Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Trambique, um mestre da percussão, sai de cena no Rio (quase) aos 71 anos

José Belmiro Lima (19 de maio de 1945, Rio Novo - MG / 22 de fevereiro de 2016, Rio de Janeiro - RJ) - conhecido como Mestre Trambique no mundo do samba - nasceu em Minas Gerais há 70 anos e nove meses. Mas veio de Minas para a cidade do Rio de Janeiro com meno de um ano de idade. E na cidade do samba se criou, fez seu nome no mundo da música a partir dos 16 anos e se transformou num dos maiores percussionistas brasileiros. Músico profissional desde 1963, ligado à escola de samba Unidos de Vila Isabel, Mestre Trambique saiu hoje de cena, (quase) aos 71 anos, na cidade em que aprendeu e exercitou intuitivamente o ofício de percussionista. Fundador da escola de samba mirim Herdeiros da Vila, Trambique - que tocou com cantores como Martinho da Vila e Ney Matogrosso - integrou o Grupo Semente a partir de 2003, com o qual a cantora Teresa Cristina se projetou ao longo dos anos 2000. Trambique - visto em foto extraída de vídeo do YouTube - foi também compositor, tendo sido parceiro de Nei Silva e Paulinho Correia na criação do samba Na aba, lançado pelo cantor Bezerra da Silva (1927 - 2005) em 1982, mas propagado na voz de Martinho da Vila, em gravação de 1984. Trambique foi um mestre como ritmista de samba.

16 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ José Belmiro Lima (19 de maio de 1945, Rio Novo - MG / 22 de fevereiro de 2016, Rio de Janeiro - RJ) - conhecido como Mestre Trambique no mundo do samba - nasceu em Minas Gerais há 70 anos e nove meses. Mas veio de Minas para a cidade do Rio de Janeiro com meno de um ano de idade. E na cidade do samba se criou, fez seu nome no mundo da música a partir dos 16 anos e se transformou num dos maiores percussionistas brasileiros. Músico profissional desde 1963, ligado à escola de samba Unidos de Vila Isabel, Mestre Trambique saiu hoje de cena, (quase) aos 71 anos, na cidade em que aprendeu e exercitou intuitivamente o ofício de percussionista. Fundador da escola de samba mirim Herdeiros da Vila, Trambique - que tocou com cantores como Martinho da Vila e Ney Matogrosso - integrou o Grupo Semente a partir de 2003, com o qual a cantora Teresa Cristina se projetou ao longo dos anos 2000. Trambique - visto em foto extraída de vídeo do YouTube - foi também compositor, tendo sido parceiro de Nei Silva e Paulinho Correia na criação do samba Na aba, lançado pelo cantor Bezerra da Silva (1927 - 2005) em 1982, mas propagado na voz de Martinho da Vila, em gravação de 1984. Trambique foi um mestre como ritmista de samba.

Marcio Souza disse...

Que Deus lhe ponha em um bom lugar e conforte o coraçao dos seus familiares. .mestre trambique o eterno agora em nossos corações. .

Kris Maciel disse...

Estamos todos em luto!

fernando venancio disse...

Luto

fernando venancio disse...

Luto pelo.Mestre que nos deu tantas alegrias.

Ivan Conti disse...

Que pena que perdemos o Trambique e ele nem viu lançado nosso disco que ele participou!! Vai com Deus mestre dos ritmos!! Muita luz no seu caminho!! Meus sentimentos a família!!


Marcelo Costa disse...

grande pessoa grande musico e entre várias passagens pela musica , é também um dos compositores do sucesso "Na Aba"

"Na Aba do meu chapéu
Você não pode ficar
Porque meu chapéu
Tem Aba curta
Você vai cair
E vai se machucar..."

Marcelo Costa disse...

Grande pessoa, grande musico e entre várias passagens na musica é também o compositor do samba/sucesso NA ABA

"Na Aba do meu chapéu
Você não pode ficar
Porque meu chapéu
Tem Aba curta
Você vai cair
E vai se machucar..."

italo vinicius disse...

Hoje a vila e todo o samba chora

Dirceu Leite disse...

Como seu Nome artístico já diz, MESTRE !! Tive o privilégio de dividir o palco muitas vezes, e sabia que estava tocando com um verdadeiro sábio da música brasileira. Seu sorriso, sua postura e seu som, traduzia o gingado, o suingue que o samba precisava na sua plenitude. Sem exageros e com muita sutileza, Mestre Trambique traduzia e expressava através de suas mãos, uma história de mais de cem anos. Criado entre os bambas, ouviu , curtiu e assimilou tudo que podemos chamar de Música , sincopado nos toques, contratempos, anéis e baquetas que por ele eram conduzidas com maestria, consciência, sentimento e prazer. Aprendi muito com Seu zé ! Sobretudo o silencio e o momento de tocar. As pausas e o som. Acho que a vida é assim, momentos de aparição e discrição, dosado sob a batuta de quem sabe ! E como ele mesmo dizia; "quem me ensinou, sabia !!" SALVE SEU ZÉ TRAMBIQUE !!"

Rodrigo D bessem disse...

Certamente no céu ele se encontra...Com todos os grandes bambas do samba ....Que Deus o ponha num bom lugar...mestre Trambique eterno....

Dirceu Leite disse...

Como seu Nome artístico já diz, MESTRE !! Tive o privilégio de dividir o palco muitas vezes, e sabia que estava tocando com um verdadeiro sábio da música brasileira. Seu sorriso, sua postura e seu som, traduzia o gingado, o suingue que o samba precisava na sua plenitude. Sem exageros e com muita sutileza, Mestre Trambique traduzia e expressava através de suas mãos, uma história de mais de cem anos. Criado entre os bambas, ouviu , curtiu e assimilou tudo que podemos chamar de Música , sincopado nos toques, contratempos, anéis e baquetas que por ele eram conduzidas com maestria, consciência, sentimento e prazer. Aprendi muito com Seu zé ! Sobretudo o silencio e o momento de tocar. As pausas e o som. Acho que a vida é assim, momentos de aparição e discrição, dosado sob a batuta de quem sabe ! E como ele mesmo dizia; "quem me ensinou, sabia !!" SALVE SEU ZÉ TRAMBIQUE !!"

Marcelo Barbosa disse...

Não tenho acessado o blog nesses dias, triste notícia!
Descanse em paz e meus sentimentos aos familiares e amigos!
E Mauro, muito bem sacado a observação sobre o Na Aba!! Bezerra gravou primeiramente, mas foi com o Mestre Martinho que a música estourou nas rádios do país inteiro. Aliás, o sobrenome de outro autor (Paulinho da Aba) veio do título dq música.

Marcelo Barbosa disse...

Onde se lê: sobrenome, leia-se: nome artístico
(Detesto digitar de celular, visor pequeno).

daiana disse...

Que Deus , lhe ponha e o ótimo lugar pertinho dele . É que conforte o coração se sua esposa noma , seus filhos netos e familia ! Foi um trazer conheço -ló . Meus sincero sentimentos .

ADEMAR AMANCIO disse...

Não parecia que tinha tantos anos.