Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


terça-feira, 17 de maio de 2016

Cauby deixa álbum gravado em março com 10 músicas do repertório de Dick

Em 8 e 9 de fevereiro deste ano de 2016, Cauby Peixoto (1931 - 2016) se apresentou no teatro do Sesc Pompeia, na cidade de São Paulo (SP), com show que, embora calcado no álbum A bossa de Cauby Peixoto (Biscoito Fino, 2015), embutiu no roteiro um tributo do cantor fluminense ao cantor, compositor e pianista carioca Dick Farney (1921 - 1987). No embalo da homenagem, Cauby - em foto de Marco Aurélio Olímpio - decidiu gravar um disco com o repertório de Farney, artista de voz macia cujo canto era, em tese, a antítese do estilo mais acalorado de Cauby. Três semanas após o show, já em março, Cauby entrou em estúdio da cidade de São Paulo (SP) sob a batuta do produtor Thiago Marques Luiz e gravou, num único dia, dez músicas do repertório de Farney. O combinado com o produtor era lançar o álbum somente no fim deste ano de 2016. "Ele ficou muito feliz com os shows e pediu para gravar o disco. Como eu tinha tudo pronto, foi fácil e foi super rápido", conta Marques Luiz. Guardado, o material gravado pelo cantor na derradeira sessão de estúdio nunca foi mexido. Diante da saída de cena de Cauby, o produtor ainda não sabe se e quando lançará o álbum que vai se tornar, por obra do destino,  o primeiro título póstumo da discografia de Cauby Peixoto.

4 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Em 8 e 9 de fevereiro deste ano de 2016, Cauby Peixoto (1931 - 2016) se apresentou no teatro do Sesc Pompeia, na cidade de São Paulo (SP), com show que, embora calcado no álbum A bossa de Cauby Peixoto (Biscoito Fino, 2015), embutiu no roteiro um tributo do cantor fluminense ao cantor, compositor e pianista carioca Dick Farney (1921 - 1987). No embalo da homenagem, Cauby - em foto de Marco Aurélio Olímpio - decidiu gravar um disco com o repertório de Farney, artista de voz macia cujo canto era, em tese, a antítese do estilo mais acalorado de Cauby. Na semana seguinte do show, sob batuta do produtor Thiago Marques Luiz, Cauby entrou em estúdio da cidade de São Paulo (SP) e gravou, num único dia, dez músicas do repertório de Farney. O combinado com o produtor era lançar o álbum somente no fim deste ano de 2016. "Ele ficou muito feliz com os shows e pediu para gravar o disco. Como eu tinha tudo pronto, foi fácil e foi super rápido", conta Marques Luiz. Guardado, o material gravado pelo cantor na derradeira sessão de estúdo nunca foi mexido. Diante da saída de cena de Cauby, o produtor ainda não sabe se e quando lançará o álbum que vai se tornar, por obra do destino, o primeiro título póstumo da discografia de Cauby Peixoto.

Rafael M. disse...

Tomara sim que esse disco saia, e o quanto antes... Uma obra tão vasta e bela de Dick Farney na voz do grande Cauby não pode ficar sem vez a luz do dia...

GAY disse...

Que falta nos fará tão preciosa voz, e tão raro pássaro cantante...

Luca disse...

é claro que, se tá gravado mesmo, o disco vai sair