, remete aos sons do disco oásis. espero que isso seja uma prévia do que virá na discografia dela.

Luiz Claudio Lins disse...

Um comentário muito pessoal:

Desde os últimos trabalhos mais acústicos, seja por determinação da cantora ou por decisão tomada na mixagem há uma frontalização excessiva da sua voz que se sobrepõe ao arranjo. Parecem duas coisas distintas que caminham paralelas e que raramnete se encontram.

Para efeito de comparação vem à mente a gravação da mesma composição por Mônica Salmaso onde a voz está a serviço da melodia e do arranjo e não o contrário.

Do jeito que está a gravação de Bethânia ela poderia estar acompanhada de um único instrumento que seria bem semelhante.

Eu, humildemente, acho que ela não precisa ter sua voz colocada em tamanho destaque pois ela, por si só, já possui toda a beleza e força de expressão que conhecemos há décadas.

Mesmo assim, uma trabalho belo

Rafael M. disse...

Bethânia arrasa como sempre... Tudo o que ela canta fica memorável em sua voz... Uma gravação lindíssima dela...

Marcelo Donati disse...

Realmente, é uma gravação muito bonita.

VANIA MOREIRA disse...

É simplesmente maravilhoso e sublime,tinha que partir da voz de uma das melhores cantoras dos últimos anos
Bethania sempre será consagrada como a melhor intérprete dos últimos 50 anos. Vamos aplaudi

Marcelo disse...

Vamos aplaudiR !!! Sempre!

Unknown disse...

Lindo demais!

luis claudio de oliveira disse...

Absolutamente impressionante!!
Belíssima e impactante gravação! Bethânia reza quando canta. É um canto xamâniaco. Parece um pajé. Sempre com a proposta de acionarmos nosso universo emocional para melhor percebê-la. Foi fortíssimo na cena da novela.
A voz, ostensivamente, à serviço de encantamentos. Soberana.

luis claudio de oliveira disse...

Gosto muito da gravação da Mônica Salmaso também, mas compará-las seria atestar não saber ouvir nem a uma nem a outra. Linda gravação da Bethânia!

André M. Amorim disse...

A poesia e melodia de Wisnik são fenomenais. A própria gravação de Wisnik é excelente, assim como a da Monica Salmaso (como tudo que ela faz, diga-se de passagem). Mas essa gravação da Bethânia é mais um daqueles casos onde tudo se encaixa. Maria Bethânia mais uma vez nos deixando arrepiados por toda beleza da interpretação. Bravo!

Naja Najito disse...

Sei que os universos musicais são bem diferentes, mas essa música e esse arranjo me lembraram bastante Heroin (e um pouco de Venus in Furs) do Velvet Underground. Será que o Wisnik se inspirou no grupo nova iorquino?

André M. Amorim disse...

Ahhhh... Letra feita com base em poesia do Gregório de Matos... Wisnik & Gregório...

luis claudio de oliveira disse...

Corrigindo: Bethânia tem um canto xamânico!!

BIGODE disse...

Caso típico de muita estrela prá pouca constelação (todo mundo sai ofuscado de tanto brilho)

lurian disse...

Gostei muito do arranjo, acho que Bethânia poderia se arriscar mais a trabalhar com esses novos nomes luxuosos como Siba. Quanto à gravação a da Monica Salmaso é realmente mais melodiosa e está plenamente a serviço dos versos, a da Bethânia é mais agreste, rude, selvagem... uma não se sobrepõe a outra pelo fato de serem tão diferentes.
Cabe registrar ainda que a Izabel Padovani também fez excelente gravação dessa música.

Rhenan Soares disse...

Curioso o comentário do Luiz Claudio Lins. Eu já acho sensacional esse valor dado a voz da Bethânia na mixagem dos últimos discos. Inclusive sinto muita falta de vozes que apareçam desta forma. O disco mais recente do Felipe Catto, por exemplo, é um pecado o que fizeram com a voz dele, subvalorizada em quase todas as faixas. Mas eu realmente gosto mais de voz do que de instrumento. No mais, não vejo a melodia prejudicada na gravação da Bethânia, de forma alguma.

Milton Luiz disse...

Essa gravação de Bethânia é uma lufada de expectativa. A melhor dela nos últimos anos. Além da linda canção de Wisnik a partir de poema de Gregório de Matos, o arranjo de Márcio Arantes que tem, entre outros, Siba, é primoroso. E já cria expectativa para que venha por aí um trabalho renovado e contemporâneo da Abelha Rainha. Agora é torcer os dedos

ggermanodiniz disse...

Não custa sonhar com um CD de D. Maria sò com músicas de Wisnik!

Clayton Moreira disse...

Até hoje não lançaram no YT a gravação nova de Caetano Veloso para "Tropicália", com a participação da Orquestra Sinfônica de Heliópolis. Tem notícia, Mauro, sobre quando vão lançar?

Mauro Ferreira disse...

Clayton, a gravação foi feita para a novela. Nem todo artista lança single na web com gravações de projetos alheios. Abs, MauroF

SDUarte disse...

Espetacular.