Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


segunda-feira, 9 de maio de 2016

Alcione canta Bosco, Fátima e Venturini, entre inéditas, em show de boleros

Gracias a la vida - o maior sucesso do cancioneiro combativo da compositora chilena Violeta Parra (1917 - 1967), lançado em 1966 na voz da autora - não é um bolero. Mas o hino humanista de inspiração folclórica - propagado em escala mundial a partir da gravação feita em 1971 pela cantora argentina Mercedes Sosa (1935 - 2009) - foi escolhido por Alcione para abrir e fechar o show de boleros que a cantora maranhense estreou na noite de sábado, 7 de maio de 2016, na casa Metropolitan, no Rio de Janeiro (RJ), a cidade que abriga a Marrom desde 1968. Com músicas inéditas como Amor amigo (Roberta Miranda) e Quem dera (Julio Alves), o roteiro do show Alcione boleros incluiu sambas-canção, canções e, claro, boleros como Besame (Flávio Venturini e Murilo Antunes, 1988), Escríbeme - um dos clássicos mundiais deste gênero de origem cubana, lançado em disco em 1968, dois anos após ter sido composto na prisão em 1956 pelo engajado e perseguido compositor e pianista venezuelano Guillermo Castillo Bustamante (1910-1974) - e Recusa (Herivelto Martins, 1952), sucesso na voz icônica de Angela Maria, cantora fluminense de cujo repertório popular a Marrom também pescou a pérola Abandono (Nazareno de Brito e Presyla de Barros, 1955). Estruturado em quatro blocos, abertos por textos escritos e recitados (em off) pela poeta capixaba Elisa Lucinda, o roteiro de Alcione boleros se valeu dos textos do inédito poema As quatro estações para retratar os tons e luzes das várias fases do amor, assunto das músicas do repertório. Sob a direção de Solange Nazareth e com o toque abolerado dos arranjos criados pelo diretor musical Alexandre Menezes (com Jota Moraes e Zé Américo Bastos) e executados pelos 11 músicos da Banda do Sol, Alcione deu voz a Corsário (João Bosco e Aldir Blanc, 1975), Desacostumei de carinho (Fátima Guedes, 1981), Pra você (Silvio César, 1965) e Paixão de D'artagnan (Altay Veloso, 1988). Eis o roteiro seguido em 7 de maio de 2016 pela Marrom - em foto de Rodrigo Goffredo - na estreia nacional de Alcione boleros, show que será gravado ao vivo, para edição de CD e DVD, em junho deste ano de 2016, em apresentação na Cidade das Artes, na mesma cidade do Rio de Janeiro (RJ) em que o espetáculo veio pela primeira vez ao mundo na casa Metropolitan:

 As quatro estações (Outono) - Texto de Elisa Lucinda ouvido em off na voz da escritora
1. Gracias a la vida (Violeta Parra, 1966)
2. Recusa (Herivelto Martins, 1952)
3. Desacostumei de carinho (Fátima Guedes, 1981)
4. Amor amigo (Roberta Miranda, 2016) - música inédita
 As quatro estações (Inverno) - Texto de Elisa Lucinda ouvido em off na voz da escritora
5. À sombra do teu sorriso (The shadow of your smile) (Johnny Mandel e Paul Francis
    Webster, 1965, em versão em português de Luis Bittencourt, 1966) - com Sylvia Nazareth
6. Quase (Mirabeau e Jorge Gonçalves, 1954)
7. Abandono (Nazareno de Brito e Presyla de Barros, 1955)
8. Que queres tu de mim? (Jair Amorim e Evaldo Gouveia, 1964)
 As quatro estações (Primavera) - Texto de Elisa Lucinda ouvido em off na voz da escritora
9. Apelo (Baden Powell e Vinicius de Moraes, 1966)
10. Pra você (Silvio César, 1965)
11. Segredo (Herivelto Martins e Marino Pinto, 1947)
12. Quem dera (Julio Alves, 2016) - música inédita
13. Escríbeme (Guillermo Castillo Bustamante, 1958)
    As quatro estações (verão) - Texto de Elisa Lucinda ouvido em off na voz da escritora
14. Besame (Flávio Venturini e Murilo Antunes, 1988)
15. Risque (Ary Barroso, 1952)
16. Eu te amo (Irany de Oliveira, 1961)
17. Paixão de D'artagnan (Altay Veloso, 1988)
18. Corsário (João Bosco e Aldir Blanc, 1975)
19. Gracias a la vida (Violeta Parra, 1966)

6 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Gracias a la vida - o maior sucesso do cancioneiro combativo da compositora chilena Violeta Parra (1917 - 1967), lançado em 1966 na voz da autora - não é um bolero. Mas o hino humanista de inspiração folclórica - propagado em escala mundial a partir da gravação feita em 1971 pela cantora argentina Mercedes Sosa (1935 - 2009) - foi escolhido por Alcione para abrir e fechar o show de boleros que a cantora maranhense estreou na noite de sábado, 7 de maio de 2016, na casa Metropolitan, no Rio de Janeiro (RJ), a cidade que abriga a Marrom desde 1968. Com músicas inéditas como Amor amigo (Roberta Miranda) e Quem dera (Julio Alves), o roteiro do show Alcione boleros incluiu sambas-canção, canções e, claro, boleros como Besame (Flávio Venturini e Murilo Antunes, 1988), Escríbeme - um dos clássicos mundiais deste gênero de origem cubana, lançado em disco em 1968, dois anos após ter sido composto na prisão em 1956 pelo engajado e perseguido compositor e pianista venezuelano Guillermo Castillo Bustamante (1910-1974) - e Recusa (Herivelto Martins, 1952), sucesso na voz icônica de Angela Maria, cantora fluminense de cujo repertório popular a Marrom também pescou a pérola Abandono (Nazareno de Brito e Presyla de Barros, 1955). Estruturado em quatro blocos, abertos por textos escritos e recitados (em off) pela poeta capixaba Elisa Lucinda, o roteiro de Alcione boleros se valeu dos textos do inédito poema As quatro estações para retratar os tons e luzes das várias fases do amor, assunto das músicas do repertório. Sob a direção de Solange Nazareth e com o toque abolerado dos arranjos criados pelo diretor musical Alexandre Menezes (com Jota Moraes e Zé Américo Bastos) e executados pelos 11 músicos da Banda do Sol, Alcione deu voz a Corsário (João Bosco e Aldir Blanc, 1975), Desacostumei de carinho (Fátima Guedes, 1981), Pra você (Silvio César, 1965) e Paixão de D'artagnan (Altay Veloso, 1988). Eis o roteiro seguido em 7 de maio de 2016 pela Marrom - em foto de Rodrigo Goffredo - na estreia nacional de Alcione boleros, show que será gravado ao vivo, para edição de CD e DVD, em junho deste ano de 2016, em apresentação na Cidade das Artes, na mesma cidade do Rio de Janeiro (RJ) em que o espetáculo veio pela primeira vez ao mundo na casa Metropolitan:

♪ As quatro estações (Outono) - Texto de Elisa Lucinda ouvido em off na voz da escritora
1. Gracias a la vida (Violeta Parra, 1966)
2. Recusa (Herivelto Martins, 1952)
3. Desacostumei de carinho (Fátima Guedes, 1981)
4. Amor amigo (Roberta Miranda, 2016) - música inédita
♪ As quatro estações (Inverno) - Texto de Elisa Lucinda ouvido em off na voz da escritora
5. À sombra do teu sorriso (The shadow of your smile) (Johnny Mandel e Paul Francis Webster, 1965, em versão em português de Luis Bittencourt, 1966) - com Sylvia Nazareth
6. Quase (Mirabeau e Jorge Gonçalves, 1954)
7. Abandono (Nazareno de Brito e Presyla de Barros, 1955)
8. Que queres tu de mim? (Jair Amorim e Evaldo Gouveia, 1964)
♪ As quatro estações (Primavera) - Texto de Elisa Lucinda ouvido em off na voz da escritora
9. Apelo (Baden Powell e Vinicius de Moraes, 1966)
10. Pra você (Silvio César, 1965)
11. Segredo (Herivelto Martins e Marino Pinto, 1947)
12. Quem dera (Julio Alves, 2016) - música inédita
13. Escríbeme (Guillermo Castillo Bustamante, 1958)
♪ As quatro estações (verão) - Texto de Elisa Lucinda ouvido em off na voz da escritora
14. Besame (Flávio Venturini e Murilo Antunes, 1988)
15. Risque (Ary Barroso, 1952)
16. Eu te amo (Irany de Oliveira, 1961)
17. Paixão de D'artagnan (Altay Veloso, 1988)
18. Corsário (João Bosco e Aldir Blanc, 1975)
19. Gracias a la vida (Violeta Parra, 1966)

Henrique disse...

Não teve bis?

Rafael M. disse...

Roteiro de músicas perfeito!

Mauro Ferreira disse...

Não, Henrique, não teve bis. Abs, MauroF

José Adriano disse...

Mais uma canção da Roberta Miranda no repertório, que bom!

A Roberta é uma grande cantora e uma grande compositora também, sou fã!

Luca disse...

Roberta Miranda pra que?