Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sexta-feira, 13 de maio de 2016

David Ganc toca a música de câmara de Nivaldo Ornelas no álbum 'Noturno'

O saxofonista e flautista carioca David Ganc está de volta ao mercado fonográfico onze anos após abordar as obras seminais dos compositores e músicos cariocas Alfredo da Rocha Vianna Filho (1897 - 1993) - o Pixinguinha - e Benedito Lacerda (1903 - 1958) no álbum Pixinguinha + Benedito (Núcleo Contemporâneo, 2015), CD gravado e assinado com o também flautista e saxofonista Mário Sève. Quinto título da discografia do artista, Noturno - David Ganc interpreta a música de câmara de Nivaldo Ornelas já explicita no subtítulo a intenção do disco gravado pelo saxofonista e flautista com o toque do piano de Maria Teresa Medeira, intérprete (ao lado do próprio David Ganc) da primeira obra erudita de Ornelas, Noturno para flauta e piano (1986), ora alocada como faixa-bônus no CD editado pela Mills Records neste mês de maio de 2016. Na tênue fronteira entre a música popular e a dita erudita, Ganc agrega sete obras de Ornelas que totalizam 20 temas. Iniciada em 1996 e concluída em 2014, a inédita Suíte Brasil / Holanda, por exemplo, abrange seis movimentos compostos por Ornelas com inspiração nos sons do período da invasão holandesa no Nordeste do Brasil (1630 - 1654) - o que justifica o mix de sons do barroco europeu com ritmos da região brasileira, evocada já nos títulos de temas como Fortaleza de São Luís e Recife, oh linda!. O álbum Noturno também embute os toques dos músicos Iura Ranevsky (violoncelo), Mingo Araújo (percussão) e Zeca Assumpção (contrabaixo acústico). O violoncelo de Ranevsky, por exemplo, sola com a flauta de Ganc a melodia de Sentimentos não revelados apresentada com a voz de Milton Nascimento na gravação original feita para álbum de Ornelas, Colheita do trigo (Som Livre, 1990). Flautista, saxofonista e compositor de origem mineira, Ornelas sempre dialogou com os sócios do Clube da Esquina e com os sons da terra natal, como expõem os cinco movimentos da Suíte para saxofone tenor e piano, obra que ganha o primeiro registro fonográfico em Noturno, disco no qual David Ganc também toca Variações para flauta e piano, obra composta de introdução e três movimentos. Ao celebrar Ornelas, o álbum de Ganc põe o popular trem mineiro em trilhos eruditos.

6 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ O saxofonista e flautista carioca David Ganc está de volta ao mercado fonográfico onze anos após abordar as obras seminais dos compositores e músicos cariocas Alfredo da Rocha Vianna Filho (1897 - 1993) - o Pixinguinha - e Benedito Lacerda (1903 - 1958) no álbum Pixinguinha + Benedito (Núcleo Contemporâneo, 2015), CD gravado e assinado com o também flautista e saxofonista Mário Sève. Quinto título da discografia do artista, Noturno - David Ganc interpreta a música de câmara de Nivaldo Ornelas já explicita no subtítulo a intenção do disco gravado pelo saxofonista e flautista com o toque do piano de Maria Teresa Medeira, intérprete (ao lado do próprio David Ganc) da primeira obra erudita de Ornelas, Noturno para flauta e piano (1986), ora alocada como faixa-bônus no CD editado pela Mills Records neste mês de maio de 2016. Na tênue fronteira entre a música popular e a dita erudita, Ganc agrega sete obras de Ornelas que totalizam 20 temas. Iniciada em 1996 e concluída em 2014, a inédita Suíte Brasil / Holanda, por exemplo, abrange seis movimentos compostos por Ornelas com inspiração nos sons do período da invasão holandesa no Nordeste do Brasil (1630 - 1654) - o que justifica o mix de sons do barroco europeu com ritmos da região brasileira, evocada já nos títulos de temas como Fortaleza de São Luís e Recife, oh linda!. O álbum Noturno também embute os toques dos músicos Iura Ranevsky (violoncelo), Mingo Araújo (percussão) e Zeca Assumpção (contrabaixo acústico). O violoncelo de Ranevsky, por exemplo, sola com a flauta de Ganc a melodia de Sentimentos não revelados apresentada com a voz de Milton Nascimento na gravação original feita para álbum de Ornelas, Colheita do trigo (Som Livre, 1990). Flautista, saxofonista e compositor de origem mineira, Ornelas sempre dialogou com os sócios do Clube da Esquina e com os sons da terra natal, como expõem os cinco movimentos da Suíte para saxofone tenor e piano, obra que ganha o primeiro registro fonográfico em Noturno, disco no qual David Ganc também toca Variações para flauta e piano, obra composta de introdução e três movimentos. Ao celebrar Ornelas, o álbum de Ganc põe o popular trem mineiro em trilhos eruditos.

Luca disse...

repito o que escrevi no texto do Trio Corrente: não tem público para ouvir disco desse gênero no Brasil...

ADEMAR AMANCIO disse...

É mais um disco que tem todos os ingredientes para não disparar nas paradas de sucessos.Tenho dito.

Paqueta 1964 disse...

Prezados Ouvintes !!
sempre admirei a música de nivaldo ornelas, desde 1984 quando ele fez um show no Rio de Janeiro com Marcos Rezende, e desde antes lanços discos na minha humilde opinião, maravilhosos.
mas nosso amigo tem razão, não é muito para o povão e sim para ser apreciada para quem sabe apreciar.
Comprei o CD Noturno de David Ganc , com as músicas de Nivaldo Ornelas e realmente é muito bem apresentado além de ter uma sonoridade e dissonância maravilhosas.
sem preconceito, é para quem gosta de música instrumental e tem algum apuro musical.
não é disco para paradas de sucesso, pois precisa ter fluência nos sons e como diz uma das músicas, revela "sentimentos não revelados".
graças a deus tive a sorte de escutar e poder sorvir desta maravilha.
deixem que o povo curte seu leco leco.

Paqueta 1964 disse...

Prezados Ouvintes !!
sempre admirei a música de nivaldo ornelas, desde 1984 quando ele fez um show no Rio de Janeiro com Marcos Rezende, e desde antes lançou discos na minha humilde opinião, maravilhosos.
mas nosso amigo tem razão, não é musica para o povão e sim para ser apreciada para quem sabe apreciar.
Comprei o CD Noturno de David Ganc , com as músicas de Nivaldo Ornelas e realmente é muito bem apresentado além de ter uma sonoridade e dissonância maravilhosas.
sem preconceito, é para quem gosta de música instrumental e tem algum apuro musical.
não é disco para paradas de sucesso, pois precisa ter fluência nos sons e como diz uma das músicas, revela "sentimentos não revelados".
graças a deus tive a sorte de escutar e poder sorvir desta maravilha.
deixem que o povo curte seu leco leco.

Paqueta 1964 disse...

Prezado Mauro !!
vc pelo seu apuro e conhecimento musical, poderia indicar novos lançamento de artistas nesta área, principalmente aqueles mais desconhecimentos, para não ficarmos na dependencia de tentar advinhar uma boa musica nas lojas, mas infelizmente sem poder escutar aquela musica , pois as poucas lojas do RJ (arlequim, saraiva e livraria da travessa) não dispõem de equipamentos. e seria bem fácil , pois tudo pode ser gravado em MP3.