Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sábado, 20 de outubro de 2012

Ivete vai atrás do trio elétrico em 'Real Fantasia' com ralo repertório latino

Resenha de CD
Título: Real Fantasia
Artista: Ivete Sangalo
Gravadora: Universal Music
Cotação: * * 

Disco feito apenas para o público de Ivete Sangalo tirar o pé do chão, Real Fantasia apresenta repertório inédito de nível rasteiro. A produção azeitada de Alexandre Lins embala 12 músicas inéditas compostas dentro dos industriais padrões carnavalizantes da obra da (boa) cantora e (fraca) compositora baiana. A diferença é que, ao habitual dendê da mistura pop baiana da artista, Real Fantasia adiciona o tempero caliente de outros ritmos latinos. Delira na Guajira (Samir e Fábio Alcântara) flerta com a rica musicalidade cubana - guajira é ritmo originário da ilha - com a pitada de salsa que também apimenta Puxa Puxa (Fabinho O' Brian, Rubem Tavares e Duller), tema que celebra a própria dança na (pobre) letra metalinguística. Quase no mesmo passo, Dançando (Felipe Escandurras, Márcio Victor e Thierry Coringa) - tema de versos primários, gravados com Shakira em dueto disponível por ora somente no iTunes - tem toque de reggaeton. Já o molho caribenho de Vejo o Sol e a Lua (Ramón Cruz) - a melhor dentre as faixas banhadas em latinidade - soa especialmente saboroso. Contudo, essa latinidade jamais eleva o nível da música de Ivete. Sem alçar o voo artístico a que sua voz lhe credencia, a cantora vai atrás dos trios elétricos na faixa-título Real Fantasia (Magary Lord, Jorginho, Codô Lima e Fábio Alcântara), música aquecida por metais em brasa, turbinada pela guitarra baiana de Armandinho Macedo e direcionada aos Carnavais dentro e fora de época. O público-alvo da faixa-título é o mesmo de No Meio do Povão (Rubem Tavares e Jorginho), música que começa como pop reggae, mas logo evolui para o ritmo do samba-reggae. "Eu sou do batuquê / Sou do levadão / Sou do Ilê", garante Ivete na letra autorreferente. Propagada como cantora em escala nacional nos anos 90, como vocalista da Banda Eva, Ivete também evoca suas origens em Real Fantasia no primeiro single do álbum, No Brilho Desse Olhar (Dan Kanbaiah e Davi Salles), balada pop sustentada pela batida percussiva do samba-reggae. Em seara mais sentimental, Só Num Sonho (Ivete Sangalo, Radamés Venâncio e Gigi) rebobina clichês românticos. É a balada lacrimejante da vez. Sem choro, Essa Distância (Gigi) vivencia a saudade no tom carnavalizante que pauta o disco. A funkeada Só Nós Dois (Ramón Cruz e Ivete Sangalo) - mais um exemplo claro de como Ivete Sangalo canta repertório abaixo de seu padrão vocal - também vai pelo mesmo caminho. Dentro dessa espiral banal de alegria industrializada, produto rentável da folia baiana, Balançando Diferente (Gibi e Fabinho) esboça flerte com o samba-rock sem roçar o suingue do gênero. No fim, Isso Não se Faz (Tonny Carqueija e Ramón Cruz) cria trama de sintetizadores - pilotados pelo arranjador da faixa, Radamés Venâncio - para remoer a mesma chata ladainha amorosa de outras baladas românticas do repertório da artista. Turbinado com duas faixas-bônus gravadas pela cantora para trilhas sonoras de novelas da TV Globo, Me Levem Embora (Dori Caymmi e Jorge Amado) e Eu Nunca Amei Alguém Como Eu te Amei (Eduardo Lages e Paulo Sérgio Valle), Real Fantasia é disco bem irregular, condizente com o nível ruim da recente discografia solo de Ivete Sangalo. O tom populista da safra de inéditas sinaliza que vai rolar a mesma festa pobre.

42 comentários:

Mauro Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Progresso disse...

disco fraco, cantora boa.
acredito que depois dos bons "pode entrar" e "ivete, gil e caetano", ela quis voltar com uma pegada mais populista pra vender muito em estúdio.
disco chato, mas chato mesmo. não tem nada que se salve como em "Festa" ou "Bloco Inocentes...".

Rafael disse...

Nunca pensei que esse disco fosse coisa que valesse mesmo. E o pior é que ainda tem o displante de cobrarem 30 reais por isso.

George disse...

Queria entender o que faz o Mauro achar o trabalho da Gaby Amarantos rico e criativo, e o de Ivete pobre e rasteiro. Não enxergo resposta, senão uma perseguição que já ficou pessoal em relação à Ivete. Exemplo? Só conseguiu elogiar o album Pode Entrar, depois que o dvd do Madison foi lançado. Sendo que apontou o Pode Entrar tardiamente como uma boa obra. É pessoal...

George disse...

Queria entender o que faz o Mauro achar o trabalho da Gaby Amarantos rico e criativo, e o de Ivete pobre e rasteiro. Não enxergo resposta, senão uma perseguição que já ficou pessoal em relação à Ivete. Exemplo? Só conseguiu elogiar o album Pode Entrar, depois que o dvd do Madison foi lançado. Sendo que apontou o Pode Entrar tardiamente como uma boa obra. É pessoal...

George disse...

Queria entender o que faz o Mauro achar o trabalho da Gaby Amarantos rico e criativo, e o de Ivete pobre e rasteiro. Não enxergo resposta, senão uma perseguição que já ficou pessoal em relação à Ivete. Exemplo? Só conseguiu elogiar o album Pode Entrar, depois que o dvd do Madison foi lançado. Sendo que apontou o Pode Entrar tardiamente como uma boa obra. É pessoal...

Anônimo disse...

Bem, adquiri este último trabalho da Sangalo na última terça-feira e o mesmo me agradou bastante. Odeio cantoras que de maneira pretensiosa tentam forçosamente fazer a linha "cult". Em Ivete eu não enxergo esse defeito. Acho Ivete correta, honesta com a sua arte e com o seu propósito dentro da música. Se pra você, caro Mauro, isso parece ser condenável na discografia da Sangalo, para mim, isso funciona como um grande atrativo. Esse novo trabalho da morena foi uma grata surpresa. Adorei vê-la explorando sua porção latina com tanta qualidade e com a mesma alegria e leveza peculiar. Salve Ivete e toda sua simplicidade!

Fernando Carioca disse...

Acho cômica a maneira que Mauro sempre tenta desmerecer a Ivete Sangalo. Da última vez que ele se dedicou a desqualificá-la, a cantora foi indicada ao grammy por "melhor performance" em uma das mais importantes categorias. Acho que não estou tão equivocado ao discordar dessa sua crítica sobre o mais recente cd dela.

Mais importante do que desdenhar do trabalho da cantora seria tentar compreender o propósito da mesma dentro da música. Ivete não quer soar erudita e refinada para os críticos, no entanto, acho sua "festa pobre" infinitamente mais rica e autêntica do que Gabys Amarantos e Claudias Leites que sempre o vejo exaltar.

aguiar_luc disse...

Achei um CD bem "Back to Start" de sua carreira, não é ruim eu daria três estrelas. E em comparação com os último álbuns da artista esse é uma obra prima.
Só num Sonho, Isso não se Faz e Essa Distância são gostosas de se ouvir! No mais... gostei do cd!!

Eduardo Cáffaro disse...

acabei de comprar e ouvir o cd todo. Real fantasia vai tocar até que bem, se souberem trabalhar nas rádios e claro visitar o Faustão algumas vezes. Mas infelizmente Ivete lança Discos que só duram até sair o próximo album. Os arranjos estão deliciosos, os ritmos estão contagiantes, A voz da Ivete está gostosa de se ouvir mas Pena, muita pena mesmo que as letras sejam tão bobas, tão fracas, nossa ... se trocassem as letras poderia ser um DISCAÇO !

Dona Emengarda disse...

Injustica! O Mauro não desdenhou do trabalho dela, apenas foi realista. Da Ivete, ele só falou bem! Vamos gostar, mas sem perder o senso critico, minha gente!

Dona Emengarda disse...

Injustica! O Mauro não desdenhou do trabalho dela, apenas foi realista. Da Ivete, ele só falou bem! Vamos gostar, mas sem perder o senso critico, minha gente!

Adriane disse...

É muito engraçado! A voz de Ivete a credencia a alçar voos artíticos, porém, contudo, todavia, quando Ivete o faz, como em "Ivete, Gil e Caetano", a "boa" voz já não serve mais. Ela não sabe interpretar as canções. E faz pálidos registros como em "Atrás da Porta". É pra amar profundamente...rs
E como foi dito acima, só agora o "Pode Entrar" virou o "ai Jesus" da carreira de Ivete, né? Não lembro desse amor todo quando ele foi lançado, não. "Real Fantasia" é um belo disco!

Adriane disse...

É muito engraçado! A voz de Ivete a credencia a alçar voos artíticos, porém, contudo, todavia, quando Ivete o faz, como em "Ivete, Gil e Caetano", a "boa" voz já não serve mais. Ela não sabe interpretar as canções. E faz pálidos registros como em "Atrás da Porta". É pra amar profundamente...rs
E como foi dito acima, só agora o "Pode Entrar" virou o "ai Jesus" da carreira de Ivete, né? Não lembro desse amor todo quando ele foi lançado, não. "Real Fantasia" é um belo disco!

Fernando Carioca disse...

É verdade Adriane. No próximo trabalho da Ivete este "Real Fantasia" será alçado ao patamar de um trabalho diferenciado, de maior qualidade. Aguardemos....

E por quê a temática romântica de Ivete soa como clichê, mas quando explorada por outros artistas esse segmento recebe outro tratamento?

Olha...depois que ele deu "duas estrelas" pro "Ivete, Gil e Caetano" e "quatro estrelas" pra Gaby Amarantos e Negalora, eu realmente sou obrigado a concordar que Mauro é deveras despeitado com a Ivete. rss

Lucas disse...

Não enxerguei toda essa pobreza musical relatada por Mauro não. Desculpa, mas sou obrigado a discordar.

Acho que Ivete fez um cd bastante rico musicalmente. Arranjos dignos de elogios, a escolha do repertório me agradou bastante. Gostei dessa Ivete mais latina; casou muitíssimo bem com sua afinada voz e sua afiada banda.

Destaco as ótimas: Delira na Guajira, Essa Distância, Só Num Sonho e No Meio do Povão.

Duda disse...

Mas veja que coisa heim, vários críticos especializados em música estão relatando exatamente o contrário ao realçarem que esse e um ótimo projeto de estúdio da cantora baiana e mais não é só o público cativo de Ivete que está gostando do que ouve nas faixas não. Os ditos como "admiradores" tem adorado também inclusive comprado o disco original, talvez isso possa explicar o estrondoso sucesso em vendas em que acabou saindo 110 MIL CÓPIAS só na pré-venda ... mas sei que ainda exista gente com recalque suficiente para dizer que trata de uma festa pobre, masss não preciso nem explicar o porque né. #sambaivete

Fabio disse...

Essa onda caribenha da Ivete me cansa. Ela poderia fazer um CD no mesmo estilo do "Clássica" da Daniela Mercury. Concordo com o Mauro que ela tem boa voz mas um repertório bem chinfrim. A música "Dançando" tem batida legal, mas a letra...Jesus!

Sydney Vieira disse...

Ivete é cantora de Axé, Trio, Carnaval, e como tal, cumpre com grande maestria seu papel, dialoga com as massas como nenhuma outra, ela socializa sua música como poucos dentro do cenário carnavalesco conseguem fazer.
Pelo terreno da Axé Music a Rainha é outra, mas quem reina absoluta é dona Sangalo, e isso é incontestável, do proletariado à burguesia ela arrasta súditos , do operário ao professor, médico, engenheiro, ao ambulante, todos , doutores ou não, se rendem a soberania dela, para, ao comando dela Carnavalizar, a tal Festa “pobre” assim intitulada pelo Mauro, vai rolar sim, chefiada por Ivete Sangalo, essa festa é multilíngüe , sem pretensão alguma de agradar a críticos que estão com suas bundas pregadas em alguma cadeira distantes do universo da folia e que pouco sabem o que é o Carnaval de Salvador, a magia que acontecem nas ruas, o verdadeiro significado do grande festejo, a maior e mais popular do mundo, tampouco devem saber a definição etimológico do nome dado a festa, ‘CARNAVAL’ , que significa FESTA DA CARNE, ninguém vai as ruas para meditar em letras, não se espera ouvir Tom Jobim, Chico Buarque ou Pixinguinha , nessa festa o nosso grande e maior compositor é o Cacique Brown, autor da popularesca música Cadê Dalila? Hit forte do repertório de Ivete, ninguém vai ao Carnaval querendo ouvir piano, orquestra e nem ver Teatro de uma obra do Jorge Amado, os foliões estão festejando a carne, bebendo , beijando e etc.
A Cantora já provou a todos que é capaz de cantar o que quiser e bem entender, mas até então, orgulhosamente se mantém dentro de sua origem, e para desespero de alguns, ela conquista respeito e admiração dos grandes e consagrados da nossa música sem fugir de quem é, sendo quem é, e mostrando seu enorme talento, Maria Bethânia outro dia declarou que liga a TV para esperar Ivete Sangalo passar no Carnaval.
Ela se tornou maior que a Axé music, conquista até que não é fã do ritmo.
O Disco Real Fantasia, é um dos melhores da carreira de Ivete, e até as baladas são gostosas de escutar, afinal , não há nada mais clichê do que o próprio Amor, falar do mesmo sem chavão, é simplesmente impossível.
Então deixemos a MPB e Clássicas para Maria’s, Ana’s , Marisa , Adriana e etc...

p.s Se Marx fosse vivo seria fã de Ivete, ela une todas as classes e etnias atrás de seu trio. rs

Fabio disse...

Ai Sydney, seu texto é tão poético que me deu sono....zzzzzzzzzzzzz......vc deve ter demorado umas 3 horas pra montar esse textinho.

Sydney Vieira disse...

Fabio, já encontrei fãs de Daniela mais inteligente. abço

Fabio disse...

Não sou fã de Daniela! Só porque falei sobre o Clássica? Estou longe de ser desses que defendem Ivete ou Daniela ou Claudia Leite. Sou fã de música! Nenhuma das 3 sabem da minha existência para que eu escreva um texto dizendo blá blá blá como o seu. Ah! Também já encontrei gente com uma concordância mais inteligente que a sua: " já encontrei fãs de Daniela mais inteligente". Não seria "inteligentes"? Afffffff....

Fabio disse...

Não sou fã de Daniela, Seu Sidney! Só porque falei sobre o Clássica? Estou longe de ser desses que defendem Ivete ou Daniela ou Claudia Leite. Sou fã de música! Nenhuma das 3 sabem da minha existência para que eu escreva um texto dizendo blá blá blá como o seu. Ah! Também já encontrei gente com uma concordância mais inteligente que a sua: " já encontrei fãs de Daniela mais inteligente". Não seria "inteligentes"? Afffffff....

Sydney Vieira disse...

Não, na verdade a palavra "Fãs" que deveria ser no singular, eu digitei errado, não se apegue a detalhes tão pequenos, mesmo pq, sei que vc pode ser mais inteligente que isso.

Mas fica na paz cara, eu apenas comentei a crítica do Mauro, vc por sua vez, na falta de argumento para discuti fez um comentário com intuito de desmerecer o meu.

Se quer discuti sobre música, vamos nessa, se não é possível, sinto muito.

E se você é apenas fã de música como diz, deveria entender que Ivete é cantora de Carnaval e como tal não tem até então a menor pretensão de seguir a linha Clássica.
Daniela fez e parece que não deu certo, a MPB não abriu muito as portas para ela, apesar de ser uma grande artista, Ivete por sua vez com o Especial Ivete, Gil e Caetano, teve 4 indicações ao Grammy, sendo 3 na categoria principal,e 1 dessas pela sua interpretação na canção "Atrás da Porta" , enfim, a proposta de Ivete é fazer música para o Carnaval e como eu disse no meu primeiro comentário, ela faz isso com maestria, une todos os povos independente de Cor, Gênero ou Classe, como NENHUMA outra do Axé faz, e é respeitada pelos maiores nomes da música desse país.

Abço

Vinicius disse...

Ivete faz anos que canta a mesma música, só troca o título mas é sempre a mesma variação da mesma coisa. Um porre, já deu o que tinha que dar. Tá na hora de investir na criação artistica, já encheu os bolsos de dinheiro, não tem pra que ficar tão limitada.

Carlos Cardoso disse...

Acorda Gente...Desde que Ivete saiu da Banda Eva o repertório em geral é muito fraco. A música Aceleraê é o maior exemplo..
Não concordo que para se comunicar com as massas o repertório tenha que ser ralo..Amo Ivete e sua voz..Mas ela está presa nesta cadeia da Industria do Axé..E ela tem consiência disso..

Ana Paula Carvalho disse...

Estou acordada e não vejo repertório fraco de Ivete não, como foi dito, ela é cantora de Trio e desempenha muito bem seu papel, e para se comunicar com a massa precisa sim de uma linguagem fácil, do tipo que o povoão entende, o que se tem como ralo, eu diria apenas simples.
Ivete é inteligente, conhece o povo que a segue.
Tirando a música Dançando que ela fez dueto com Shakira, não vi nesse CD nenhuma música que podemos denominar rala, e sim músicas simples com o intuito de levar o povo para dançar.
Ninguém em Carnaval ta observando letra de música minha gente, quem precisa acorda é vocês, nem os fãs de Daniela que é quem faz música com letras mais elaboradas estão se importando com o que ela canta, estão preocupados quem vai pegar dentro do crocodilo.

Destaco: No Meio do Povão, Essa Distância, Delira na Guajira, Real Fantasia, Vejo o Sol e A Lua e Isso não se faz, minhas preferidas deste CD

Eduardo Matias disse...

Esse argumento de que Ivete grava sempre a mesma coisa é tão zZZZZZZ , todos os artistas segue uma linha, cada qual dentro de seu propósito.
E o Real Fantasia é um disco que tem uma pegada muito latina, coisa que não vemos nos outros discos de Ivete, o Cd está delicioso de se escutar.

Concordo com o que Adriane, Fernando e Sydney postaram acima. Assino embaixo, e acrescento mais,
Só quem não gosta de Ivete nesse país são : Fãs de Daniela/Claudia , os Fãs pseudos intelectuais da MPB, e a galera que detesta o Axé.
Mas, não gostar é diferente de depreciar.

As indicações de Ivete ao Grammy serviu para calar a boca de muita gente sobretudo pela sua interpretação "pálida" em Atrás da Porta que concorre pela categoria PRINCIPAL!

Gustavo Luz disse...

Mas perceba... Como é que a mulher faz uma capa dessa, traz um cara que já trabalhou com Madonna, monta fotos belíssimas (as mais bonitas que ela já tirou até hoje e colocou em um álbum, uma coisa super pop, internacional), você acaba pensando que Ivete vem com conceito novo e... E aí você abre a capa, coloca o CD dentro do som e se depara com letras "idiotas", babacas. A pessoa fica cheia de interrogações quando começa a ouvi-las. O que ela quis fazendo uma puta capa dessa? A mulher tá linda, digna de concorrer com capas das cantoras internacionais. Ela dá na cara de todas elas. Mas pra quê? Pra cantar isso aí que gravou nesse CD? E olhe, os ritmos são maravilhosos. Concordo com o Eduardo Cáffaro, quando ele diz "Os arranjos estão deliciosos, os ritmos estão contagiantes, A voz da Ivete está gostosa de se ouvir mas Pena, muita pena mesmo que as letras sejam tão bobas, tão fracas, nossa ... se trocassem as letras poderia ser um DISCAÇO !". Putz!! É isso... A voz dela tá linda, o ritmo do CD é muito bom! Essa pegada latina dela me impressionou bastante. EU ADOREI! Mas o que são as letras? Não acham que ela poderia conservar o ritmo e adaptá-lo a letras melhores? O que é cantar "puxa puxa, vai e vem, todo mundo se dá bem"? Me lembra muito "o seu amor é canibal, comeu meu coração, mas agora sou feliz" ou “quer andar de carro velho, amor, que venha, pois eu sei que amar a pé, amor, é lenha”.Gente, percebam uma coisa: todo o Brasil sabe o potencial que Ivete tem. Todo mundo sabe que hoje ela é a maior artista do show business brasileiro. Não acham que ela tem um papel mais importante na MPB? Só porque ela gravou "Pode Entrar" (cd maravilhoso) e "Ivete, Gil, Caetano" ela acha que pode cantar isso aí (Real Fantasia) e decair tanto na carreira dela? Ok, concordo que ela seja uma cantora de axé, de trio elétrico. Mas quantas delas são e nem por isso gravam coisas como as que Ivete gravam? Você não precisa deixar de ser cantora de axé e de trio elétrico porque vai gravar algo mais intelectual. E não falo de axé chato, voltar à Tropicália, sei lá. Falo de cantar algo mais interessante, fazer alguma homenagem. Qualquer coisa, menos isso. Leiam a crítica de Mauro sobre NegaLora - Claudia Leitte e percebam. Ele não elogia a cantora (até porque não é esse o papel de um crítico). Ele até diz que ela tropeçou. Mas no final, em sua conclusão, ele afirma que mesmo com tropeços, Claudia continua no caminho certo. E porquê? Porque ela sabe ousar, sabe experimentar o novo, sabe provocar. Esse é o papel do artista. PROVOCAR! Causar alguma reação. Não fazer MAIS do MESMO. E sinceramente, Ivete tem feito isso com sua carreira: mais do mesmo. Ela pensa "o povo tá gostando, tá me dando dinheiro, pra quê eu vou mudar, experimentar algo novo?". Enfim... Volto a dizer que com a visibilidade que ela tem, a fama que ela possui, a puta voz que tem, a puta cantora que é, deveria ser mais daquilo do mesmo. Mas é aquela coisa: se for pra ir atrás do trio, que seja com Ivete. Não existe igual. Mas em CD de estúdio sempre esperamos mais. É isso...

Ana Paula Carvalho disse...

Esqueçam o Pode Entrar e o Ivete Gil e Caetano como parâmetro, o 1º foi um projeto feito pq a cantora estava se preparando para ser mãe, e o Madison já estava sendo projetado nesse período, o 2º foi um projeto da Globo, Ivete foi parte dele, não autora.

Nem vou entrar no mérito de letras das músicas de Ivete, pq Sydney já fez e justificou perfeitamente, me parece apenas que algumas pessoas que comentam aqui só sabem o que é o Carnaval de Salvador de ver pela TV, só isso explica tantos comentários fora da realidade.

NegaLora? Onde Claudia ao regravar estraga metade das músicas, com gritos, desafinações e etc.? Ainda bem que existe estpudio para salvar essa moça, amenizar seu péssimo canto, e maquiar tudo.

DVD sem vida, Claudia não convence cantando outra coisa que não seja seu "Extravazza" e "Beijar na boca" pq nem cantora de verdade ela é, e mais, gravou o DVd e engavetou, pq nem se quer saiu com ele em turnê, praticamente desprezou todas músicas do mesmo, pq nos seus shows, ela não está cantando, e chamam isso de ousar? Ela deveria Ousar aprendendo a cantar, essa seria a maior ousadia da carreira de Claudia Leitte.

Beijo

Fabricio Ferrarez disse...

A comparação de Puxa-Puxa com canibal e carro velho são descabidas, uma vez que são ritmos completamente diferentes. Puxa-Puxa lembra Chica Chica Bom, da Carmem Miranda, já gravada pela Ivete incluse. E Canibal e Carro-velho são axés.

Sobre Ivete inovar ou não, sinto informar, mas mostra que você não tem conhecimento da carreira da cantora pra falar. Primeiro que ivete surgiu cantando samba-reggae (lá com Adeus Bye bye - ritmo que as vezes retoma, ficou fazendo axé na banda eva e trouxe na carreira solo uma revolução pro gênero dela, o Axé Music, com as batidas Pop,muito presentes em Festa (2002) e no SuperNovas (2005). Gravou no Maracanã, se consagrou, depois se consagrou gravando no MSG. Nesse meio tempo lançou o Pode Entrar que é um album mais intimista, apesar de contar nele também o axé. Já gravou Zouk, galopes, baladas romanticas, axé, samba-reggae, vem numa onda latina (que já desenvolveu em outros trabalhos) em Real Fantasia. Também gravou MPB com Gil e Caetano.

Quer que ela grave o que? Recomendo pegar a discografia inteira dela e ouvir tudo, lado A e lado B, para depois vir opinar.

George disse...

Porque as letras simples (porém bem elaboradas)de Ivete são "menores" que as marchinhas de carnaval de outrora? Já sei, por se tratar de Ivete.
Porque consideram que Gaby Amarantos faz um trabalho mais "interessante" que Ivete e com ela as pessoas não querem se apegar ao "conteúdo" das letras, porém com Ivete, que faz letras interessantes apesar de simples (algumas, até porque existem letras bem elaboradas) essas mesmas pessoas querem criticar isso ou aquilo no trabalho da baiana?

Existiu sim uma busca por novos ritmos, principalmente os latinos e africanos. O CD é festivo, mas cadenciado. As letras estão bem elaboradas dentro da proposta musical. Ninguem vai atrás do trio elétrico preocupado com a métrica ou profundidade poética das canções. Esse Real Fantasia é o disco mais bem produzido de Ivete. Arranjos excelentes, voz excelente (como sempre) e ótimas canções.

Gaby Amarantos, com o seu album TREME, recebeu 4 estrelas nesse mesmo blog. Os comentários, foram numa tentativa de dizer "curtam, é apenas pra se divertir". Eu ja cansei de ouvir esse album dessa Gaby e ainda não achei onde está o sopro de novidades, a riqueza nas letras, e profundidade poética. Mas aqui, ela é considerada boa.

Vai entender...

Gustavo Luz disse...

Eu adoro Ivete. Por gostar TANTO dela, quero ouvi-la cantar algo mais interessante. Ela é linda, tem voz inigualável, canta tudo em qualquer tom, é um mulherão, simpática pra c******, a melhor cantora de AXÉ de trio elétrico, mas peca quando grava um CD de estúdio. Em Real Fantasia, consigo ver várias primas irmãs de músicas dos antigos cds de estúdio de IS. Mas é isso... Tomara que chegue logo fevereiro. Meu Coruja já está comprado.

Identity G disse...

Querida Ana Paula Carvalho não sei se você pesquisou, mas, o Negalora não teve nenhum tratamento em estúdio. A voz de Claudia esta do mesmo jeito. Como você é fã da IS, não da pra discutir, porque sempre vai querer falar mal dela, mesmo que ela faça o melhor album do ano. bjs

Sydney Vieira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Ana Paula Carvalho disse...

Querido Identidade G, o Youtube serve pra isso, só no mundo encantado dos fãs de Claudia que ela não usou corretivo de voz, é notável ao compararmos os vídeos.

Gustavo, Ivete grava disco para ter conteúdo para o Palco e Trio, ela é do AO VIVO, a Ivete que vc vai atrás no Coruja e vai arrebentar lá, estará munida do Real Fantasia, é assim que as coisas funcionam.

Sydney Vieira disse...

Boa noite Mauro, esse último comentário não fui eu que fiz, receio ter deixado minha conta aberta em algum lugar, então peço que por favor exclua o comentário, recebi uma notificação no Gmail agora e quando entrei aqui tomei um susto.

Desde Já obrigado.
Ps. Não precisa aceitar esse comentário tbm

Mauro Ferreira disse...

Ok, Sidney, já excluí o comentário. Grato por me notificar da falsa autoria. Abs, MauroF

Gustavo Luz disse...

Gostei da sua última resposta, Ana Paula. Mas discordo de Fabricio Ferrarez. O CD está todo latino. Ok! Eu disse acima que eu adorei a pegada latina dela. Ok! Mas ritmo latino com letra "puxa puxa vai e vem todo mundo se dá bem" ou "vive em meu abdomen" PRA MIM continua sendo axé. Outra: conheço toda discografia e vou lhe apontar dois trabalhos de estúdio dela que merecem ótimas críticas: Beat Beleza e Clube Carnavalesco Inocentes em Progresso. Neles, percebo MUITOS axés e samba-reggaes com letras mais interessantes. Ela é capaz.

Sydney Vieira disse...

Li que as outras cantoras não gravam músicas de letra fácil , vejamos, o que podemos dizer então de: “Dandalunda” e “Swing Bom” de Margareth e “Rapunzel” e Maimbê” de Daniela ? 3 dessas canções inclusive, foram eleitas Música do Carnaval nos anos em que cada uma foi executada, e são consideradas grandes hits das Cantoras. Rapunzel por exemplo teve grande importância na carreira de Daniela em terras européias, por lá, é a música de maior sucesso da mesma.

Mas já que se fala tanto em intelecto e blá blá blá, vamos ser mais profundos, qual a lógica de um artista gravar músicas para o Carnaval ignorando a realidade da grande massa que marca presença na festa ? Daniela tem uma música linda que é Andarilho Encantado, porém, para a grande massa que vai atrás do trio, ela soa prolixa, a maioria não deve nem saber o que é um andarilho, e a letra não tem nem ao menos um refrão de fácil compreensão (e a culpa não é da população, o problema é da educação, e isso é assunto bem extenso que nem cabe aqui).
Então minhas duvidas são ? Pra quem se faz a música, para a elite ? Para críticos? Ou Para o Povo ? E se é para o povo, estão pensando na realidade destes ?

Como citei acima, ninguém vai ao Carnaval com outra intenção que não seja dançar, paquerar e etc. NINGUÉM
Não vejo o Real Fantasia como um disco de letras fúteis, e sim, simples, como foi bem colocado por alguns acima, obviamente que tem suas exceções, e Dançando é uma delas, e o nome já diz a que veio, quanto Puxa puxa, tem sim, rimas fáceis e bobinhas, mas não é diferente de muitas músicas dos carnavais antigos, ou por exemplo posso citar aqui, algumas músicas da Célebre Carmem Miranda, como : “Tico Tico no Fubá” ,“Chiquita Banana” , “Bamboleô” , “Bambalê” “Chica Chica Boom” a última inclusive já gravada por Ivete, e já citada em comentário anterior, poderia aqui também apresentar várias marchinhas carnavalescas, mas então a lista seria muito mais extensa, o que quero chamar à atenção aqui é para o sentido da Festa, e das músicas que compõem o repertório dela a anos, e que sempre tiveram o mesmo intuito, fazer tirar o pé do chão e somente isso.

Quanto ao Beat Beleza e o Clube Carnavalesco Inocentes em Progresso, são dois discos que gosto muito, mas do 1º podemos pontuar “Pererê” e “Bug Bug by bye”, duas músicas de letras fáceis, não diferentes das citadas do Real Fantasia pelo Gustavo, ao contrário, “Bug Bug...” por exemplo tem um arranjo bem pobre, música de duas notas, além de que, foi um disco com 14 faixas, que só foram aproveitadas 4 canções em shows, as demais ficaram esquecidas, virou Lado B , quanto ao 2º Disco citado, 14 faixas tbm, e pra mim um dos melhores, apenas 3 músicas foram aproveitadas em shows , sendo que uma delas, “Brasileiro” (que é excelente) anos depois, quando foi regravada no Madison, e “Faz Tempo” não durou muito no repertório, restando apenas “Sorte Grande (Poeira), e então, mas uma vez, outra porrada de música para o Lado B, sendo assim, para uma cantora de trio, de axé, do ao vivo, do tirar o pé no chão mesmo, não é mais coerente um disco que ela possa aproveitar o máximo possível das canções deste? Ao menos quando um artista lança um disco, esperamos que, ao ir ao show deste, ele cante muitas músicas do disco novo, comigo acontece dessa forma.

Quem gosta de Ivete e não está satisfeito com as músicas dela, deveria apenas torcer pra que ela faça um projeto paralelo, pq, dentro da proposta dela que é ser de trio até então, ela acertou em cheio com esse disco.

Sydney Vieira disse...

E para finalizar, gostaria apenas de fazer um breve paralelo:

Roberto Carlos x Chico Buarque

O Chico possui composições mais elaboradas, porém o Roberto Carlos conseguiu alcançar todas as classes, pq enquanto o CB fala de amor em uma linguagem mais empolada e não acessível a todos, o RC, fala de amor de forma simples, de uma forma que qualquer um escute e entenda facilmente.

Ivete Sangalo, faz música para DANÇAR de forma simples.

nando disse...

"Real Fantasia" é um dos piores discos que já ouvi, apesar de Ivete cantar cada dia melhor e ter um timbre de voz incrível.
Com esse trabalho, passou a impressão de tentar, mais uma vez, fazer sucesso no exterior, agora de forma mais explícita com o público latino, já que não caiu nas graças dos norte americanos com o "Madison", que não passou de um projeto ambicioso.
Pelo menos, ela já conseguiu fazer um trabalho relevante em "Pode Entrar" e gravar uma obra prima como "Assimétrica", de Gil, no disco "Festa".
Com relação a ela fazer axé e "música para carnaval", como baiano, que acompanho o carnaval desde criança, axé é também isso, mas também é muito mais que isso que Ivete pretende mostrar de forma abobalhada. Procurem saber!