Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


domingo, 29 de maio de 2016

Adolfo saúda em 'Tropical infinito' jazzistas que influenciaram bossa-novistas

Lançado neste mês de maio de 2016, em edição independente do selo AAM distribuída nos Estados Unidos e no Brasil (no mercado nacional via Rob Digital), o 25º álbum de Antonio Adolfo, Tropical infinito, é homenagem do compositor e pianista carioca a jazzistas norte-americanos que influenciaram - como músicos e como compositores - as gerações de bossa-novistas que emergiram no início da década de 1960 no rastro da revolução estética feita por João Gilberto em 1958. Entre quatro temas de lavra própria (Cascavel, Luar da Bahia, Partido leve e Yolanda, Yolanda), Adolfo aborda temas do saxofonista de hard bop Benny Golson (Killer Joe e Whisper not), do pianista Horace Silver (1928 - 2014) - de quem o músico carioca revive Song for my father (1965) - e do saxofonista Oliver Nelson (1932 - 1975), representado no repertório por Stolen moments (1961). Adolfo toca o piano e assina a produção e os arranjos de Tropical infinito, disco gravado pelo músico em dezembro de 2015, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), com trio de metais formado por Jessé Sadoc (trompete e flugelhorn), Marcelo Martins (saxofone alto e sax soprano) e Serginho Trombone. O fino repertório de nove músicas do álbum Tropical infinito é completado por All the things you are (Jerome Kern e Oscar Hammerstein, 1939), o standard da canção norte-americana.

3 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Lançado neste mês de maio de 2016, em edição independente do selo AAM distribuída nos Estados Unidos e no Brasil (no mercado nacional via Rob Digital), o 25º álbum de Antonio Adolfo, Tropical infinito, é homenagem do compositor e pianista carioca a jazzistas norte-americanos que influenciaram - como músicos e como compositores - as gerações de bossa-novistas que emergiram no início da década de 1960 no rastro da revolução estética feita por João Gilberto em 1958. Entre quatro temas de lavra própria (Cascavel, Luar da Bahia, Partido leve e Yolanda, Yolanda), Adolfo aborda temas do saxofonista de hard bop Benny Golson (Killer Joe e Whisper not), do pianista Horace Silver (1928 - 2014) - de quem o músico carioca revive Song for my father (1965) - e do saxofonista Oliver Nelson (1932 - 1975), representado no repertório por Stolen moments (1961). Adolfo toca o piano e assina a produção e os arranjos de Tropical infinito, disco gravado pelo músico em dezembro de 2015, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), com trio de metais formado por Jessé Sadoc (trompete e flugelhorn), Marcelo Martins (saxofone alto e sax soprano) e Serginho Trombone. O fino repertório de nove músicas do álbum Tropical infinito é completado por All the things you are (Jerome Kern e Oscar Hammerstein, 1939), o standard da canção norte-americana.

Edimar Pereira disse...

O cd é refinado demais. Poucos vão dar valor por aqui. Que lástima! Vai ser reconhecido em outros mercados musicais.

ADEMAR AMANCIO disse...

CD bom é assim:9 canções,pra que mais?