Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


terça-feira, 31 de maio de 2016

Discos 'Mestres Navegantes Pará 2' documenta sons de Bragança e Cametá

Viabilizado com recursos financeiros obtidos no projeto Natura musical, o álbum duplo Mestres Navegantes - Pará vol. 2 dá prosseguimento à série de discos documentais que registram ritmos e sons de manifestações culturais de regiões situadas longe demais das capitais do Brasil. Lançado neste mês de maio de 2016, o segundo álbum dedicado aos ritmos do Pará é o 19º título da série derivada da ampla pesquisa musical sobre a cultura popular brasileira feita desde 2008 pelo músico e produtor Betão Aguiar. Após documentar em 2014 e 2015 os diversos tipos de carimbó e boi bumbá que resistem nas regiões de Salgado Paraense e da Ilha do Marajó, no Pará, Aguiar se voltou para os grupos e mestres em atividade nas centenárias cidades paraenses de Bragança e Cametá. Ao todo, o álbum duplo apresenta 50 gravações feitas por 10 grupos. São músicas derivadas de manifestações folclóricas e de ritmos obscuros nos centros urbanos como chorado, folia, ladainha, marierrê, mazurca e retumbão. No disco dedicado à Bragança, cidade onde o toque da rabeca sobressai nas manifestações culturais da região, há registros de quatro grupos e mestres (Comitiva de São Benedito, Mestre Antonio, Pássaro Bragantino e Regional da Marujada). Já o disco com sons de Cametá reúne gravações de seis grupos (Bambaê do Rosário, Cinco de Ouro do Maú, Grupo Engole Cobra, Marrierrê do Carapajó, Os Linguarudos de Santana e o Samba de Cacete do Matias).

5 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Viabilizado com recursos financeiros obtidos no projeto Natura musical, o álbum duplo Mestres Navegantes - Pará vol. 2 dá prosseguimento à série de discos documentais que registram ritmos e sons de manifestações culturais de regiões situadas longe demais das capitais do Brasil. Lançado neste mês de maio de 2016, o segundo álbum dedicado aos ritmos do Pará é o 19º título da série derivada da ampla pesquisa musical sobre a cultura popular brasileira feita desde 2008 pelo músico e produtor Betão Aguiar. Após documentar em 2014 e 2015 os diversos tipos de carimbó e boi bumbá que resistem nas regiões de Salgado Paraense e da Ilha do Marajó, no Pará, Aguiar se voltou para os grupos e mestres em atividade nas centenárias cidades paraenses de Bragança e Cametá. Ao todo, o álbum duplo apresenta 50 gravações feitas por 10 grupos. São músicas derivadas de manifestações folclóricas e de ritmos obscuros nos centros urbanos como chorado, folia, ladainha, marierrê, mazurca e retumbão. No disco dedicado à Bragança, cidade onde o toque da rabeca sobressai nas manifestações culturais da região, há registros de quatro grupos e mestres (Comitiva de São Benedito, Mestre Antonio, Pássaro Bragantino e Regional da Marujada). Já o disco com sons de Cametá reúne gravações de seis grupos (Bambaê do Rosário, Cinco de Ouro do Maú, Grupo Engole Cobra, Marrierrê do Carapajó, Os Linguarudos de Santana e o Samba de Cacete do Matias).

Leandro Diniz disse...

Bom dia Mauro, Como comprar?

Mauro Ferreira disse...

Bom dia, Leandro! Não há como comprar, até onde sei. O disco físico tem distribuição dirigida a bibliotecas, instituições de ensino e pesquisa. Abs, MauroF

Luca disse...

Qual o sentido de lançar um disco que não pode ser comprado?

ADEMAR AMANCIO disse...

Faltou convidar Eliana Pittman,a rainha do carimbó.