Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Primeiro álbum de Fernanda Abreu em dez anos inclui DJ Afrika Bambaataa

Programado para ser lançado neste primeiro semestre de 2016, o oitavo álbum solo de Fernanda Abreu, Amor geral, tem o toque de Afrika Bambaataa - pseudônimo do DJ norte-americano Kevin Donovan, um dos pioneiros do electro-funk. Bambaataa toca na música intitulada Tambor. Outra música do disco se chama Double love. Em Amor geral, primeiro álbum da artista carioca em dez anos, Fernanda Abreu (em foto de Fernando Torquatto) abre parceria com o cantor e compositor carioca Qinho, coautor das músicas O que ficou e Por quem. Giovanni Bianco assina a capa - criada a partir de foto de Gui Paganini - do primeiro álbum da cantora e compositora desde o CD e DVD MTV ao vivo (Universal Music, 2006).  Amor geral traz dez músicas inéditas no repertório autoral.

14 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Programado para ser lançado neste primeiro semestre de 2016, o oitavo álbum solo de Fernanda Abreu, Amor geral, tem o toque de Afrika Bambaataa - pseudônimo do DJ norte-americano Kevin Donovan, um dos pioneiros do electro-funk. Bambaataa toca na música intitulada Tambor. Outra música do disco se chama Double love. Em Amor geral, primeiro álbum da artista carioca em dez anos, Fernanda Abreu - em foto de Fernando Torquato - abre parceria com o cantor e compositor carioca Qinho, coautor das músicas O que ficou e Por quem. Giovanni Bianco assina a capa - criada a partir de foto de Gui Paganini - do primeiro álbum da cantora e compositora desde o CD e DVD MTV ao vivo (Universal Music, 2006). Amor geral traz dez músicas inéditas no repertório autoral.

Luca disse...

jornalista de música não se livra desse tom provinciano, basta um artista lá de fora estar no disco de um artista do Brasil que isso é noticiado com alarde

Dona Emengarda disse...

Onde está esse "alarde"?
Vi o mesmo destaque que é dado a qualquer participação nacional!

Marcelo disse...

Quem quer?

CLECIO JAYRON DA SILVA disse...

Eu quero,nunca entendo as pessoas q acompanham o blog só pra colocar gosto ruim.

Henrique disse...

Quem não quer? Viva Fernanda Abreu!

por: Gui Left disse...

Pq fazer produça com o Diplo e outros dj novinhos da moda qualquer um consegue, agora... Bambaataa? Só mesmo a diva samba funk do Brasil!

Victor Moraes, disse...

Luca, nada demais. Mesmo nível de destaque do [maravilhoso] Carlinhos Sete Cordas na notícia anterior. É só acompanhar.
Agoo(...)ooora, o tal do Giovanni Bianco... aí sim. Tô pra ver ainda o nome de outro diretor de arte aparecer nas notícias.

Diogo Santos disse...

Eu quero também.

Fernanda (ainda) é única na nossa música. Pra mim, no som, é um mix de Sandra de Sá e Marina Lima. Na beleza, só Paula Toller consegue mostrar igual jovialidade/feminilidade.

Viva Fernanda Abreu!

Eduardo disse...

Que falta estava fazendo Fernanda no cenário! Saudade!

Márcio disse...

Eu quero. Fernanda Abreu é uma cantora de estirpe, que soube criar estilo próprio e fazer música pra dançar de alto nível, seja nos discos ou ao vivo. Quanto à participação de Afrika Bambaata, merece sim destaque, pois trata-se de nome seminal do electro-funk/hip-hop. Não é mais um DJ de pen drive!

Don Raboo disse...

Pra quê o espanto? Se você soubesse um pouco da história de Bambaataa e a importância dele na World music e principalmente na Black music você jamais teria comentado 'que alarde e pra quê o espanto' Dona Emengarda e Luca.

Rafael M. disse...

Ainda bem que o disco tem nomes de requintes na produção do mesmo... Quanto mais esmero, mais belo o disco será... Aguardando com ansiedade por esse lançamento...

Dona Emengarda disse...

E a interpretação de texto continua não sendo o forte de alguns comentaristas aqui do blog!