Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sexta-feira, 3 de junho de 2016

Saída de Bruno Boncini da Malta torna incertos futuros do cantor e da banda

EDITORIAL - Anunciada em redes sociais no início da noite de ontem, 2 de junho de 2016, a saída de Bruno Boncini da Malta - para seguir carreira solo - torna incertos o futuro do cantor e da banda formada em 2013 para participar da primeira edição do reality musical Superstar, exibida pela TV Globo de abril a junho de 2014. Boncini era o vocalista e principal compositor da banda que venceu o Superstar e se tornou um dos fenômenos comerciais do mercado fonográfico brasileiro em 2014 por conta das 280 mil cópias vendidas da edição física em CD do primeiro álbum da Malta. Em bom português, Boncini - visto em foto postada na página oficial do cantor no Facebook - era a cara e a voz da Malta. Mas isso não significa que Boncini triunfará necessariamente em carreira solo. Há vocalistas que se deram bem longe das bandas que os projetaram, casos de Alexandre Pires, Belo e - sobretudo - de Ivete Sangalo. Já Rodolfo Abrantes nunca foi o mesmo sem Os Raimundos. O mesmo podendo ser dito de Bell Marques fora do Chiclete com Banana. Fora do Grupo Revelação, Xande de Pilares firmou parcerias com cantoras como Roberta Sá e Zélia Duncan, mas ainda não aliou a popularidade dos tempos do Revelação ao prestígio que começa a adquirir como compositor. Boncini tem carisma e pode vir a se juntar ao grupo dos bem-sucedidos em carreira solo. Mas, por ora, o êxito do cantor em carreira solo é uma incógnita. Assim como o êxito da continuidade da banda. Os integrantes remanescentes da Malta - Adriano Daga (bateria), Diego Lopes (baixo) e Thor Moraes (guitarra) - já avisaram que vão procurar outro vocalista para seguir com a banda. Seja como for, o fato é que a saída de Boncini da Malta soa precoce, ainda que não seja imediata. Até 25 de setembro de 2016, Boncini vai honrar os compromissos profissionais da agenda da Malta. De todo modo, os comunicados oficiais - tanto o assinado por Boncini como o feito pela Malta - sustentam que a decisão da saída do vocalista foi tomada de comum acordo, em harmonia. Nem cabe especular sobre decisão aparentemente irreversível. Se houve desentendimento, foi de ordem particular. Mas cabe questionar se essa decisão foi acertada e se trará benefícios para ambos - o vocalista e a banda - a médio prazo.

6 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ EDITORIAL - Anunciada em redes sociais no início da noite de ontem, 2 de junho de 2016, a saída de Bruno Boncini da Malta - para seguir carreira solo - torna incertos o futuro do cantor e da banda formada em 2013 para participar da primeira edição do reality musical Superstar, exibida pela TV Globo de abril a junho de 2014. Boncini era o vocalista e principal compositor da banda que venceu o Superstar e se tornou um dos fenômenos comerciais do mercado fonográfico brasileiro em 2014 por conta das 280 mil cópias vendidas da edição física em CD do primeiro álbum da Malta. Em bom português, Boncini - visto em foto postada na página oficial do cantor no Facebook - era a cara e a voz da Malta. Mas isso não significa que Boncini triunfará necessariamente em carreira solo. Há vocalistas que se deram bem longe das bandas que os projetaram, casos de Alexandre Pires, Belo e - sobretudo - de Ivete Sangalo. Já Rodolfo Abrantes nunca foi o mesmo sem Os Raimundos. O mesmo podendo ser dito de Bell Marques fora do Chiclete com Banana. Fora do Grupo Revelação, Xande de Pilares firmou parcerias com cantoras como Roberta Sá e Zélia Duncan, mas ainda não aliou a popularidade dos tempos do Revelação ao prestígio que começa a adquirir como compositor. Boncini tem carisma e pode vir a se juntar ao grupo dos bem-sucedidos em carreira solo. Mas, por ora, o êxito do cantor em carreira solo é uma incógnita. Assim como o êxito da continuidade da banda. Os integrantes remanescentes da Malta - Adriano Daga (bateria), Bruno Boncini (voz), Diego Lopes (baixo) e Thor Moraes (guitarra) - vão procurar outro vocalista e seguir com a banda. Seja como for, o fato é que a saída de Boncini da Malta soa precoce, ainda que não seja imediata. Até 25 de setembro de 2016, Boncini vai honrar os compromissos profissionais da agenda da Malta. De todo modo, os comunicados oficiais - tanto o assinado por Boncini como o feito pela Malta - sustentam que a decisão da saída do vocalista foi tomada de comum acordo, em harmonia. Nem cabe especular sobre decisão aparentemente já irreversível. Cabe, sim, questionar se essa decisão foi acertada e se trará benefícios para ambos a médio prazo.

Marcelo Barbosa disse...

Tem que excluir o nome do Bruno na parte dos integrantes remanescentes da banda, Mauro.

PS: Gosto do primeiro disco e não comprei o segundo. Pelo visto é mais um caso efêmero na MPB. Uma pena, pois, mostraram consistência no primeiro projeto.

Mauro Ferreira disse...

Grato pelo toque, Marcelo. Abs, MauroF

aguiar_luc disse...

Tão cedo!! Subiu rápido a cabeça hein? Se joga no Sertanejo Universitário, eles estão aceitando currículos!

Luca disse...

se o cara tem carisma, capaz de dar certo

Andy Pereira disse...

Sucesso pra ele, mesmo achando que o cara e essa banda nunca foram grande coisa.