Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quinta-feira, 2 de junho de 2016

No show dos 50 anos, MPB4 celebra Magro com poema (inédito) de Pinheiro

No dia seguinte da saída de cena de Antônio José Waghabi Filho (14 de novembro de 1943 - 8 de agosto de 2012), o Magro, arranjador que criou a marca vocal do MPB4 ao longo de cinco décadas, Paulo César Pinheiro escreveu o poema Amigo do peito. O MPB4 musicou os versos do poeta e o cantou pela primeira vez em público em show feito no início de 2013, no Teatro Rival, na cidade do Rio de Janeiro (RJ). Mas é na forma original de poema - recitado por Miltinho - que Amigo do peito volta à cena, três anos depois. Ainda inédito em disco, o poema integra o roteiro do show em que o MPB4 celebra os (mais de) 50 anos de vida e a edição do primeiro álbum de músicas inéditas em 32 anos, MPB4 50 anos - O sonho, a vida, a roda viva!, lançado pelo Selo Sesc em maio deste ano de 2016. Amigo do peito abre bloco em homenagem a Magro no show que, após estrear em São Paulo (SP), chegou à cidade do Rio de Janeiro (RJ) em temporada iniciada na noite de hoje, 2 de junho de 2016, no Teatro Serrador. Durante todas as quintas-feiras deste mês de junho, o MPB4 - atualmente formado por Aquiles, Miltinho, Dalmo Medeiro e Paulo Malaguti - vai estar no palco do revitalizado Teatro Serrador para mostrar parte do repertório inédito do álbum recém-lançado e para reviver as músicas mais emblemáticas na cinquentenária trajetória fonográfica do quarteto de origem fluminense. Eis o roteiro seguido em 2 de julho de 2016 pelo grupo - em foto de Mauro Ferreira - na estreia carioca do show MPB4 50 anos   O sonho, a vida, a roda viva!:

1. Roda viva (Chico Buarque, 1967)
2. Oração ao tempo (Caetano Veloso, 1979)
3. Almanaque (Chico Buarque, 1981)
4. Milagres (Breno Ruiz e Paulo César Pinheiro, 2016)
5. A lua (Renato Rocha, 1980)
6. Desossado (João Bosco e Francisco Bosco, 2016)
7. Partido alto (Chico Buarque, 1972)
8. Ateu é tu (Rafael Altério e Celso Viáfora, 2016)
9. Angélica (Miltinho e Chico Buarque, 1978)
10. Cicatrizes (Miltinho e Paulo César Pinheiro, 1972)
11. Cálice (Chico Buarque e Gilberto Gil, 1973)
12. Brasileia (Guinga e Thiago Amud, 2016)
13. Conversa com o coração (Guinga e Paulo César Pinheiro, 1974)
14. A ilha (Kleiton Ramil e Kledir Ramil, 2016)
15. Vira virou (Kleiton Ramil, 1980)
16. Amigo do peito (Paulo César Pinheiro, 2012) - poema inédito recitado por Miltinho
17. O navegante (Sidney Miller, 1972) - com a voz de Magro em off
18. Canção da América (Milton Nascimento e Fernando Brant, 1979)
19. A voz na distância (Paulo Malaguti Pauleira, 2016)
Bis:
20. Olê, olá (Chico Buarque, 1966) /
21. Pois é, pra que? (Sidney Miller, 1968) /
22. Amigo é pra essas coisas (Silvio da Silva Junior e Aldir Blanc, 1970) /
23. O que é o que é? (Gonzaguinha, 1982) /
24. Apesar de você (Chico Buarque, 1970) /
25. Porto (Dori Caymmi, 1975) /
26. Samba do avião (Antonio Carlos Jobim, 1962) /
27. Por quem merece amor (Por quien merece amor) (Silvio Rodríguez em versão de Miltinho, 1986)

2 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ No dia seguinte da saída de cena de Antônio José Waghabi Filho (14 de novembro de 1943 - 8 de agosto de 2012), o Magro, arranjador que criou a marca vocal do MPB4 ao longo de cinco décadas, Paulo César Pinheiro escreveu o poema Amigo do peito. O MPB4 musicou os versos do poeta. Mas é mesmo na forma de poema - recitado por Miltinho - que Amigo do peito integra o roteiro do show em que o MPB4 celebra os (mais de) 50 anos de vida e a edição do primeiro álbum de músicas inéditas em 32 anos, 50 anos MPB4 - O sonho, a vida, a roda viva!, lançado pelo Selo Sesc em maio deste ano de 2016. Amigo do peito abre bloco em homenagem a Magro no show que, após estrear em São Paulo (SP), chegou à cidade do Rio de Janeiro (RJ) em temporada iniciada na noite de hoje, 2 de junho de 2016, no Teatro Serrador. Durante todas as quintas-feiras deste mês de junho, o MPB4 - atualmente formado por Aquiles, Miltinho, Dalmo Medeiro e Paulo Malaguti - vai estar no palco do revitalizado Teatro Serrador para mostrar parte do repertório inédito do álbum recém-lançado e para relembrar músicas emblemáticas na cinquentenária trajetória fonográfica do quarteto de origem fluminense. Eis o roteiro seguido em 2 de julho de 2016 pelo grupo - em foto de Mauro Ferreira - na estreia carioca do show 50 anos MPB4 - O sonho, a vida, a roda viva!:

1. Roda viva (Chico Buarque, 1967)
2. Oração ao tempo (Caetano Veloso, 1979)
3. Almanaque (Chico Buarque, 1981)
4. Milagres (Breno Ruiz e Paulo César Pinheiro, 2016)
5. A lua (Renato Rocha, 1980)
6. Desossado (João Bosco e Francisco Bosco, 2016)
7. Partido alto (Chico Buarque, 1972)
8. Ateu é tu (Rafael Altério e Celso Viáfora, 2016)
9. Angélica (Miltinho e Chico Buarque, 1978)
10. Cicatrizes (Miltinho e Paulo César Pinheiro, 1972)
11. Cálice (Chico Buarque e Gilberto Gil, 1973)
12. Brasileia (Guinga e Thiago Amud, 2016)
13. Conversa com o coração (Guinga e Paulo César Pinheiro, 1974)
14. A ilha (Kleiton Ramil e Kledir Ramil, 2016)
15. Vira virou (Kleiton Ramil, 1980)
16. Amigo do peito (Paulo César Pinheiro, 2012) - poema inédito recitado por Miltinho
17. O navegante (Sidney Miller, 1972) - com a voz de Magro em off
18. Canção da América (Milton Nascimento e Fernando Brant, 1979)
19. A voz na distância (Paulo Malaguti Pauleira, 2016)
Bis:
20. Olê, olá (Chico Buarque, 1966) /
21. Pois é, pra que? (Sidney Miller, 1968) /
22. Amigo é pra essas coisas (Silvio da Silva Junior e Aldir Blanc, 1970) /
23. O que é o que é? (Gonzaguinha, 1982) /
24. Apesar de você (Chico Buarque, 1970) /
25. Porto (Dori Caymmi, 1975) /
26. Samba do avião (Antonio Carlos Jobim, 1962) /
27. Por quem merece amor (Por quien merece amor) (Silvio Rodríguez em versão de Miltinho, 1986)

Rafael M. disse...

Repertório lindo, impecabilíssimo!!! Salve a boa música brasileira!!!