Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Céu anuncia quarto álbum de estúdio, 'Tropix', programado para 25 de março

 A cantora e compositora paulistana Céu vai lançar o quarto álbum de estúdio, Tropix, em 25 de março de 2016. Com capa que expõe foto de Luiz Garrido, o álbum Tropix tem produção assinada por Pupillo com Hervé Salters, tecladista e compositor francês do projeto General Elektriks. Tropix vai ser lançado pelo selo Slap. O repertório é basicamente formado por músicas inéditas e autorais.

18 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ A cantora e compositora paulistana Céu vai lançar o quarto álbum de estúdio, Tropix, em 25 de março de 2016. Com capa que expõe foto de Luiz Garrido, o álbum Tropix tem produção assinada por Pupillo com Hervé Salters. O repertório é basicamente formado por músicas inéditas e autorais.

Mauro Silva disse...

Que capa linda! Bem anos 70!

Marcelo disse...

Deus, definitivamente, não é brasileiro!! :(

rafael h. disse...

Que ótima notícia!

Crys Marques disse...

céu é outros quinhentos. as sem-talento xora

Crys Marques disse...

céu é outros 500. as sem-talento xora

Fabio Passadisco disse...

Sai novamente pela Som Livre?

Eduardo Cáffaro disse...

gosto dela tb , céu tem um som bom de se ouvir....mas cade o da GAL cantando Lupicínio ? hehe

Rafael M. disse...

Interessante a capa... Remete as capas de disco antigas da Maria Creuza... Tenho certeza de que mais um trabalho de qualidade está por vir...

Mauro Ferreira disse...

Sim, Fábio, o disco vai ser lançado via Slap, o braço indie da Som Livre. Abs, MauroF

Luciano "Cuíca Play" disse...

Sim. Céu é uma das melhores Musas. Acompanho desde o primeiro disco. A capa arremeteu à musa Sônia Braga em "Dancing Days"anos 70 e Marina Lima anos 80...aguardo.

Victor Moraes, disse...

Vi na primeira página do G1 e corri para ver pra ver se já havia sido postado.
Finalmente, que glória! Céu ainda mata a gente de tanta espera.
Quem diria que 2016 nos daria esse presente?
Confio tanto no bons gosto da Céu e dos produtores que mesmo longe da data de ouvir já posso sair por aí dizendo que o disco é maravilhoso. Por que, sinceramente, não tem como não ser.
Ansiedade é meu nome. Vem Céu!

Victor Moraes, disse...

Mauro, esqueci de perguntar...
Alguma informação sobre single/música promocional??

lurian disse...

Aprendi a gostar. Apesar de Céu e essas meninas da nova geração virem de uma escola diferente da minha preferida, algumas delas, hoje ouço com prazer.

Francisco M. Frota disse...

Água na boca. Deve ser por isso que o ano (astrológico) só começa em março.
Vem Céu, ser (de novo) a trilha sonora de 2016.

Antenor Leopoldino disse...

Lembrou muito o visual de Marina em seu disco de estreia, Simples como Fogo. Só eu vejo semelhanças das coisas com Marina? Sim, diferentão!!! Hahahah O título também tem algo a ver com "Clímax", último de inéditas da minha musa-gata-todo-dia (mas ainda tô tentando tiwr o osso... Rs)

Felipe disse...

Tô ansioso para esse lançamento, também quero ouvir a 5° faixa onde a Tulipa Ruiz faz participação.

Larissa Gouveia disse...

SAS - Só a capa salva - mas não redime. Aí você contempla a capa bonitíssima remetendo a disco, década de 70(que amo desavergonhadamente), discoteca astral...Coisa e tal, resolve dizer a si mesmo que é hora de exorcizar sua entidade 7 pedras para com essa geraçãozinha hipster nouvelle blaséee - sai da carcunda,mizinfi.Vai lá ouvir o single e chega a velha/rabugenta conclusão de sem-pre!E com a consciência tranquila, num julgo com voz de Barnabé("alma de preto velho/a penar") revivido e sábio pitando seu cachimbo: Mesma voz modorrenta de meninota "cool" ,tédio cultuado embrulhado numa caprichada produção celofane; tatibitate vão de pós coito,Viagra ao contrario...
Fausto, voltando exaurido do pacto com o cramunhão, tem muito mais verve que essa menina aí.Numa bolha de sabão estourada tem mais vida pulsando.Deus me livre de gente morna; deus me livre do insípido, inodoro, macrobiótico...Mas deus não me guarde da vida, vida que essa gente preserva num comedimento 'deluxe', fantasiado de jeans "cool",nouvelle vague com anorgasmia;monotonia tântrica - como diria Caê: "me deixa gozar/me deixa gozar"...
Mas voltando a capa,que gente assim combina mesmo é com belo invólucro, não nos instigando nunca a passar do limiar:Amei a foto,a composição,a caricatura disco,o cabelo..até o titulo instigava.Guardei minhas meias lurex e rasguei a minha fantasia de penas de pavão misterioso.Só vou voltar quando o carnaval - de carne,de carnal;de gente com sangue nas artérias sujeitas e túmidas - realmente (re)começar."As vezes a gente (não)sente/sofre/ sem querer dançar",mas 'I will survive' ao tédio mascarado de vibe 70s.