Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


terça-feira, 2 de junho de 2015

Moralista, o veto do iTunes à capa do álbum solo de Juçara amordaça a Arte

EDITORIAL - O álbum mais importante de 2014 - Encarnado, primeiro disco solo da cantora Juçara Marçal - chegou hoje, 2 de junho de 2015, às plataformas digitais em lançamento nacional orquestrado pelo selo Laboratório Fantasma. Infelizmente, Encarnado não pode ser adquirido via iTunes. É que a loja virtual da Apple vetou a venda do disco com a capa criada por Kiko Dinucci e, diante da justa recusa da artista de alterar a capa, o álbum não foi aceito pelo iTunes. O motivo - inacreditável, bizarro - são os mamilos do desenho de Dinucci. A censura do iTunes à capa de Encarnado é de morte! Afinal, a nudez sempre esteve presente em capas de discos. Porque discos trazem músicas. E música é arte. Mesmo que a nudez fosse gratuita, já seria moralista proibir a exposição do corpo humano. Mas a nudez numa capa de disco é sempre artística - o que torna ainda mais lamentável a atitude tomada pelo iTunes. Uma ação que reforça a onda de moralismo hipócrita que varre o Brasil porque, em última instância, é uma censura à Arte e à liberdade de expressão artística. Como o mercado de música digital está em contínua expansão, trata-se de uma ação que deve ser motivo de denúncias e protestos públicos até que não se repita mais. Até porque, em vez de perder tempo vetando capas de discos, o iTunes deveria criar mecanismos que dessem nomes aos (jamais creditados) compositores das músicas que vende. Isso, sim, a ausência de crédito dos compositores, é aberração que deve ser proibida nas plataformas digitais em todo o território internacional o quanto antes, porque nega aos compositores as assinaturas de suas obras.

15 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ EDITORIAL - O álbum mais importante de 2014 - Encarnado, primeiro disco solo da cantora Juçara Marçal - chegou hoje, 2 de junho de 2015, às plataformas digitais em lançamento nacional orquestrado pelo selo Laboratório Fantasma. Infelizmente, Encarnado não pode ser adquirido via iTunes. É que a loja virtual da Apple vetou a venda do disco com a capa criada por Kiko Dinucci e, diante da justa recusa da artista de alterar a capa, o álbum não foi aceito pelo iTunes. O motivo - inacreditável, bizarro - são os mamilos do desenho de Dinucci. A censura do iTunes à capa de Encarnado é de morte! Afinal, a nudez sempre esteve presente em capas de discos. Porque discos trazem músicas. E música é arte. Mesmo que a nudez fosse gratuita, já seria moralista proibir a exposição do corpo humano. Mas a nudez numa capa de disco é sempre artística - o que torna ainda mais lamentável a atitude tomada pelo iTunes. Uma ação que reforça a onda de moralismo hipócrita que varre o Brasil porque, em última instância, é uma censura à Arte e à liberdade de expressão artística. Como o mercado de música digital está em contínua expansão, trata-se de uma ação que deve ser motivo de denúncias e protestos públicos até que não se repita mais. Até porque, em vez de perder tempo vetando capas de discos, o iTunes deveria criar mecanismos que dessem nomes aos (jamais creditados) compositores das músicas que vende. Isso, sim, a ausência de crédito dos compositores, é aberração que deve ser proibida nas plataformas digitais em todo o território internacional o quanto antes, porque nega aos compositores as assinaturas de suas obras.

Pedro Progresso disse...

Mauro, concordo 100% e digo mais: sinto muita dificuldade em encontrar os músicos das gravações. nos dias de hoje isso é absurdo! nos anos 60 só surgem os nomes dos arranjadores, mas isso é passado. as plataformas digitais tem que incluir os compositores, as datas corretas dos registros (ja vi muita música com datas erradas) e os músicos presentes especialmente se forbum site de compra como o itunes.

Fabio disse...

Disco chatérrimo! Tentei, juro que tentei ouvir mas não consegui.

André Luís disse...

Falso moralismo! Que mundo chato é esse, hein?! Tudo pode e nada pode...

Rafael M. disse...

Beira o ridiculo e ao descabimento total esse veto do Itunes ao excelente disco de Juçara Marçal.

italo vinicius disse...

Na moral que ridículo tomara que venda bastante em outras plataformas para se arrependerem ate a morte

MARCUS FERNANDO disse...

E por que o CD da Maria Gadú, que também traz mamilos polêmicos e em foto, pode?

italo vinicius disse...

Vai saber Marcus vai saber .. Isso é birra de algum pela saco

Ronaldo Muniz disse...

Já não gostava de comprar nesta plataforma por vender muito arquivo "clipado".

lurian disse...

Que mundo careta!!! Não é à toa que tem tanta gente pedindo a volta da ditadura e coisas afins...
Morte à arte!

BIGODE disse...

Estamos andando prá trás mesmo, em todos os sentidos.....disco incrivel, maravilhoso e arte muito bacana.....perdeu quem compra e ouve via Itunes....

A Outra Letra Q disse...

Boa noite Mauro. Percebo nas suas postagens que você sempre menciona a pré-venda no itunes, data de lançamento pela plataforma e tal. Você tem informações sobre o volume real de vendas de música brasileira no itunes e a fatia que isto representa no mercado atual? pergunto isso porque ainda não compreendo o lançamento virtual no itunes como real lançamento; pra mim, o disco precisa ter sua versão física para realmente estar no mercado, ou pelo menos ser disponibilizado pelo site do próprio artista, como no caso do álbum de Siba. O brasileiro realmente compra no itunes? Faz um texto pra seus leitores entenderem um pouquinho! Um abraço

Sérgio Rossini disse...

O que é arquivo "clipado"?

Roberto de Brito disse...

É quando a gravação é feita num volume muito alto, e fica com alguns picos de saturação. Como um auto falante estourado.
Eu sinceramente nunca tive esse problema com o iTunes, até porque compro poucas músicas.
Quanto ao veto da capa de Juçara Marçal, sem comentários!

Mauro Silva disse...

Essa capa da Juçara é linda! Assim como a capa de 'Guelã' da Maria Gadú, que também trás os seis na capa. São 2 trabalhos primorosos em arte e música. Com que base o Itunes toma esta atitude do tempo da caverna ? rsrsrs.