Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


domingo, 22 de maio de 2016

Joyce grava em 'Palavra e som' baião nascido rancho com letra de Torquato

Em 2014, Joyce Moreno tomou conhecimento - por meio de postagem no Facebook do poeta e compositor Ronaldo Bastos - de inédito poema do compositor Torquato Neto (1944-1972). Naquele mesmo ano, a cantora e compositora carioca musicou os versos de O poeta nasce feito, escritos em 1969 pelo poeta piauiense quando ele estava em Paris, na França, e entregues a Bastos por Torquato tão logo o poema foi feito. Composta em ritmo de marcha-rancho (certamente pelo fato de a compositora ter ficado sugestionada por saber que Torquato tinha registrado em papel a ideia de abrir a parceria com Joyce com o envio de uma letra que, na imaginação do poeta, viraria uma marcha-rancho), a música foi - enfim - registrada em disco pela artista neste primeiro semestre de 2016. Só que, em vez de marcha-rancho, a música foi gravada com batida de baião. A primeira parceria de Joyce e Torquato Neto integra o repertório basicamente autoral do CD Palavra e som, gravado pela artista sob encomenda do mercado fonográfico do Japão e - por ora - sem previsão de edição no Brasil.

13 comentários:

Mauro Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
GAY disse...

Um pérola.



Toninho Lima disse...

Certamente será mais um excelente disco da Joyce.
Infelizmente mais um para os apreciadores da sua música lá fora. No ano passado ela lançou em parceria com o pianista Kevin Werner o ótimo CD "Poesia". Disco de beleza fascinante, mas lançado nos EUA.
Viva Joyce!!

Amanda Pedrosa disse...

Sou apaixonada pela Joyce. Aguardando ansiosamente esse álbum <3

Rafael M. disse...

Adoro Joyce, mas pena que seus discos raramente saem no Brasil. Esse disco novo será uma pérola. E acho um absurdo, uma enorme falta de respeito para conosco fãs brasileiros que seu disco "Cool", lançado ano passado no Japão, seja ainda inédito por aqui. Isso é Brasil, infelizmente...

Bernardo Barroso Neto disse...

Sempre se espera maravilhas da Joyce. Agora vamos torcer para esse cd vim para o Brasil.

Henrique disse...

Grande Joyce!

MARCUS FERNANDO disse...

Mauro, na verdade a música foi gravada como um baião. Estou fazendo um documentário sobre o Torquato e encontrei no acervo dele uma lista datilografada de músicas recém-compostas ou a terminar. Entre as futuras composições, um "Rancho com Joyce". Parece que Torquato tinha a intenção de mandar para ela uma letra e sugerir que fosse feita como um rancho. Falei com a Joyce sobre isso mas ela nunca chegou a receber uma letra ou mesmo conversar com Torquato sobre uma parceria. No dia em que Ronaldo Bastos foi me dar uma entrevista para o filme, publicou no Facebook o poema que Torquato dedicou a ele e que foi entregue pessoalmente em Paris em 1969, quando ambos moravam no mesmo hotel na capital francesa. Joyce viu e ficou interessada em musica-lo, o que fez alguns dias depois de uma só vez: pegou o violão, ligou o gravador e foi musicando o poema do início ao fim. Tenho essa gravação que muito me emociona. Isso aconteceu exatamente há dois anos, no dia 22 de maio de 2014. Recentemente, pra minha grata surpresa, ela me disse que registrou a música no novo disco e me mandou a gravação, um baião que certamente deixaria o Torquato cheio de orgulho.

Mauro Ferreira disse...

oi, Marcus, eu li uma frase da Joyce em algum lugar (não sei se em rede social) em que ela dizia algo como: 'ele queria um rancho e nasceu um rancho'. De todo modo, confio em vc e vou alterar o texto. Abs, MauroF

MARCUS FERNANDO disse...

Sim, quando ela compôs saiu um rancho. Mas acabou sendo gravada como baião. E ficou lindo.

Mauro Ferreira disse...

Ah, entendi. Grato pelo esclarecimento (já acrescentado ao texto). Abs, MauroF

sergio brasil disse...

Nao aguentava esperar tanto tempo assim e como jà aconteceu com o cd "COOL", essa maravilhosa "perola"da nossa Deusa, chegou direito do Japao.....uma delìcia!!!

sergio brasil disse...

A "culpa" dos discos de Joyce nao sair no Brasil è dos....brasileiros, que preferem o "lixo" aos artistas que valem,ques merecem,que fazem à MPB ser considerara,respeitada e idolatradas pelo mundo afora....