Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Eis a capa e as dez músicas do álbum 'Donato elétrico', nas lojas em março

Com capa assinada por Rodrigo Sommer, criador do projeto gráfico do disco, o álbum Donato elétrico chega ao mercado fonográfico em março de 2016, em edição do Selo Sesc. Gravado entre janeiro e agosto de 2015 em estúdios como o Traquitana, na cidade de São Paulo (SP), o disco de João Donato tem rica produção assinada por Ronaldo Evangelista. Donato elétrico apresenta repertório inteiramente inédito, de autoria do compositor e pianista acriano. Donato toca à moda antiga dez temas da própria lavra, compostos sem parceiros. Aos 81 anos, o artista toca as dez músicas em instrumentos como o piano elétrico Fender Rhodes, além de sintetizadores e teclados analógicos. A novidade vem do toque de músicos da cena contemporânea de São Paulo (SP) como Bruno Buarque, Décio 7, Guilherme Kastrup, Gustavo Ruiz e Laércio de Freitas (autor de arranjo de cordas). A ideia foi revisitar, com esse toque contemporâneo, a sonoridade de álbuns como A bad Donato (Blue Thumb Records, 1970). Donato elétrico é disco essencialmente instrumental, mas a voz de Donato é ouvida em Tartaruga e em G8. Eis, na ordem do álbum de João Donato, as dez músicas inéditas (e as respectivas fichas técnicas das gravações de cada faixa) de Donato elétrico:

1. Here’s JD (João Donato) (6:13)
João Donato: arranjo de sopros e Fender Rhodes
Décio 7: bateria
Marcelo Dworecki: contrabaixo elétrico
Mauricio Fleury: guitarra
Guilherme Kastrup: percussão
Beto Montag: vibrafone e percussão
Mauro Refosco: percussão
Cuca Ferreira, sax barítono e flauta;
Anderson Quevedo: flauta
Richard Fermino: trombone e flauta

2. Urbano (João Donato) (5:38)
João Donato: Fender Rhodes, Farfisa e Pro-One
Bixiga 70: arranjo de sopros
Décio 7: bateria
Marcelo Dworecki: contrabaixo elétrico
Mauricio Fleury: guitarra (solo)
Cris Scabello: guitarra
Rômulo Nardes: percussão
Gustavo Cecci: percussão
Cuca Ferreira: sax barítono
Daniel Nogueira: sax tenor
Daniel Gralha: trompete
Douglas Antunes: trombone (solo)


3. Frequência de onda (João Donato) (4:59)
João Donato: Fender Rhodes, Moog e Farfisa
Laércio de Freitas: arranjo de cordas
Bruno Buarque: bateria
Zé Nigro: contrabaixo elétrico
Décio 7: percussão
Mauricio Fleury: guitarra
Aramís Rocha: violino
Robson Rocha: violino
Daniel Pires: viola
Renato de Sá: violoncelo

4. Espalhado (João Donato)
João Donato: arranjos de cordas e sopros, Fender Rhodes
Décio 7: bateria
Marcelo Dworecki: contrabaixo elétrico
Mauricio Fleury: guitarra
Guilherme Kastrup: percussão
Cuca Ferreira: flauta (solo)
Anderson Quevedo: flauta
Richard Fermino: flauta
Aramís Rocha: violino
Robson Rocha: violino
Daniel Pires: viola
Renato de Sá: violoncelo


5. Tartaruga (João Donato) (4:42)
João Donato: Fender Rhodes, Farfisa e voz
Cuca Ferreira: arranjo de sopros
Décio 7: bateria
Marcelo Dworecki: contrabaixo elétrico
Mauricio Fleury: guitarra
Guilherme Kastrup: percussão
Cuca Ferreira: flauta (solo)
Anderson Quevedo: flauta e sax tenor
Richard Fermino: trombone e flauta

6. Soneca de marreco (João Donato) (3:59)
João Donato: Arranjos de cordas e sopros, Fender Rhodes, clavinet e Farfisa
Bruno Buarque: bateria
Zé Nigro: contrabaixo elétrico
Gustavo Ruiz: guitarra
Décio 7: percussão
Cuca Ferreira: flauta
Anderson Quevedo: flauta e sax tenor
Richard Fermino: trombone
Aramís Rocha: violino
Robson Rocha: violino
Daniel Pires: viola
Renato de Sá: violoncelo


7. Combustão espontânea (João Donato) (4:41)
João Donato: Fender Rhodes, Pro-One e Farfisa
Anderson Quevedo: arranjos de sopros
Décio 7: bateria
Marcelo Dworecki: contrabaixo elétrico
Guilherme Kastrup: percussão
Cuca Ferreira: sax barítono e flauta
Anderson Quevedo: sax tenor e flauta
Richard Fermino: trombone e flauta

8. Resort (João Donato) (4:19)
João Donato: arranjo de sopros (com Anderson Quevedo), Fender Rhodes e clavinet
Décio 7: bateria
Marcelo Dworecki: contrabaixo elétrico
Guilherme Kastrup: percussão
Cuca Ferreira: flauta-baixo
Anderson Quevedo: flauta-baixo e sax tenor
Richard Fermino: flauta em sol e clarone


9. Xaxado de Hércules (João Donato) (5:51)
João Donato: Fender Rhodes e Farfisa
Bixiga 70: arranjo de sopros
Décio 7: bateria
Marcelo Dworecki: contrabaixo elétrico
Mauricio Fleury: guitarra (solo)
Cris Scabello: guitarra
Rômulo Nardes: percussão
Gustavo Cecci: percussão
Cuca Ferreira: sax barítono
Daniel Nogueira:, sax tenor (solo)
Daniel Gralha: trompete (solo)
Douglas Antunes: trombone

10. G8 (João Donato) (5:17)
João Donato: Fender Rhodes, Pro-One, Farfisa e voz
Marcelo Cabral: arranjo de cordas
Décio 7: bateria
Marcelo Dworecki:, contrabaixo elétrico
Mauricio Fleury: guitarra
Douglas Antunes: trombone
Beto Montag: vibrafone
Mauro Refosco:, percussão
Aramís Rocha: violino
Robson Rocha: violino
Daniel Pires:, viola
Renato de Sá: violoncelo

7 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Com capa assinada por Rodrigo Sommer, criador do projeto gráfico do disco, o álbum Donato elétrico chega ao mercado fonográfico em março de 2016, em edição do Selo Sesc. Gravado entre janeiro e agosto de 2015 em estúdios como o Traquitana, na cidade de São Paulo (SP), o disco de João Donato tem rica produção assinada por Ronaldo Evangelista. Donato elétrico apresenta repertório inteiramente inédito, de autoria do compositor e pianista acriano. Donato toca à moda antiga dez temas da própria lavra, compostos sem parceiros. Aos 81 anos, o artista toca as dez músicas em instrumentos como o piano elétrico Fender Rhodes, além de sintetizadores e teclados analógicos. A novidade vem do toque de músicos da cena contemporânea de São Paulo (SP) como Bruno Buarque, Décio 7, Guilherme Kastrup, Gustavo Ruiz e Laércio de Freitas (autor de arranjo de cordas). A ideia foi revisitar, com esse toque contemporâneo, a sonoridade de álbuns como A bad Donato (Blue Thumb Records, 1970). Donato elétrico é disco essencialmente instrumental, mas a voz de Donato é ouvida em Tartaruga e em G8.

Rafael M. disse...

A capa é bem simplezinha, mas não é de todo ruim... Altas expectativas para escutar esse disco maravilhoso!!!

Gilliatt R disse...

Mauro, vejo uma referência forte ao Donato/Deodato já na faixa de abertura desse novo disco. "Here's JD" parece responder a "Where's JD?", segunda faixa do disco com Deodato, que se tornou mais conhecida como "Ahiê", desde que recebeu a letra de Paulo C. Pinheiro. Não é verdade?
Abraços.

Mauro Ferreira disse...

Sim, é verdade, Gilliatt. o 'Donato / Deodato' é outra referência forte de 'Donato elétrico'. Abs, MauroF

Luca disse...

Um trabalho de musicas inéditas de Donato já compensa tudo que de ruim acontecer nesse ano

Victor Moraes, disse...

Por mais ficha técnica nos sites e plataformas digitais!

Gustavo Baião disse...

Olha, qualquer coisa que o Donato faz é pra se ouvir e respeitar mesmo! Sempre à frente de seu tempo, João traz sons e timbres vintages (como o moog e o rhodes),
mas com harmonias frescas e leves! Vai ser disco de cabeceira!!!