Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


terça-feira, 21 de abril de 2015

Salmaso canta Alceu com arranjo que evoca riqueza da nação nordestina

Resenha de single
Título: Na primeira manhã
Artista: Mônica Salmaso
Gravadora: Biscoito Fino
Cotação: * * * * *

A edição do single Na primeira manhã - já disponível em todas as plataformas digitais com a gravação feita por Mônica Salmaso para a trilha sonora da novela Sete vidas (TV Globo, 2015) - prova que uma música sempre pode ser renovada, mesmo que já tenha recebido gravações antológicas. Canção dramática que se desvia do trilho festivo que pauta a maior parte do repertório do cantor e compositor pernambucano Alceu Valença, Na primeira manhã - lançada na voz do autor no álbum Coração bobo (Ariola, 1980) - já tinha merecido registro soberano de Maria Bethânia, lançado no álbum A beira e o mar (Philips, 1984). Pois Salmaso - grande cantora de técnica irretocável - enfrenta Na primeira manhã longe do tom dramático da intérprete baiana e, talvez por isso mesmo, apresenta abordagem primorosa que expõe outra visão da música sem correr o risco inglório da comparação, até porque o clima é outro. O maior trunfo da gravação de Salmaso é o arranjo que evoca toda a riqueza musical da nação nordestina. Em harmonia, os toques virtuosos dos músicos Teco Cardoso (flautas), Lulinha Alencar (acordeom), Neymar Dias (viola caipira), Dimos Goudarolis (cello) e Robertinho Silva (percussão) abarcam e evocam o belo universo dos aboios, do pífanos de Caruaru (PE) e da pulsação mais pungente da música do Nordeste, cujo território ancestral foi mais bem demarcado no mapa da música do Brasil a partir da propulsão da obra seminal de Luiz Gonzaga (1912 - 1989). As evocações são feitas de forma progessiva sem que o som embole referências. Sugerindo movimento, o arranjo segue o trilho existencial da personagem da canção, um ser desnorteado com a solidão potencializada pela perda de um amor e que, diante da ausência, caminha como "um boi no meio da multidão... um carro correndo em contramão". Enfim, Na primeira manhã é grande gravação em que Salmaso se posiciona (mais uma vez) como uma cantora com dotes de músico, integrando sua voz - seu lamento - com os instrumentos ouvidos em arranjo tradutor dos profundos sentimentos da canção. 

8 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ A edição do single Na primeira manhã - já disponível em todas as plataformas digitais com a gravação feita por Mônica Salmaso para a trilha sonora da novela Sete vidas (TV Globo, 2015) - prova que uma música sempre pode ser renovada, mesmo que já tenha recebido gravações antológicas. Canção dramática que se desvia do trilho festivo que pauta a maior parte do repertório do cantor e compositor pernambucano Alceu Valença, Na primeira manhã - lançada na voz do autor no álbum Coração bobo (Ariola, 1980) - já tinha merecido registro soberano de Maria Bethânia, lançado no álbum A beira e o mar (Philips, 1984). Pois Salmaso - grande cantora de técnica irretocável - enfrenta Na primeira manhã longe do tom dramático da intérprete baiana e, talvez por isso mesmo, apresenta abordagem primorosa que expõe outra visão da música sem correr o risco inglório da comparação, até porque o clima é outro. O maior trunfo da gravação de Salmaso é o arranjo que evoca toda a riqueza musical da nação nordestina. Em harmonia, os toques virtuosos dos músicos Teco Cardoso (flautas), Lulinha Alencar (acordeom), Neymar Dias (viola caipira), Dimos Goudarolis (cello) e Robertinho Silva (percussão) abarcam e evocam o belo universo dos aboios, do pífanos de Caruaru (PE) e da pulsação menos alegre da música do Nordeste, cujo território ancestral foi mais bem demarcado no mapa da música do Brasil a partir da propulsão da obra seminal de Luiz Gonzaga (1912 - 1989). As evocações são feitas de forma progessiva sem que o som embole referências. Sugerindo movimento, o arranjo segue o trilho existencial da personagem da canção, um ser desnorteado com a solidão potencializada pela perda de um amor e que, diante da ausência, caminha como "um boi no meio da multidão... um carro correndo em contramão". Enfim, Na primeira manhã é grande gravação em que Salmaso se posiciona (mais uma vez) como uma cantora com dotes de músico, integrando sua voz - seu lamento - com os instrumentos ouvidos em arranjo tradutor dos profundos sentimentos da canção.

Rafael M. disse...

Mônica Salmaso é tudo de bom... Grande cantora, de voz ímpar... Essa sua versão de "Na Primeira Manhã" é linda de doer... Muito sensível, bela...

noca disse...

Tudo de bom...

Vladimir disse...

Na MPB, não há o que não haja!!!

[rafael ribeiro] disse...

...francamente, não gostei ! Pra mim, regravação que merece destaque desta música é a que Renata Arruda fez em 1993, no album "Traficante de Ilusões"....Inclusive com participação do Alceu ! Sei lá a da Monica não enfeitiçou-me ! [rf.]

Marcelo disse...

Monica é um balsamo nos nossos ouvidos no meio de tanta gente chata e sem graça e talento!!!

Fabio disse...

Monica, saia da zona de conforto uma vez na vida! Que letargia! Seus CDs são bons pros dias de insônia, melhor que chá de capim cidreira!

Flavimar Dïniz disse...

Arranjo primoroso, e voz maravilhosa, como sempre. Salmaso é de fato uma das vozes mais significativas desse país.