Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Abertura de parcerias revigora a obra autoral de Ro Ro em 'Feliz da Vida!'

Resenha de show - Gravação de DVD
Título: Feliz da Vida!
Artista: Angela Ro Ro (em foto de Rodrigo Amaral)
Local: Theatro Net Rio (Rio de Janeiro, RJ)
Data: 15 de outubro de 2012
Cotação: * * * 

Aos 62 anos de vida e 33 de carreira, Angela RoRo dá injeção de ânimo em sua discografia com a gravação de DVD sintomaticamente intitulado Feliz da Vida!. A abertura simultânea de várias parcerias - com nomes com Ana Carolina, Jorge Vercillo, Moska e Sandra de Sá, entre outros - revigora obra autoral que dera sinais de anemia nos álbuns anteriores Acertei no Milênio (Jam Music, 2000) e Compasso (Indie Records, 2006). Fora do padrão revisionista dos registros audiovisuais de shows, mote do DVD Ângela RoRo ao Vivo (Indie Records, 2006), a cantora e compositora carioca apresentou 13 inéditas - em roteiro de 15 músicas - ao público que compareceu à gravação realizada sob a direção de Bruno Saglia no show feito em 15 de outubro de 2012 no Theatro Net Rio, no Rio de Janeiro (RJ). O bom nível da safra de inéditas foi realçado pela arregimentação de sexteto formado por músicos como João Gaspar (guitarra), Jovi Joviniano (percussão) e Zé Carlos Bigorna (sopros). Única música em inglês do repertório, a  balada Opium (Angela RoRo) tem passagens de beleza entorpecente e destila sensibilidade, evocando o insuperável cancioneiro inicial da compositora, embebido em doses cavalares de amor e dor. Contudo, no geral, o repertório de Feliz da Vida rejeita o sofrimento. Ainda que a boa balada Muitas Canções (Angela RoRo e Lana Braga) se contorça de saudade e que a canção Ela Sumiu (Angela RoRo) remoa a dor da ausência da musa amada da vez, RoRo respira ares mais leves. Gravada com o parceiro Jorge Vercillo, Capital do Amor (Angela RoRo e Jorge Vercillo) mapeia as bossas da cidade do Rio de Janeiro (RJ) em flashes afetivos. A vibe bossa-novista da canção já tinha sido reproduzida antes em De Amor e Mar (Angela RoRo e Ricardo McCord), tema menos inspirado que abriu o roteiro da gravação após projeções de vídeos em que os novos parceiros - como Moska, coautor da música-título Feliz da Vida! - exaltam a obra e a existência de RoRo. Entre a retomada da parceria com Antônio Adolfo (Vou Por Aí..., outra canção de bom nível) e o dueto expansivo com Diogo Nogueira em Salve Jorge!, samba de arquitetura trivial captado com a adesão do cavaquinho de Henrique Garcia, RoRo mergulha no clima outonal do belo bolero Romance Espetacular (Angela RoRo e Carlota Marques), cai no suingue com Sandra de Sá (parceira e convidada da acalorada Beijos na Boca), apresenta música mais fraca (Tudo por Um Triz, composta com Mário de Castro) e esboça balanço existencial em Canto Livre, primeira parceria com Ana Carolina (presença prometida nos extras do DVD em take captado em estúdio). Tema mais surpreendente da safra, Pinto Velho (Angela RoRo) é samba-rap-repente levado somente pela voz rouca de RoRo com o pandeiro de Jovi Joviano. Em trilha mais roqueira, Malandragem (Frejat e Cazuza, 1982) é reminiscência de dias mais loucos. "É ou não é para ela?", perguntou convicto Frejat, convidado do número, ao fim do azeitado dueto, lembrando que a música, sucesso de Cássia Eller (1962 - 2001), tinha sido composta nos anos 80 para RoRo, que a rejeitou. No fecho da gravação, com Frejat ainda em cena e com a presença da parceira Ana Terra na plateia, RoRo revive Amor, Meu Grande Amor, grande sucesso do primeiro álbum da artista, flambado na fogueira existencial em que arde a produção inicial da compositora, hoje em dias mais felizes.

6 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Aos 62 anos de vida e 33 de carreira, Ângela RoRo dá injeção de ânimo em sua discografia com a gravação de DVD sintomaticamente intitulado Feliz da Vida. A abertura simultânea de várias parcerias - com nomes com Ana Carolina, Jorge Vercillo, Moska e Sandra de Sá, entre outros - revigora obra autoral que dera sinais de anemia nos álbuns anteriores Acertei no Milênio (Jam Music, 2000) e Compasso (Indie Records, 2006). Fora do padrão revisionista dos registros audiovisuais de shows, mote do DVD Ângela RoRo ao Vivo (Indie Records, 2006), a cantora e compositora carioca apresentou 13 inéditas - em roteiro de 15 músicas - ao público que compareceu à gravação realizada sob a direção de Bruno Saglia no show feito em 15 de outubro de 2012 no Theatro Net Rio, no Rio de Janeiro (RJ). O bom nível da safra de inéditas foi realçado pela arregimentação de sexteto formado por músicos como João Gaspar (guitarra), Jovi Joviniano (percussão) e Zé Carlos Bigorna (sopros). Única música em inglês do repertório, a balada Opium (Ângela RoRo) tem passagens de beleza entorpecente e destila sensibilidade, evocando o insuperável cancioneiro inicial da compositora, embebido em doses cavalares de amor e dor. Contudo, no geral, o repertório de Feliz da Vida rejeita o sofrimento. Ainda que a boa balada Muitas Canções (Ângela RoRo e Lana Braga) se contorça de saudade e que a canção Ela Sumiu (Ângela RoRo) remoa a dor da ausência da musa amada da vez, RoRo respira ares mais leves. Gravada com o parceiro Jorge Vercillo, Capital do Amor (Ângela RoRo e Jorge Vercillo) mapeia as bossas da cidade do Rio de Janeiro (RJ) em flashes afetivos. A vibe bossa-novista da canção já tinha sido reproduzida antes em De Amor e Mar (Ângela RoRo e Ricardo McCord), tema menos inspirado que abriu o roteiro da gravação após projeções de vídeos em que os novos parceiros - como Moska, coautor da música-título Feliz da Vida - exaltam a obra e a existência de RoRo. Entre a retomada da parceria com Antônio Adolfo (Vou Por Aí, outra canção de bom nível) e o dueto expansivo com Diogo Nogueira em Salve Jorge, samba de arquitetura trivial captado com a adesão do cavaquinho de Henrique Garcia, RoRo mergulha no clima outonal do belo bolero Romance Espetacular (Ângela RoRo), cai no suingue com Sandra de Sá (parceira e convidada da acalorada Beijos na Boca), apresenta música mais fraca (Tudo por Um Triz, composta com Mário de Castro) e esboça balanço existencial em Canto Livre, primeira parceira com Ana Carolina (presença garantida nos extras do DVD em take captado em estúdio). Tema mais surpreendente da safra, Pinto Velho (Ângela RoRo) é samba-rap-repente levado somente pela voz rouca de RoRo com o pandeiro de Jovi Joviano. Em trilha mais roqueira, Malandragem (Frejat e Cazuza, 1982) é reminiscência de dias mais loucos. "É ou não é para ela?", perguntou convicto Frejat, convidado do número, ao fim do azeitado dueto, lembrando que a música, sucesso de Cássia Eller (1962 - 2001), tinha sido composta nos anos 80 para RoRo, que a rejeitou. No fecho da gravação, com Frejat ainda em cena e com a presença da parceira Ana Terra na plateia, RoRo revive Amor, Meu Grande Amor, grande sucesso do primeiro álbum da artista, flambado na fogueira existencial em que arde a produção inicial da compositora, hoje em dias mais felizes.

Jorge Reis disse...

É bom saber que ainda existe espaço para artistas do nipe de RoRo, que não de enquadra em padrões estéticos ou engessados para determinada temporada...
Trabalhos como o dela e de mais uma meia duzia de desconhecidos não me fazem deixar de gostar de MPB.
Vida longa a RO RO.

UMBANDA SAGRADA. disse...

Rio, 16 de outubro de 2012.
Ontem, 15 de outubro de 2012, foi o dia da gravação do DVD de ANGELA RO RO.
Dia dos Mestres. E por excelência, essa menina é mestra-maestrina, em erupção no palco do TEREZÃO, Teatro Net-Rio, em Copacabana, Rio de Janeiro.
Angela Ro Ro reeducando nossos ouvidos para a boa música, para o conteúdo inspirado e sagrado, tão necessário aos nossos anseios de últimos anos...
Do pouco que entendo de numerologia pitagórica, o dia quinze perfaz as núpcias com o espírito de Angela Ro Ro.
Somando os algarismos 1 e 5, temos o número 6, tão correspondente aos românticos, aos idealistas. E nesse enlevo, Angela Ro Ro enfuna em nossos espíritos a plena harmonia da beleza, através de sua voz incomparável, através de suas nuances pueris e tão sutis, brincando semanticamente com cada palavra cantada, burilando com cada signo vocabular através da sonoridade estimulante e analítica.
O palco, a plateia, todos comungando num único lar, onde a estrela de maior grandeza se faz, simplesmente por ser plenamente, por deixar-se planar nos objetivos convictos de perfeição a cada gesto, a cada olhar, a cada respirar.... Um fôlego único, soprando vida nos presentes.
Quem já viu Angela Ro Ro em outros momentos sabe que a generosidade é um de seus emblemas. Convidados carismáticos, de peso, e de grandiosidade em talento. Jorge Vercilo, Sandra de Sá, Diogo Nogueira e Frejat numa festa em seus momentos de participação.
Angela Ro Ro é assim, ímpar, embora tão plural.
Conhecer a obra dessa menina é flutuar numa literatura diversificada, de ritmos, significados, sonhos e realidades.
E a menina continua caminhando FELIZ DA VIDA, tornando-se realidade em cada coração que pleiteia a boa música.
E para fechar a noite, numa conjunção cósmica, o taxista liga o rádio e o que temos para ouvir, senão Angela Ro Ro...
Como testemunha do fato, além do taxista, o ator Luca Machado, ainda eletrizado com o show, complementa a felicidade da noite com uma gostosa risada de satisfação.
Acreditem... Angela Ro Ro é cósmica!!!

WILL TOM - golemmello@yahoo.com.br

UMBANDA SAGRADA. disse...

Rio, 16 de outubro de 2012.

Ontem, 15 de outubro de 2012, foi o dia da gravação do DVD de ANGELA RO RO.
Dia dos Mestres. E por excelência, essa menina é mestra-maestrina, em erupção no palco do TEREZÃO, Teatro Net-Rio, em Copacabana, Rio de Janeiro.
Angela Ro Ro reeducando nossos ouvidos para a boa música, para o conteúdo inspirado e sagrado, tão necessário aos nossos anseios de últimos anos...
Do pouco que entendo de numerologia pitagórica, o dia quinze perfaz as núpcias com o espírito de Angela Ro Ro.
Somando os algarismos 1 e 5, temos o número 6, tão correspondente aos românticos, aos idealistas. E nesse enlevo, Angela Ro Ro enfuna em nossos espíritos a plena harmonia da beleza, através de sua voz incomparável, através de suas nuances pueris e tão sutis, brincando semanticamente com cada palavra cantada, burilando com cada signo vocabular através da sonoridade estimulante e analítica.
O palco, a plateia, todos comungando num único lar, onde a estrela de maior grandeza se faz, simplesmente por ser plenamente, por deixar-se planar nos objetivos convictos de perfeição a cada gesto, a cada olhar, a cada respirar.... Um fôlego único, soprando vida nos presentes.
Quem já viu Angela Ro Ro em outros momentos sabe que a generosidade é um de seus emblemas. Convidados carismáticos, de peso, e de grandiosidade em talento. Jorge Vercilo, Sandra de Sá, Diogo Nogueira e Frejat numa festa em seus momentos de participação.
Angela Ro Ro é assim, ímpar, embora tão plural.
Conhecer a obra dessa menina é flutuar numa literatura diversificada, de ritmos, significados, sonhos e realidades.
E a menina continua caminhando FELIZ DA VIDA, tornando-se realidade em cada coração que pleiteia a boa música.
E para fechar a noite, numa conjunção cósmica, o taxista liga o rádio e o que temos para ouvir, senão Angela Ro Ro...
Como testemunha do fato, além do taxista, o ator Luca Machado, ainda eletrizado com o show, complementa a felicidade da noite com uma gostosa risada de satisfação.
Acreditem... Angela Ro Ro é cósmica!!!

WILL TOM - ed.ollem@yahoo.com.br

WILL TOM disse...

Rio, 16 de outubro de 2012.

Ontem, 15 de outubro de 2012, foi o dia da gravação do DVD de ANGELA RO RO.
Dia dos Mestres. E por excelência, essa menina é mestra-maestrina, em erupção no palco do TEREZÃO, Teatro Net-Rio, em Copacabana, Rio de Janeiro.
Angela Ro Ro reeducando nossos ouvidos para a boa música, para o conteúdo inspirado e sagrado, tão necessário aos nossos anseios de últimos anos...
Do pouco que entendo de numerologia pitagórica, o dia quinze perfaz as núpcias com o espírito de Angela Ro Ro.
Somando os algarismos 1 e 5, temos o número 6, tão correspondente aos românticos, aos idealistas. E nesse enlevo, Angela Ro Ro enfuna em nossos espíritos a plena harmonia da beleza, através de sua voz incomparável, através de suas nuances pueris e tão sutis, brincando semanticamente com cada palavra cantada, burilando com cada signo vocabular através da sonoridade estimulante e analítica.
O palco, a plateia, todos comungando num único lar, onde a estrela de maior grandeza se faz, simplesmente por ser plenamente, por deixar-se planar nos objetivos convictos de perfeição a cada gesto, a cada olhar, a cada respirar.... Um fôlego único, soprando vida nos presentes.
Quem já viu Angela Ro Ro em outros momentos sabe que a generosidade é um de seus emblemas. Convidados carismáticos, de peso, e de grandiosidade em talento. Jorge Vercilo, Sandra de Sá, Diogo Nogueira e Frejat numa festa em seus momentos de participação.
Angela Ro Ro é assim, ímpar, embora tão plural.
Conhecer a obra dessa menina é flutuar numa literatura diversificada, de ritmos, significados, sonhos e realidades.
E a menina continua caminhando FELIZ DA VIDA, tornando-se realidade em cada coração que pleiteia a boa música.
E para fechar a noite, numa conjunção cósmica, o taxista liga o rádio e o que temos para ouvir, senão Angela Ro Ro...
Como testemunha do fato, além do taxista, o ator Luca Machado, ainda eletrizado com o show, complementa a felicidade da noite com uma gostosa risada de satisfação.
Acreditem... Angela Ro Ro é cósmica!!!


WILL TOM - uilton.mello@yahoo.com.br

Rhenan Rodrigo disse...

Como eu amo a RôRô.... puts! ^)