Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Cavalcanti faz 'homenagem torta' à fauna carioca em música do segundo CD

A IMAGEM DO SOM - A foto de Cyntia C mostra o cantor e compositor carioca João Cavalcanti (à direita) com o pianista Marcelo Caldi em gravação estilo voz-e piano de Não sós, música de Cavalcanti que figura no repertório do segundo álbum solo do vocalista do grupo carioca Casuarina. Cavalcanti disponibilizou hoje - 20 de janeiro de 2016, dia de São Sebastião, padroeiro da cidade do Rio de Janeiro (RJ) - no YouTube o registro da música (gravada para o disco com outro arranjo) através de clipe filmado com direção, fotografia e edição de Daniel Lôbo. Para Cavalcanti, Não sós faz homenagem torta à cidade natal e à fauna carioca. Eis, na íntegra, a letra da música Não sós:

Não Sós
(João Cavalcanti)


As gatas do Morro do Pasmado
Os pombos do Largo do Machado
Cotias do Campo de Santana
Rebanhos fiéis na Suburbana
Às vezes baleias no Pontal
Pra sempre baratas na Central

Eu vi capivaras na Lagoa
Colônias de ratos na Gamboa
Sabiás fazem ninho na Cancela
Pardais pela Linha Amarela
As pulgas dos cães de Paquetá
As rugas das vacas do Irajá

Definitivamente nós
Intimamente tão não sós

Voei com urubus no aeroporto
Avistei tucanos pelo Horto
Pintinhos raivosos da Triagem
Peruas molhadas da Varnhagem
Pinguins de passeio no Joá
Jacarés em Jacarepaguá

Enguias bivolt de Benfica
Cobaias de molho em Curicica
Piranhas da Praça da Bandeira
Aranhas sedentas da Mangueira
Os peixes mutantes do Guandu
As larvas gigantes do Caju

Definitivamente nós
Intimamente tão não sós

Morcego feroz na Catacumba
Galinhas d'Angola na Macumba
Formigas sem prata na Saara
E latas de atum na Guanabara
Pavões coloridos do Borel
Castor bicho de Padre Miguel

Lacraias cortantes pela Lapa
Alguns sanguessugas no Maraca
Moscas feiticeiras no Encantado
Macaco que voa em São Conrado
Tatus atrasados no Leblon
Múmias de tatuís no Sheraton

Definitivamente nós
Intimamente tão não sós

Alguns jabutis em Paciência
Cupins tão viris da Providência
Milhares de pragas na Rocinha
E um leão no Engenho da Rainha
Corujas atentas no Alemão
Preguiças marrentas no Fundão

Os orangotangos de Pilares
E os ornitorrincos do Antares
Alguns dinossauros na Usina
E vários gambás em Brás de Pina
O escalpo da cabra em Cordovil
O berro das vespas da Brasil

Definitivamente nós
Intimamente tão não sós

3 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ A IMAGEM DO SOM - A foto de Cyntia C mostra o cantor e compositor carioca João Cavalcanti (à direita) com o pianista Alexandre Caldi em gravação estilo voz-e piano de Não sós, música de Cavalcanti que figura no repertório do segundo álbum solo do vocalista do grupo carioca Casuarina. Cavalcanti disponibilizou hoje - 20 de janeiro de 2016, dia de São Sebastião, padroeiro da cidade do Rio de Janeiro (RJ) - no YouTube o registro da música (gravada para o disco com outro arranjo) através de clipe filmado com direção, fotografia e edição de Daniel Lôbo. Para Cavalcanti, Não sós faz homenagem torta à cidade natal e à fauna carioca. Eis, na íntegra, a letra da música Não sós:

Não Sós
(João Cavalcanti)

As gatas do Morro do Pasmado
Os pombos do Largo do Machado
Cotias do Campo de Santana
Rebanhos fiéis na Suburbana
Às vezes baleias no Pontal
Pra sempre baratas na Central

Eu vi capivaras na Lagoa
Colônias de ratos na Gamboa
Sabiás fazem ninho na Cancela
Pardais pela Linha Amarela
As pulgas dos cães de Paquetá
As rugas das vacas do Irajá

Definitivamente nós
Intimamente tão não sós

Voei com urubus no aeroporto
Avistei tucanos pelo Horto
Pintinhos raivosos da Triagem
Peruas molhadas da Varnhagem
Pinguins de passeio no Joá
Jacarés em Jacarepaguá

Enguias bivolt de Benfica
Cobaias de molho em Curicica
Piranhas da Praça da Bandeira
Aranhas sedentas da Mangueira
Os peixes mutantes do Guandu
As larvas gigantes do Caju

Definitivamente nós
Intimamente tão não sós

Morcego feroz na Catacumba
Galinhas d'Angola na Macumba
Formigas sem prata na Saara
E latas de atum na Guanabara
Pavões coloridos do Borel
Castor bicho de Padre Miguel

Lacraias cortantes pela Lapa
Alguns sanguessugas no Maraca
Moscas feiticeiras no Encantado
Macaco que voa em São Conrado
Tatus atrasados no Leblon
Múmias de tatuís no Sheraton

Definitivamente nós
Intimamente tão não sós

Alguns jabutis em Paciência
Cupins tão viris da Providência
Milhares de pragas na Rocinha
E um leão no Engenho da Rainha
Corujas atentas no Alemão
Preguiças marrentas no Fundão

Os orangotangos de Pilares
E os ornitorrincos do Antares
Alguns dinossauros na Usina
E vários gambás em Brás de Pina
O escalpo da cabra em Cordovil
O berro das vespas da Brasil

Definitivamente nós
Intimamente tão não sós

italo vinicius disse...

Que letra doida

Unknown disse...

Adorei desde a primeira vez que ouvi. Com irreverência, humor, uma boa homenagem!