Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Retrô 2012: Marisa dá show ao enredar música e artes plásticas em cena

Sete meses após o lançamento de seu oitavo álbum solo, O Que Você Quer Saber de Verdade (2011), Marisa Monte estreou em Curitiba (PR) o refinado espetáculo inspirado no disco e deu show ao enredar música e artes plásticas com precisão. Um dos melhores shows do ano, Verdade Uma Ilusão deu passo adiante no uso de projeções em cena. Vídeos de 15 artistas plásticos contemporâneos ajudaram a traduzir em imagens o pop da cantora e compositora carioca (vista em cena na foto de Leonardo Aversa). A fina sintonia entre música, arranjos (de Marisa com a banda que inclui três músicos da Nação Zumbi), cenário (de Marcelo Lipiani), luz (de Zeluis Joes) e figurino (de Rita Murtinho) proporcionou inebriante espetáculo para olhos e ouvidos que disfarçou a sensação de a voz da cantora já parecer não ter a mesma potência de outrora. Seguindo rota nacional, com casas invariavelmente lotadas em agenda que prevê apresentações no Brasil e no mundo ao longo de 2013, o show Verdade Uma Ilusão confirmou Marisa Monte na linha de frente da música brasileira, criando a ilusão de que o som da artista é mais sofisticado do que é quando, na verdade, esse som se resume em essência a canções (quase sempre inspiradas...) que propagam simples memórias, crônicas e declarações de amor.

14 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Sete meses após o lançamento de seu oitavo álbum solo, O Que Você Quer Saber de Verdade (2011), Marisa Monte estreou em Curitiba (PR) o refinado espetáculo inspirado no disco e deu show ao enredar música e artes plásticas com precisão. Um dos melhores shows do ano, Verdade Uma Ilusão deu passo adiante no uso de projeções em cena. Vídeos de 15 artistas plásticos contemporâneos ajudaram a traduzir em imagens o pop da cantora e compositora carioca (vista em cena na foto de Leonardo Aversa). A fina sintonia entre música, arranjos (de Marisa com a banda que inclui três músicos da Nação Zumbi), cenário (de Marcelo Lipiani), luz (de Zeluis Joes) e figurino (de Rita Murtinho) proporcionou inebriante espetáculo para olhos e ouvidos que disfarçou a sensação de a voz da cantora já parecer não ter a mesma potência de outrora. Seguindo rota nacional, com casas invariavelmente lotadas em agenda que prevê apresentações no Brasil e no mundo ao longo de 2013, o show Verdade Uma Ilusão confirmou Marisa Monte na linha de frente da música brasileira, criando a ilusão de que o som da artista é mais sofisticado do que é quando, na verdade, esse som se resume em essência a canções (quase sempre inspiradas...) que propagam simples memórias, crônicas e declarações de amor.

André disse...

Goste ou não de Marisa Monte, seja de suas composições atuais e etc. Não há como reconhecer que ela sempre se cercou do bom gosto, refinamento e detalhes para oferecer ao seu público sempre belos shows, acompanhados de sua bela voz... o show é belissimo!!! Brilhará muito em 2013!

Rafael M. disse...

Realmente o show de Marisa é um dos mais belos do ano! Um belo espetáculo visual, aliado a beleza das letras e melodias de seu último disco.

noca disse...

Essa proposta ja antiga de Marisa se dignifica e se qualifica pelo cuidado e apuro cada vez mais perfeitos.Além de estonteante espetáculo,Marisa tem empatia absurda com seu público.É cada vez mais carinhosa e calorosa,porque esta integra a suas escolhas.É dona de seu nariz.

Maria disse...

Marisa sempre foi uma mulher de excelente gosto musical, culta e elegante! tanto profissionalmente quanto pessoalmente.
Gostaria que ela voltasse a regravar grandes clássicos da música brasileira como fazia na década de 90.
PS:Do repertório do novo show eu tiraria Velha Infância, Amor I Love You, Não Vá Embora... músicas chatas e batidas do Tribalistas colocaria Pecado é Lhe Deixar de Molho.

Anônimo disse...

Sim um dos mais bonitos, bem produzidos, com uma banda incrível, e um preço...sem comentários...

Dan Peder disse...

Não vi o show, infelizmente. O preço do ingresso era surreal.

Rogério disse...

Pra mim o show do ano. Felizmente moramos num país de excelentes cantoras e temos a oportunidade de termos vários shows em cartaz ao longo do ano. Vários foram maravilhosos , mas o da Marisa reunia tudo de maravilhoso e um pouco mais. Fabuloso.

Vladimir disse...

Felizmente tive o prazer de assitir este show ao vivo e constatar que Marisa Monte faz, literalmente, um show!!

Impecável em todos os sentidos e que, em DVD vai continuar sendo um espetáculo de se assistir em casa.

Anônimo disse...

Será que Marisa tem feito essas melodias mequetrefes porque não tem mais voz?
É uma explicação para inexplicável mesmice a que se impôs.
No mais, mesmo sabendo que falar mal é QUASE tão bom quanto falar bem, cansei de espetar a moça.
Que seja feliz. Longe de mim! :-)

PS: Como diria Chico na sua belíssima Paratodos: Evoé novos artistas!

Eduardo Cáffaro disse...

que venha o DVD do show completo dessa vez, Chega de documentários chatíssimos que a gente só consegue assistir no maximo 2 vezes. DVD de show, tem que ter o SHOW COMPLETO, Não é um pouco óbvio ?

nando disse...

Marisa é incrível, mas o repertório desse show é uma lástima, deixando a cantora em sua zona de conforto e cafonice. Bom que Gal chegou e, com simplicidade, ousadia e elegância, salvou o ano em termo de show. Nota 10 pra ela.

Dan Peder disse...

Não tenho mais saco para dvds de marisa monte. Hoje gosto dela mas ver dvd não dá!

nando disse...

Acabei não conseguido curtir o show em virtude do péssimo som, que foi um dos piores que já ouvi, pelo menos aqui em Salvador, e olha que assisti a 2 apresentações; o som da banda estava sempre à frente e o microfone de Marisa, baixo e sem qualidade. Só conseguia ouvi-la bem quando ela falava. De resto, achei o show brega e cafona em seus excessivos arranjos, projeções, figurino e seus efeitos (Marisa parecia vestida para seu baile de debutante), fora que ela repete o final do show há 3 tour. Realmente um belo exemplo de como tentar travestir cafonice em sofisticação. Mauro, acho que a voz dela está ok, pelo que foi gravado no disco, o problema é o técnico de som do show.