Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


domingo, 10 de janeiro de 2016

Fernanda Abreu grava afro-samba de Baden e Vinicius para CD do Grooveria

A IMAGEM DO SOM - A foto acima mostra Fernanda Abreu em estúdio na gravação de música do terceiro álbum do Grooveria, coletivo paulistano de samba-soul liderado pelo produtor, arranjador e baterista Tuto Ferraz. Enquanto negocia a edição e distribuição do oitavo álbum solo da carreira solo, Amor geral, a cantora e compositora carioca gravou hoje, 10 de janeiro de 2016, o afro-samba Berimbau (Baden Powell e Vinicius de Moraes, 1963) para o CD do Grooveria. O disco - que tem também participação de Claudio Zoli e músicas como Vim - sucede Grooveria eletroacústica # 1 (Independente, 2005) e  Avenida  Brasil (Universal Music, 2009) na discografia indie do grupo.

7 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ A IMAGEM DO SOM - A foto acima mostra Fernanda Abreu em estúdio na gravação de música do terceiro álbum do Grooveria, coletivo paulistano de samba-soul liderado pelo produtor, arranjador e baterista Tuto Ferraz. Enquanto negocia a edição e distribuição do oitavo álbum solo da carreira solo, Amor geral, a cantora e compositora carioca gravou hoje, 10 de janeiro de 2016, o afro-samba Berimbau (Baden Powell e Vinicius de Moraes, 1963) para o CD do Grooveria. O disco - que tem também participação de Claudio Zoli e músicas como Vim - sucede Grooveria eletroacústica # 1 (Independente, 2005) e Avenida Brasil (Universal Music, 2009) na discografia indie do grupo.

Rafael M. disse...

Esse afro samba de Baden e Vinicius é uma delícia!!! Deve ter ganhado o ar da graça com a Fernandinha...

Luca disse...

É mesmo, Fernanda deve ter dado um suingue todo dela ao samba

Henrique disse...

Grande Fernanda!

Tiago disse...

Nossa, nessa foto ela está a cara da Astrid Fontenelle nos anos 90!

Gill Sampaio Ominirò disse...

Na sua época de sucesso ela era taxada pejorativamente de funkeira pelos mesmos que hoje a exaltam. Viva a hipocrisia do cult.

Mediocridades à parte, adoro Fernanda. Ela tem o dom de "miscigenar" ritmos e tendências e gêneros que poucos têm na MPB. Sinto isso em Daniela Mercury, em Ney e em alguns poucos. Ela é o o suprassumo da brasilidade. Mas da brasilidade real, urbana e rural, do asfalto e do morro, tudo junto, sem limites, sem preconceitos, sem mediocridades seletivas. Ela é fenomenal. Tenho muita coisa dela e ouço sempre. Nunca deixei de ouvir por causa de modismos temporais. Seja bem vinda de volta à mídia Fernanda e caia nos braços dos hipócritas.

Marcelo disse...

Gill tem razão! Abaixo o modismo! Nunca curti essa moça e continuo com a mesma opinião!😉