Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Trambique, um mestre da percussão, sai de cena no Rio (quase) aos 71 anos

José Belmiro Lima (19 de maio de 1945, Rio Novo - MG / 22 de fevereiro de 2016, Rio de Janeiro - RJ) - conhecido como Mestre Trambique no mundo do samba - nasceu em Minas Gerais há 70 anos e nove meses. Mas veio de Minas para a cidade do Rio de Janeiro com meno de um ano de idade. E na cidade do samba se criou, fez seu nome no mundo da música a partir dos 16 anos e se transformou num dos maiores percussionistas brasileiros. Músico profissional desde 1963, ligado à escola de samba Unidos de Vila Isabel, Mestre Trambique saiu hoje de cena, (quase) aos 71 anos, na cidade em que aprendeu e exercitou intuitivamente o ofício de percussionista. Fundador da escola de samba mirim Herdeiros da Vila, Trambique - que tocou com cantores como Martinho da Vila e Ney Matogrosso - integrou o Grupo Semente a partir de 2003, com o qual a cantora Teresa Cristina se projetou ao longo dos anos 2000. Trambique - visto em foto extraída de vídeo do YouTube - foi também compositor, tendo sido parceiro de Nei Silva e Paulinho Correia na criação do samba Na aba, lançado pelo cantor Bezerra da Silva (1927 - 2005) em 1982, mas propagado na voz de Martinho da Vila, em gravação de 1984. Trambique foi um mestre como ritmista de samba.

16 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ José Belmiro Lima (19 de maio de 1945, Rio Novo - MG / 22 de fevereiro de 2016, Rio de Janeiro - RJ) - conhecido como Mestre Trambique no mundo do samba - nasceu em Minas Gerais há 70 anos e nove meses. Mas veio de Minas para a cidade do Rio de Janeiro com meno de um ano de idade. E na cidade do samba se criou, fez seu nome no mundo da música a partir dos 16 anos e se transformou num dos maiores percussionistas brasileiros. Músico profissional desde 1963, ligado à escola de samba Unidos de Vila Isabel, Mestre Trambique saiu hoje de cena, (quase) aos 71 anos, na cidade em que aprendeu e exercitou intuitivamente o ofício de percussionista. Fundador da escola de samba mirim Herdeiros da Vila, Trambique - que tocou com cantores como Martinho da Vila e Ney Matogrosso - integrou o Grupo Semente a partir de 2003, com o qual a cantora Teresa Cristina se projetou ao longo dos anos 2000. Trambique - visto em foto extraída de vídeo do YouTube - foi também compositor, tendo sido parceiro de Nei Silva e Paulinho Correia na criação do samba Na aba, lançado pelo cantor Bezerra da Silva (1927 - 2005) em 1982, mas propagado na voz de Martinho da Vila, em gravação de 1984. Trambique foi um mestre como ritmista de samba.

Unknown disse...

Que Deus lhe ponha em um bom lugar e conforte o coraçao dos seus familiares. .mestre trambique o eterno agora em nossos corações. .

Kris Maciel disse...

Estamos todos em luto!

fernando venancio disse...

Luto

fernando venancio disse...

Luto pelo.Mestre que nos deu tantas alegrias.

Unknown disse...

Que pena que perdemos o Trambique e ele nem viu lançado nosso disco que ele participou!! Vai com Deus mestre dos ritmos!! Muita luz no seu caminho!! Meus sentimentos a família!!


Unknown disse...

grande pessoa grande musico e entre várias passagens pela musica , é também um dos compositores do sucesso "Na Aba"

"Na Aba do meu chapéu
Você não pode ficar
Porque meu chapéu
Tem Aba curta
Você vai cair
E vai se machucar..."

Unknown disse...

Grande pessoa, grande musico e entre várias passagens na musica é também o compositor do samba/sucesso NA ABA

"Na Aba do meu chapéu
Você não pode ficar
Porque meu chapéu
Tem Aba curta
Você vai cair
E vai se machucar..."

Unknown disse...

Hoje a vila e todo o samba chora

Dirceu Leite disse...

Como seu Nome artístico já diz, MESTRE !! Tive o privilégio de dividir o palco muitas vezes, e sabia que estava tocando com um verdadeiro sábio da música brasileira. Seu sorriso, sua postura e seu som, traduzia o gingado, o suingue que o samba precisava na sua plenitude. Sem exageros e com muita sutileza, Mestre Trambique traduzia e expressava através de suas mãos, uma história de mais de cem anos. Criado entre os bambas, ouviu , curtiu e assimilou tudo que podemos chamar de Música , sincopado nos toques, contratempos, anéis e baquetas que por ele eram conduzidas com maestria, consciência, sentimento e prazer. Aprendi muito com Seu zé ! Sobretudo o silencio e o momento de tocar. As pausas e o som. Acho que a vida é assim, momentos de aparição e discrição, dosado sob a batuta de quem sabe ! E como ele mesmo dizia; "quem me ensinou, sabia !!" SALVE SEU ZÉ TRAMBIQUE !!"

Unknown disse...

Certamente no céu ele se encontra...Com todos os grandes bambas do samba ....Que Deus o ponha num bom lugar...mestre Trambique eterno....

Dirceu Leite disse...

Como seu Nome artístico já diz, MESTRE !! Tive o privilégio de dividir o palco muitas vezes, e sabia que estava tocando com um verdadeiro sábio da música brasileira. Seu sorriso, sua postura e seu som, traduzia o gingado, o suingue que o samba precisava na sua plenitude. Sem exageros e com muita sutileza, Mestre Trambique traduzia e expressava através de suas mãos, uma história de mais de cem anos. Criado entre os bambas, ouviu , curtiu e assimilou tudo que podemos chamar de Música , sincopado nos toques, contratempos, anéis e baquetas que por ele eram conduzidas com maestria, consciência, sentimento e prazer. Aprendi muito com Seu zé ! Sobretudo o silencio e o momento de tocar. As pausas e o som. Acho que a vida é assim, momentos de aparição e discrição, dosado sob a batuta de quem sabe ! E como ele mesmo dizia; "quem me ensinou, sabia !!" SALVE SEU ZÉ TRAMBIQUE !!"

Marcelo Barbosa disse...

Não tenho acessado o blog nesses dias, triste notícia!
Descanse em paz e meus sentimentos aos familiares e amigos!
E Mauro, muito bem sacado a observação sobre o Na Aba!! Bezerra gravou primeiramente, mas foi com o Mestre Martinho que a música estourou nas rádios do país inteiro. Aliás, o sobrenome de outro autor (Paulinho da Aba) veio do título dq música.

Marcelo Barbosa disse...

Onde se lê: sobrenome, leia-se: nome artístico
(Detesto digitar de celular, visor pequeno).

daiana disse...

Que Deus , lhe ponha e o ótimo lugar pertinho dele . É que conforte o coração se sua esposa noma , seus filhos netos e familia ! Foi um trazer conheço -ló . Meus sincero sentimentos .

ADEMAR AMANCIO disse...

Não parecia que tinha tantos anos.